“Será que a lista de ‘400 fantasmas’ também foi inventada?”, pergunta Dino

O Governador se manifestou nas redes sociais,  cobrando esclarecimentos sobre irregularidades na Secretaria de Estado da Saúde (SES) Quase uma semana após ter sido deflagrada pela Polícia Federal, a quinta fase da “Operação Sermão aos Peixes” – que investiga um esquema de desvio de verbas e fraudes na contratação e pagamento de pessoal na Secretaria de Estado da Saúde (SES) em 2015 –, o governador Flávio Dino voltou a se manifestar nas redes sociais sobre as “supostas” irregularidades encontradas pela PF. Uma das ilegalidades descritas pela PF estaria relacionada à contratação de mais de 400 funcionários fantasmas. Apesar de ter anunciado a existência da lista, a Polícia Federal ainda não divulgou os nomes dos “fantasmas”, o que originou a cobrança pública de Dino no Twitter. De acordo com o governador, foram feitos dois pedidos oficiais à Polícia Federal requerendo a tal lista, mas, até o momento, ela segue guardada. “Até o presente momento não chegou ao nosso governo a suposta lista de ‘400 fantasmas’ que existiriam na Secretaria de Saúde em 2015. Queremos a lista para ajudar a apurar a alegação. Já requeremos oficialmente duas vezes e nada”, afirmou Dino. Em sua manifestação nas redes sociais, o governador criticou a Polícia Federal e chegou a duvidar da condução das investigações. Segundo Dino, o desejo em conseguir a lista dos “400 fantasmas” seria uma maneira de o próprio governo do estado apurar as irregularidades internamente. “Um delegado da Polícia Federal afirmou ao país que havia essa lista de ‘400 fantasmas’ em 2015 e nós queremos apurar administrativamente. Onde está a lista? Investigações não podem ser conduzidas como peças políticas ou puramente midiáticas. Inventaram uma sorveteria ‘jocosa’. Será que a lista de ‘400 fantasmas’ também foi inventada?”, disse o governador.

Continuar lendo “Será que a lista de ‘400 fantasmas’ também foi inventada?”, pergunta Dino
Justiça manda Twitter abrir dados de usuários que chamaram governador de ‘ladrão de merenda’
Governado Alckmin conseguiu na Justiça direito de obter dados de usuários que usaram expressões pejorativas no Twitter (Foto: Maiara Barbosa/G1)

Justiça manda Twitter abrir dados de usuários que chamaram governador de ‘ladrão de merenda’

Decisão diz que usuários usaram expressões que 'em tese, podem configurar ofensa moral'. O Twitter informou que não comenta decisões judiciais. Decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo determinou que o Twitter entregue ao governador Geraldo Alckmin a identidade e os IPs de seis usuários que usaram a rede social para fazer agressões e "usarem expressões que, ao menos em tese, podem configurar uma ofensa moral, dado o caráter pejorativo" empregado. Cabe recurso à decisão. O objetivo da decisão de liberar os dados é permitir que o governador eventualmente possa entrar com ação de danos morais pelas expressões usadas no Twitter. O G1 entrou em contato com o Twitter, que informou que não comenta decisões judiciais. O G1 também entrou em contato com o governo do estado de São Paulo e aguarda retorno. Os usuários fizeram as declarações no período de 29 de março de 2016 a 28 de setembro do mesmo ano. Segundo a decisão, o usuário "Alexandre de Moraes" chamou o governador de "corrupto", afirmando que ele teria recebido propina da Odebrecht, enquanto o usuário "Paulo de Lima" falou que Alckmin é "ladrão de merenda". O Twitter recorreu da decisão em primeira instância, alegando a proteção dos usuários e a liberdade de expressão com base no Marco Civil da Internet. Uma decisão colegiada do Tribunal de Justiça, votada em 19 de abril e que teve como relator o desembargador Teixeira Leite, manteve a decisão, mantendo a revelação dos dados de seis usuários.

Continuar lendo Justiça manda Twitter abrir dados de usuários que chamaram governador de ‘ladrão de merenda’
Deu no Fantástico -Mãe de jovem achada morta após vídeo íntimo reclama de ‘violação’
A bonita Júlia Rebeca, vítima da intimidade exposta no Whatsap

Deu no Fantástico -Mãe de jovem achada morta após vídeo íntimo reclama de ‘violação’

Em entrevista ao Fantástico, ela diz que não sabia o que estava ocorrendo. Outras jovens relatam vidas destruídas após intimidade exposta na web. A mãe da garota Júlia Rebeca, de 17 anos, encontrada morta em seu quarto após ter um vídeo íntimo compartilhado na internet, diz que a exposição das imagens da filha configuram uma “violação”. Rebeca morou no bairro do Vinhais, em São Luís, e foi estudante do Liceu, há dois anos, depois voltando a morar no Paiauí, na cidade de Parnaíba, onde tudo aconteceu. Em entrevista ao Fantástico, por telefone, Ivânia Salia diz que não sabia o que estava acontecendo com a filha. “Ela não demonstrou nada, nada. Todo adolescente tem o direito de ser adolescente. Eles são inconsequentes mesmo. Essa exposição toda, do vídeo, da imagem da minha filha, é uma violação.” Júlia Rebeca gravou um vídeo de sexo com uma garota e um rapaz, ambos menores de idade. As imagens foram distribuídas por celulares na cidade. Envergonhada após o compartilhamento do vídeo, ela se despediu da mãe em uma rede social. “Eu te amo, desculpa, eu n ser a filha perfeita, mas eu tentei... desculpa desculpa eu te amo muito”, postou a garota. Antes, Julia havia publicado a seguinte mensagem: “É daqui a pouco que tudo acaba”. A última mensagem deixada na rede foi: “Tô com medo, mas acho que é tchau pra sempre”. O fato chocou a população de Parnaíba. Por meio das redes sociais, vários amigos deixaram mensagens tentando confortar a família da adolescente. Uma pessoa identificada como primo de Julia passou a alimentar a página um dia após a morte da garota dando detalhes do velório. Outros casos O caso de Júlia não é único. Várias mulheres também sofreram com a intimidade exposta na internet. Normalmente, quando um vídeo como esse é disponibilizado na rede perde-se o controle.

Continuar lendo Deu no Fantástico -Mãe de jovem achada morta após vídeo íntimo reclama de ‘violação’
Na “rede” virtual: “Dilma Bolada” x Dilma Roussef
"Dilma Bolada", uma jogada virtual

Na “rede” virtual: “Dilma Bolada” x Dilma Roussef

Após quase três anos sem usar sua conta no Twitter, a presidente Dilma Rousseff voltou a usar sua conta no microblog (@dilmabr) dando uma entrevista ao perfil Dilma Bolada (@DiImabr, com "i" maiúsculo no lugar do "L" para se diferenciar). O último post havia sido em 13 de dezembro de 2010, antes mesmo da sua posse como presidente. Atualmente, o perfil de Dilma no Twitter segue 569 usuários e é seguido por 1,9 milhão.

Continuar lendo Na “rede” virtual: “Dilma Bolada” x Dilma Roussef