Vereadores reduzem carga horária de agentes comunitários de saúde de SL
Pavão Filho propôs a redução da carga horária para agentes

Vereadores reduzem carga horária de agentes comunitários de saúde de SL

Já está com o prefeito Edivaldo Holanda Junior,  para sanção,  o projeto de lei 127/2013, de autoria do vereador Pavão Filho (PDT), que, aprovado por unanimidade pela Câmara Municipal de São Luís,  institui a jornada de trabalho de 30 horas semanais de trabalho, divididas em seis horas diárias, para os agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias. Um dos argumentos que  fundamentam o projeto são as muitas atribuições desse profissão. “A redução  da carga horária para  30 horas semanais é muito importante para o desempenho desses agentes, pois esses profissionais têm uma atividade diária muito desgastante”, justifica Pavão.

Pavão Filho propôs a redução da carga horária para agentes

Ao prefeito Edivaldo Holanda cabe sancionar o projeto

O parlamentar trabalhista assinala que os agentes “trabalham debaixo do sol forte ou de muita chuva por 08 horas diárias, o que causa esgotamento físico e mental”. Com relação a outras categorias, ele enfatiza que “vale lembrar que os demais funcionários da prefeitura têm carga horária de 06 horas diárias”, e este é um dos motivos para solicitar a equiparação da jornada de trabalho. Como mais uma argumentação ele acrescenta: “e como esses profissionais trabalham na prevenção de doenças da nossa população, merecem todo reconhecimento e investimento, através de melhores condições de trabalho”.

“Com a redução da carga horária para 30 horas, ganha o agente, que poderá realizar as mesmas atribuições em seis horas de trabalho diariamente, e ganha o município, que terá um profissional muito mais estimulado que consequentemente produzirá muito mais”, observa o vereador pedetista. Para completar arremata ele que com a adoção desse benefício “a qualidade de vida desses trabalhadores será melhorada, pois assim, o agente terá mais tempo para a família. E, em contrapartida, esse mesmo profissional ficará mais disposto e menos cansado no exercício das suas funções”.

RECOMENDAÇÃO – Pavão Filho destaca um embasamento para sua solicitação observa que “a jornada de trabalho é recomendada pela OIT (Organização Internacional do Trabalho), pois reconhece que trabalhadores ligados a área de saúde convivem com situações extremas de sofrimento e exposição a ambientes insalubres”. Finalizando ela fala que “a regulamentação da jornada de 30 horas para os agentes comunitários de saúde e de combate às endemias visa condições de trabalho favoráveis ao profissional e melhora na qualidade da assistência prestada”. (Site da CMSL)

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem 3 comentários

  1. sandra alice

    Olá! Gostaria de saber se já está em vigor a carga horária de 30 horas semanais dos agentes de saúde.Sou agente de endemias em recife,e ainda trabalhamos exaustivamente as 8 horas diárias.

  2. Fátima

    Gostaria de parabenizar este vereador, por que trabalhamos sol a sol e sofremos muito, eu sou agente comunitário de saúde estou com urticaria solar uma alergia a exposição diário ao sol, nos podemos desenvolver nossas tarefas com a carga horaria de 30 horas com qualidade.

    PARABÉNS PELA ATITUDE.

  3. raquel

    sou agente de saude comunitario deixo aqui alem dos meus parabens meus agradecimentos pela atitude,por lembrar de nossa classe tao sofrida e discriminada,muitas vezes nosso trabalho nao é reconhecido,sou separada mae e pai de familia luto muito,deixo meu filho no colegio e vou para o trabalho cuidar de outras familias com muito orgulho,insalubridade tambem é essencial já que visitamos familias onde ha casos de doenças contagiosas como tuberculose,hanseniase entre outras e locais onde o saneamento básico é precario ou simpesmente nao há,somos expostos a bacterias e riscos de infecçoes diretamente.Não é habito o uso de mascara ou luvas nas visitas não nos fornecem,nem pensam nisso,mas como citei temos contato direto com pacientes infectados caso a se pensar Obrigada mais uma vez

Deixe uma resposta