Terceiro dia de greve geral dos transportes. Em reunião no TRT, partes não chegam a um acordo
A reunião, no TRT, onde as partes envolvidas com a greve dos coletivos, em são Luís, não chegaram a um acordo para finalizar o movimento.

Terceiro dia de greve geral dos transportes. Em reunião no TRT, partes não chegam a um acordo

Não houve acordo entre o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (STTREMA), o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) e o Município de São Luís.  Por isso, a greve dos rodoviários continua. É o que ficou confirmado depois de quase quatro horas de exaustivas negociações na audiência de conciliação do Dissídio Coletivo de Natureza Econômica nº 16123-19.2014.5.16.0000, ocorrida na tarde de ontem (28), no Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região (TRT-MA),

 A condução das negoviações se deu pela desembargadora Solange Cristina Passos de Castro Cordeiro, no exercício eventual da Presidência do TRT-MA, em virtude da ausência do presidente, desembargador Luiz Cosmo da Silva Júnior.

Depois da  manifestação dos sindicatos e do Município de São Luís, a magistrada considerou o direito, a necessidade e a importância da existência dos sindicatos para o enriquecimento da cidadania, bem como o direito dos cidadãos ao atendimento de suas necessidades. Em seguida, passou a ouvir as propostas de cada parte envolvida na relação processual.
O sindicato dos rodoviários flexibilizou quanto ao pedido de aumento salarial de 16%, apresentando nova proposta de 11%, mas sem abrir mão dos demais pleitos, quais sejam, 40% de reajuste do ticket alimentação, inclusão de mais um dependente no plano de saúde, implantação do plano odontológico e do seguro de vida. Os trabalhadores também recuaram quanto ao pedido de redução da jornada diária de trabalho de 7h20 para 6h, reconhecendo que o sistema de transportes de São Luís está “estrangulado”.
Já o

A reunião, no TRT, onde as partes envolvidas com a greve dos coletivos, em são Luís, não chegaram a um acordo para finalizar o movimento.

sindicato dos empresários não recuou no seu posicionamento inicial, argumentando não ter condições financeiras de arcar com os benefícios pretendidos pelos trabalhadores, mas garantiu que a frota de ônibus da capital está disponível para operação em todos os momentos.

O Município também manteve seu posicionamento inicial e as propostas apresentadas, aceitando apenas a extinção da “domingueira” (cobrança reduzida da tarifa nos finais de semana e feriados).
Ao final, concluiu-se pela não realização de acordo e a diretoria do sindicato dos rodoviários informou que realizará assembleia com a categoria na manhã de hoje para tratar dos aspectos discutidos na audiência e decidir se mantém ou não a greve e, se mantida, acordarem sobre a circulação mínima determinada pela decisão judicial em vigor, relativa à disponibilização de 70% da frota dos ônibus para operação durante a paralisação. O sindicato garantiu o cumprimento responsável dos seus atos, em resposta à Justiça e à sociedade.
A desembargadora Solange Cordeiro determinou ao Município de São Luís que disponibilize, o mais rápido possível, a informação solicitada pelo sindicato dos rodoviários sobre a quantidade real de ônibus da frota que opera na capital maranhense. Tal informação, relativa ao período de 16 a 26 de maio de 2014, deverá ser apurada por meio do Sistema de Bilhetagem Automática (SBA).
O sindicato das empresas e Município receberam, na audiência, a citação para apresentarem contestação ao dissídio no prazo regimental de 10 dias. Após a instrução do processo, ele será julgado em sessão do Tribunal Pleno do TRT-MA.
O Ministério Público do Trabalho (MPT) também participou das negociações realizadas na audiência, representado pelo procurador Roberto Magno Moreira. O Município de São Luís foi representado pelo procurador adjunto Domerval Alves Neto. Pelo STTREMA, estiveram presentes o presidente Gilson Coimbra, membros da diretoria e a advogada Valúsia Santos. O SET participou na pessoa do presidente José Luiz Medeiros, membros da diretoria e da advogada Larissa Abdalla.

A multa continua 

Segundo assessoria do TRT-MA, foram R$ 96 mil de multa somente ontem pelo descumprimento da decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MA).
O Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Maranhão (Sttrema) já soma R$ 480 mil em penalidades pelos dias em que não circulou o mínimo de 70% da frota na capital, nos dias de greve dos rodoviários. Além desta quarta, o percentual mínimo não foi atendido na quinta-feira (22), sexta (23), segunda (26) e terça-feira (27).

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem um comentário

  1. calango aceso

    Isso tudo é pra conseguir aumento do preço da passagem. Todos os atores desse filme de terror estão pensando só naquilo.

Deixe uma resposta