Lula diz que não respeitará decisão da Justiça ao formalizar pré-candidatura à Presidência

Ex-presidente conclama militância a defendê-lo nas ruas porque vai disputar para 'ganhar e governar' Um dia depois de ser condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) a 12 anos e um mês de prisão, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que não respeitará a decisão da Justiça. Em ato político que aprovou sua pré-candidatura ao Palácio do Planalto, nesta quinta-feira, Lula conclamou os militantes a uma ofensiva nas ruas para defendê-lo e pregou o enfrentamento político. "Esse ser humano simpático que está falando com vocês não tem nenhuma razão para respeitar a decisão de ontem", afirmou o ex-presidente, em reunião da Executiva Nacional do PT. "Quando as pessoas se comportam como juízes, sempre respeitei , mas quando se comportam como dirigentes de partido político, contando inverdades, realmente não posso respeitar. Senão perderei o respeito da minha neta de 6 meses, dos meus filhos e perderei o respeito de vocês." Lula chegou a se comparar a Jesus Cristo, ao afirmar que o filho de Maria e José foi condenado à morte sem provas. "Jesus Cristo foi condenado à morte sem dizer uma palavra, recém-nascido. E, se o José não corre, ele tinha sido morto. E olhe que não tinha empreiteira naquele tempo, não tinha Lava Jato", disse. Logo em seguida, porém, o ex-presidente se corrigiu: "Eu sei que a imprensa vai dizer 'Lula se compara a Jesus Cristo'. Longe disso". Com a voz que ficou embargada algumas vezes, o ex-presidente fez questão de destacar que retomará as caravanas pelo Brasil, depois do Carnaval, mas conclamou o PT e os movimentos sociais a ajudá-lo no embate nas ruas. "Espero que a candidatura não dependa do Lula. Que vocês sejam capazes de fazê-la, mesmo se acontecer alguma coisa indesejável, e colocar o povo brasileiro em movimento", insistiu.

Continuar lendo Lula diz que não respeitará decisão da Justiça ao formalizar pré-candidatura à Presidência

Fui condenado por um apartamento que não tenho, diz Lula em ato na República

Lula falou pouco mais de vinte minutos no ato na praça da República. Criticou a decisão do TRF-4, citou realizações do governo, e se comparou com Nelson Mandela e Tirandentes. "Esse ato não é de eleição. Ele é infinitamente maior que a eleição. É um ato pela soberania nacional", disse. O petista falou ainda que nunca teve nenhuma ilusão com a decisão do tribunal. "Houve um pacto com o poder Judiciário e imprensa, de que era hora de acabar com o PT. Eles não admitiam mais a ascensão social das pessoas em desenvolvimento." No discurso, citou realizações do governo, como expansão do ensino superior e do crédito e os programas Ciências Sem Fronteiras e Minha Casa Minha Vida. Segundo Lula, a decisão do TRF-4 foi baseada em mentiras. O ex-presidente reforçou que não há provas contra ele. "Quero que eles digam qual foi o crime que cometi. Estou condenado outra vez por um apartamento que eu não tenho", afirmou. "Se me condenaram, me deem pelo menos o apartamento. Já pedi pro Guilherme Boulos mandar o pessoal dele ocupar. Já que é meu, que ocupem."

Continuar lendo Fui condenado por um apartamento que não tenho, diz Lula em ato na República

Calma! Nem tudo está perdido para Lula, que não será preso de imediato e até poderia sair candidato…

