Vale é acusada de espionar funcionários, jornalistas e sindicalistas
André Almeida, põe a boca no trombone e acusa a Vale de espionagem

Vale é acusada de espionar funcionários, jornalistas e sindicalistas

Ex-funcionário diz que empresa infiltrava pessoas em movimentos sindicais e sociais

O ex-funcionário da Vale André Almeida acusou, ontem (24) a mineradora de espionar jornalistas, funcionários e lideranças sociais por meio de infiltração de pessoas em movimentos sociais e sindicais. As declarações foram feitas durante audiência pública da Comissão de Direitos Humanos do Senado. A presidente da comissão, senadora Ana Rita (PT-ES), decidiu oficiar a Polícia Federal, a CPI da Espionagem e o Ministério Público para que investiguem as informações. A petista também quer obter respostas da empresa que, embora tenha sido convidada a participar da audiência, não enviou representantes.

Ontem, em São Luís, o deputado  estadual Bira do Pindaré (PSB) usou a tribuna da Assembléia Legislativa para repercutir o fato e  encaminhar o assunto à Comissão de Direitos Humanos da Casa, no sentido de que, ali,  também possam ser tomadas iniciativas em relação à companhia da Vale do Rio Doce, pedindo esclarecimentos em relação às denúncias de espionagem.

– “É uma situação intolerável, uma denúncia de espionagem da companhia Vale do Rio Doce em relação a lideranças de movimentos sociais, jornalistas, etc. Isso fere de morte a democracia e, por essa razão, a Vale do Rio Doce deve explicações ao povo do Maranhão e ao povo brasileiro”, cobrou o deputado

A DENÚNCIA

De acordo com o ex-funcionário, que foi demitido pela companhia no ano passado e, desde março deste ano,  move uma ação trabalhista contra a ex-empregadora, a Vale faz espionagem há muito tempo, mas teria intensificado a prática durante a gestão do ex-presidente Roger Agnelli (2001-2011). Ele disse que trabalhou na área de segurança e viu de perto as irregularidades.

Almeida afirmou que a empresa chegava a quebrar sigilos bancários e pagava propinas para funcionários de órgãos de segurança do governo para que abafassem as supostas irregularidades.

– O que a Vale gasta anualmente para monitorar seus empregados, os movimentos sociais diversos e políticos, poderia ser gasto com as comunidades se ela saísse de seu pedestal e conversasse com os movimentos – declarou.

A Vale negou e desqualificou as afirmações do ex-funcionário, que a empresa afirma ter sido demitido por justa causa e tenta usar as acusações para “sustentar três reclamações trabalhistas que somam cifras milionárias”. A empresa disse também que o Ministério Público Federal de São Paulo entendeu que não há provas para comprovar a denúncia e revogou seu sigilo por entender que Almeida estava “utilizando indevidamente as denúncias e a credibilidade do próprio MPF para alimentar suas milionárias reclamações trabalhistas”.

“A Vale não reconhece e refuta as denúncias do Sr. André Almeida, ex-empregado demitido por justa causa, as quais foram por ele criadas e fortemente divulgadas na mídia para tentar sustentar três reclamações trabalhistas que somam cifras milionárias no judiciário do Rio de Janeiro

André Almeida, põe a boca no trombone e acusa a Vale de espionagem

Bira do Pindaré: repercutindo a denúncia contra a Vale

e cujos autos tramitam sob segredo de justiça”, afirma a empresa, em nota. “A Vale se colocou à disposição dos órgãos de justiça envolvidos para ajudar como puder nas investigações, a qualquer tempo”, afirmou. (Com informações do G1)

 

Alguns dos apetrechos que teriam sido usados para espionar “adversários”

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta