Sérgio Cabral recorre ao STF para evitar transferência a presídio federal
07-05-2010; Rio de Janeiro; O governador Sérgio Cabral, na Instalação do serviço da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Borel; Foto: Shana Reis

Sérgio Cabral recorre ao STF para evitar transferência a presídio federal

O juiz Marcelo Bretas determinou a mudança do ex-governador do Rio para Campo Grande na última segunda-feira (23/10)  O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral entrou, na tarde desta segunda-feira (30/10), com pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar impedir sua transferência a um presídio federal, depois de ter recurso negado pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ). Na petição, os advogados pedem que Cabral continue na unidade prisional de Benfica, no Rio de Janeiro, e afirmam que levá-lo para Campo Grande poderia colocar a segurança do ex-governador em risco. O mesmo pedido já foi rejeitado por todas as instâncias da Justiça. “Aliado a tudo isso, está o fato de que o presídio federal eleito para receber o ex-governador, em Mato Grosso do Sul, abriga dez criminosos oriundos do Rio de Janeiro, dentre os quais certamente estão alguns dos meliantes para lá transferidos por iniciativa ou provocação do próprio Sérgio Cabral”, argumenta a defesa. A determinação de transferir Cabral veio após pedido do Ministério Público Federal (MPF) ao juiz Marcelo Bretas da 7ª Vara Federal Criminal. De acordo com o procurador Sérgio Pinel, o ex-governador demonstrou, em depoimento, que está recebendo informações indevidas na cadeia

Continuar lendo Sérgio Cabral recorre ao STF para evitar transferência a presídio federal
O fecho se cerca! Supremo autoriza quebra dos sigilos bancário e fiscal de Edison Lobão
Edison Lobão: o cerco e fecha...

O fecho se cerca! Supremo autoriza quebra dos sigilos bancário e fiscal de Edison Lobão

SENADOR É INVESTIGADO NA LAVA JATO POR SUSPEITA DE RECEBER PROPINA QUANDO ERA MINISTRO DAS MINAS E ENERGIA O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a quebra dos sigilos fiscal e bancário do senador Edison Lobão (PMDB-MA) englobando o período de 2011 a 2015. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do STF. A quebra dos sigilos foi solicitada pela Polícia Federal e concedida em 10 de dezembro de 2015, antes do início do recesso do Judiciário. Zavascki também permitiu a quebra dos sigilos de André Serwy, suposto operador do senador, e de empresas ligadas ao senador. Ex-ministro de Minas e Energia, Lobão é investigado no âmbito da Operação Lava Jato por suposto recebimento de propina nas obras da usina nuclear de Angra 3. Ao G1, o advogado de Lobão, Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, afirmou que o senador já tinha colocado os sigilos à disposição da Justiça. "Na realidade, o próprio ministro colocou à disposição da Polícia Federal e do Ministério Público, quando foi depor, o seu sigilo fiscal e todos os demais. Esta determinação não nos surpreende e está ao encontro do que ele próprio propôs como senador da República", afirmou o advogado. Em depoimento sob delação premiada concedido em maio do ano passado aos investigadores da Lava Jato, o dono da construtora UTC, Ricardo Pessoa, disse que, na época em que Lobão era ministro, pagou a ele R$ 1 milhão, a fim de que o consórcio integrado pela UTC obtivesse o contrato de parte da obra da usina de Angra 3. O funcionamento da usina Angra 3 está previsto para ter início em 2018. O custo total da obra é de mais de R$ 15 bilhões. Segundo a delação premiada de Pessoa, Lobão indicou André Serwy para receber o dinheiro em nome dele. De acordo com investigadores da Lava Jato, Lobão tinha uma relação de proximidade com a família de Serwy, que o chamava de "meu tio".

Continuar lendo O fecho se cerca! Supremo autoriza quebra dos sigilos bancário e fiscal de Edison Lobão