Ainda restam recursos no campo jurídico e político para que o petista tente responder a condenação em liberdade e concorrer à Presidência O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado por unanimidade pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) a 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do Tríplex. Veja abaixo o que acontece a partir de agora no terreno jurídico e político com o ex-presidente: A defesa tem prazo de dois dias após a publicação do acórdão para fazer um embargo de declaração. O recurso serve para esclarecer pontos omissos ou contraditórios da decisão, mas suspende os efeitos do julgamento. Após o julgamento do TRF-4, é possível apresentar recursos tanto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ)? E quanto ao Supremo Tribunal Federal (STF)? A decisão do STF-4 pode ser suspensa? Sim. Para apontar decisões ou atos do processo que violem princípios como os da ampla defesa e outros. Esse recurso deve ser apresentado ao presidente do TRF-4, que pode decidir pela admissibilidade ou não Lula e seus advogados podem encaminhar Recurso Especial ao STJ? Sim. Esse tipo de recurso questiona decisões e atos que violem dispositivos constitucionais ou ofensas à Constituição. Pode questionar o próprio STF de que a pena deve começar a ser cumprida a partir da 2ª instância. Recurso extraordinário pode ser apresentado ao STJ, acompanhado de pedido de liminar, para tentar impedir a execução da pena. Caso a liminar ao STJ seja indeferida, pode ser apresentado o pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF). Mas ainda existem outras saídas nos campos jurídico e político... ACESSEI LEIA MAIS E VEJA...

Continuar lendo Calma! Nem tudo está perdido para Lula, que não será preso de imediato e até poderia sair candidato…

Grande parte da Nação chora a confirmação da condenação de Lula, acusado de corrupção

O ex-presidente Lula foi julgado pela 8.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) nesta quarta-feira, 24. Todos os desembargadores já votaram e seguiram a decisão do juiz Sérgio Moro, que já havia condenado Lula na primeira instância. Os desembargadores ampliaram a pena do ex-presidente de 9 anos e seis meses para 12 anos e 1 mês. Ainda cabe recurso por parte da defesa. Em todo o Brasil, o dia foi de manifestações, a favor e contra Lula. Mesmo prevendo o resultado do julgamento, a maioria dos petistas e simpatizantes do ex=presidente está inconformada e promete continuar a luta em defesa do seu líder. Porto Alegre Em Porto Alegre, o coordenador nacional do Movimento Brasil Livre (MBL), Kim Kataguiri, afirmou que o tribunal que condenou em segunda instância o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva cumpriu o que se esperava dele. "Agora, temos um poderoso abaixo da lei", disse o jovem. Kataguiri contemporizou o fato de os protestos convocados pelo MBL terem tido baixa adesão. "O momento é diferente. O que acontece é algo natural. O que vem ocorrendo é uma institucionalização do movimento", afirmou o líder do MBL, que nas próximas eleições, em outubro, vai lançar candidatos a deputado federal e estadual. O próprio Kataguiri confirmou que será candidato a uma vaga na Câmara dos Deputados, mas ainda não definiu por qual partido.

Continuar lendo Grande parte da Nação chora a confirmação da condenação de Lula, acusado de corrupção

Relator condena e aumenta pena de Lula para 12 anos e 1 mês de prisão. Segue a sessão do TRF-4, e ainda faltam dois votos

O desembargador Pedro Gebran Neto, relator da Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, deu na manhã desta quarta-feira, 24, o primeiro voto no julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no caso do triplex do Guarujá, no qual considerou o petista culpado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro e recomendou uma pena total de 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado, maior que a pena de 9 anos e seis meses estabelecida pelo juiz Sérgio Moro. Durante um largo voto, que durou mais de 3h horas, Gebran Neto rejeitou os pedidos da defesa que tentavam questionar a competência do juiz Sergio Moro e da 8ª Turma de Curitiba para julgar Lula. Ele também considerou existir provas de que o triplex era do ex-presidente e a reforma foi feita no apartamento no Guarujá. como compensação da empreiteira OAS para obter contratos com o governo federal. O julgamento começou às 8h30 com a e leitura do processo. Durante ela, o desembargador Pedro Gebran Neto lembrou que ex-primeira-dama Marisa Letícia, que inicialmente também era acusada, mas foi retirada após sua morte. Ele também lembrou que quatro réus foram absolvidos por Sérgio Moro: Paulo Okamotto, Paulo Roberto Gordilho, Roberto Moreira Ferreira e Fábio Hori Yonamine. O MPF recorreu da absolvição dos três últimos. O procurador da República da 4.ª Região Mauricio Gotardo Gerum afirmou no começo da sessão que ‘lamentavelmente, Lula se corrompeu’. O investigador falou durante cerca de 20 minutos no julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro e outros cinco réus pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4). O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Lula, afirmou nesta quarta-feira, 24, ‘que o tríplex não é do ex-presidente Lula’. Segundo o defensor, que falou durante cerca de 15 minutos no julgamento do petista, perante o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), Lula ‘também não tem a posse’ do imóvel do Guarujá, no litoral de São Paulo.

