Técnicos e auxiliares de enfermagem do Socorrão I e II  paralisam por advertência
Socorrão II: eferverscência interna sugere melhorias

Técnicos e auxiliares de enfermagem do Socorrão I e II paralisam por advertência

Socorrão II: eferverscência interna sugere melhorias

Técnicos e auxiliares de Enfermagem dos hospitais de emergência de São Luís, Socorrão I e II,  paralisaram as suas atividades, das  8 às 10 horas de hoje (20), para  advertir que precisam de melhorias. O movimento, que é pacífico e se circunscreve às instalações internas das duas casas de saúde, pede a reformulação do sistema de escalas diário, melhores condições de trabalho e aumento salarial.

A categoria vai encaminhar as reivindicações para os escalões superiores – Diretorias dos Socorrões I e II e secretaria municipal de Saúde – avaliarem e adotarem providências. Se até  o próximo mês de setembro não houver conversa e o atendimento do que estão pedindo, prometem greve.

Os manifestantes informaram que os problemas por que passam técnicos e auxiliares de enfermagem dos dois Socorrões são comuns em outras unidades de saúde do Município de São Luís. Por isso, é possível que o movimento se alastre.

Mas, segundo o que declarou, ontem, o novo diretor do Socorrão I, médico Érico Figueiredo, há da parte do governo municipal muita boa vontade para a negociação, embora declare que cada unidade seja responsável pelos problemas que a aflige, indicando que os problemas são setorizados e assim serão discutidos.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem um comentário

  1. Marcia Moraes

    Não é somente os profissionais “técnicos e auxiliares”dos Socorrões que anseiam por melhores condições de trabalho, jornada de trabalho e aumento salárial, mas a classe de saúde em geral dos Hospitais do Maranhão ( enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas, psicólogos…). Até quando vamos ser tão desvalorizados e desrespeitados?!!

Deixe uma resposta