Continuar lendo Relator condena e aumenta pena de Lula para 12 anos e 1 mês de prisão. Segue a sessão do TRF-4, e ainda faltam dois votos
É hoje, companheiro! Julgamento do recurso de Lula pelo TRF-4 prende a atenção do país
HR SÃO PAULO/SP20/12/2017 - ENTREVISTA LULA POLITICA - Entrevista com o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, no Instituto Lula, na zona sul de São Paulo. Foto: HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO

É hoje, companheiro! Julgamento do recurso de Lula pelo TRF-4 prende a atenção do país

Tribunal da Lava Jato, a partir de 8h30, julga recurso do ex-presidente contra a condenação de 9 anos e seis meses imposta pelo juiz Sérgio Moro no processo do famoso triplex; País angustiado e apreensivo se divide sobre o futuro do petista; muitos o imaginam algemado, outros querem sua absolvição e caminho aberto na arena política A partir de 8h30, o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), o Tribunal da Lava Jato, sediado em Porto Alegre, começa a decidir a sorte de Lula Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no valor de R$ 2,2 milhões a 9 anos e 6 meses de prisão no processo envolvendo o triplex do Guarujá. A decisão, de julho do ano passado, considerou que havia provas de que o imóvel era parte da propina destinada ao petista pela empreiteira OAS. Foi a primeira vez que um ex-presidente da República sofreu condenação por crime comum no Brasil. Lula nega que tenha aceitado o imóvel da construtora e apela por sua absolvição. O ex-presidente será julgado pela 8.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4). Os desembargadores Gebran Neto, relator do caso, Leandro Paulsen e Victor dos Santos Laus decidirão o futuro de Lula. Se a decisão do juiz Sérgio Moro for mantida, Lula pode ficar inelegível e ter prisão decretada. Também serão julgados o ex-presidente da OAS José Adelmário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro, Agenor Franklin Magalhães Medeiros, ambos condenados, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, Paulo Roberto Valente Gordilho, Roberto Moreira Ferreira e Fabio Hori Yonamine – estes quatro inocentados no julgamento do ano passado. Saiba como será o julgamento e o que a defesa alega aqui.

Continuar lendo É hoje, companheiro! Julgamento do recurso de Lula pelo TRF-4 prende a atenção do país

Lula ataca presidente do TRF-4 e diz que Sérgio Moro deve ser exonerado

No Rio, ex-presidente participa de encontro com artistas e intelectuais Com artistas, intelectuais e militantes de esquerda, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou nesta terça-feira de um encontro no teatro Oi Casa Grande, no Leblon, e atacou o presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Carlos Eduardo Thompson Flores. Na semana que vem, a corte vai julgar o recurso da defesa de Lula contra a condenação no caso do tríplex do Guarujá. — Não vou falar mal dos juízes de Porto Alegre porque não os conheço. Acho estranho o presidente do tribunal não ter lido a sentença e ter falado que era irretocável. Estranhei um cara (desembargador) ler não sei quantas mil páginas em poucos dias, mas, como tem leitura dinâmica, pode ser. O que me chamou atenção foi que esse cidadão vai a Brasília pedir proteção da Suprema Corte, no Temer, no Etchegoyen, sem dizer quem está ameaçando. Esse cidadão é bisneto do general Thompson Flores, que invadiu Canudos e matou Antônio Conselheiro. É da mesma linhagem. Quem sabe esteja me vendo como cidadão de Canudos — provocou. Lula sugeriu ainda que o juiz Sergio Moro, que o condenou, deveria ser exonerado, pelo “bem do serviço público”.

Continuar lendo Lula ataca presidente do TRF-4 e diz que Sérgio Moro deve ser exonerado