De guerras a robôs: Os 7 perigos que podem provocar uma catástrofe global

Da BBC Mundo Milhões de pessoas morreram em meados do primeiro milênio da era cristã, entre os anos de 541 e 542, por causa da Praga de Justiniano, uma doença que afetou o Império Bizantino e várias partes da Europa, Ásia e África. Séculos depois, dezenas de milhões de pessoas morreram devido à peste negra. Essa pandemia se espalhou pelo continente europeu entre os anos de 1347 e 1351 e causou um número de óbitos maior do que qualquer guerra ou epidemia ocorridas até aquele momento. A doença chegou até a China, parte do Oriente Médio e norte da África. Os dois eventos resultaram na morte de mais de 10% da população mundial da época. Segundo a definição usada pela consultoria Global Challenges Foundation (GCF), essas epidemias entrariam na categoria de catástrofe global. A GCF tem sede em Estocolmo, na Suécia, e se dedica a analisar as grandes ameaças mundiais. E, em seu relatório Riscos Catastróficos Globais 2016, afirma que o risco de uma calamidade desse tipo acontecer nos nossos tempos não pode ser menosprezado. "É fácil se deixar confundir pelas aparentemente baixas probabilidades de eventos catastróficos", afirma o relatório, acrescentando que as "pequenas probabilidades se combinam (...) no longo prazo". O documento da fundação faz uma análise dos sete principais riscos de uma catástrofe global. Veja quais são:

Continuar lendo De guerras a robôs: Os 7 perigos que podem provocar uma catástrofe global

Polícia prende sete suspeitos de matar jovem em ritual de magia negra

Homem de 20 anos foi brutalmente assassinado durante processo de inicialização de uma seita religiosa em Caxias O Dia Agentes da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) cumpriram, nesta sexta-feira, (16) sete mandados de prisão preventiva contra acusados de fazer parte de uma seita de rituais de magia negra que matou com requintes de crueldade um jovem de 20 anos durante um "processo de inicialização" em Xerém, Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Eles foram indiciados pelo crime. Segundo as investigações da especializada, conduzidas pelo delegado Fábio Cardoso, Dener dos Santos Perez teve a cabeça coberta por um capuz encharcado de cachaça e foi agredido por várias pessoas da seita por quatro horas. Durante o ritual, ocorrido entre a noite do dia 5 e madrugada do dia 6 de setembro, o jovem foi atingido por golpes de madeiras, correntes, facas, socos, chutes e joelhadas, além dele ter sido queimado com um charuto. A vítima também teria sido embriagada durante o processo. teria sido morta após ser atingida por um "chute de misericórdia". O corpo foi abandonado em uma "posição ritualística" em um terreno baldio próximo a sede da seita, em Xerém. Na operação de hoje, chamada de "Black Magic", foram presos Salvador Almeida Filho, de 49 anos, Marcília Nogueira da Silva, de 45 anos, Laís Cristina Silva de Almeida, conhecido como “Lalá”, de 25 anos, Evandro Garcia Mattos, de 38 anos, Ismael Santos de Souza, de 31 anos, Luiz Cláudio Gualberto dos Santos Ribeiro, 43 anos, e Luciano Duarte de Melo, de 39 anos, todos integrantes da seita religiosa.

Continuar lendo Polícia prende sete suspeitos de matar jovem em ritual de magia negra
PF pede 30 indiciamentos contra 22 pessoas envolvidas na 11ª fase da Lava Jato
Lava Jato - Os ex-deputados André Vargas (sem partido), Pedro Corrêa (PP-PE) e Luiz Argôlo (SDD-BA), os ex-deputados indiciados

PF pede 30 indiciamentos contra 22 pessoas envolvidas na 11ª fase da Lava Jato

Após concluir sete inquéritos que apuraram a responsabilidade criminal de ex-parlamentares presos na 11ª fase da Operação Lava Jato, a Polícia Federal encaminhou 30 indiciamentos, contra 22 pessoas, ao Ministério Público Federal (MPF). Dentre eles estão os ex-deputados André Vargas (sem partido), Pedro Corrêa (PP-PE) e Luiz Argôlo (SDD-BA), que estavam entre os sete presos desta etapa. A PF não informou os nomes dos demais indiciados. Nesta etapa, foram presas sete pessoas: André Vargas, ex-deputado pelo PT, preso em Londrina; Leon Vargas, irmão de André Vargas, preso em Londrina; Luiz Argôlo (SDD-BA), ex-deputado, preso em Salvador; Élia Santos da Hora, secretária de Argôlo, presa em Salvador; Pedro Corrêa (PP-PE), ex-deputado que já cumpre prisão pelo mensalão do PT no Centro de Ressocialização do Agreste (CRA), em Canhotinho (PE), em regime semiaberto; Ivan Mernon da Silva Torres, preso em Niterói; e Ricardo Hoffmann, diretor de uma agência de publicidade em Curitiba, preso em Brasília.

Continuar lendo PF pede 30 indiciamentos contra 22 pessoas envolvidas na 11ª fase da Lava Jato
dois condenados do mensalão ainda devem se apresentar em MG; 5 já se entregaram
Sede da Polícia Federal em Belo Horizonte, onde condenados do mensalão se entregaram nesta tarde

dois condenados do mensalão ainda devem se apresentar em MG; 5 já se entregaram

Folha On Line Sete dos condenados pelo STF no julgamento do mensalão devem se apresentar ainda nesta sexta-feira (15) na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte (MG). É no Estado onde atuava o chamado núcleo operacional do esquema, sob o comando do publicitário Marcos Valério. O primeiro a se apresentar à PF foi Cristiano de Mello Paz (ex-sócio-presidente das empresas SMP&B e da Graffiti). Em seguida, por volta das 18h40, se apresentou Simone Vasconcelos, ex-diretora da SMP&B. Ela chegou à PF por volta das 18h40, ao lado do advogado Leonardo Isaac Yarochewsky, e não deu declarações à imprensa. Por volta das 19h25, se entregou o ex-deputado Romeu Queiroz. A última a se entregar foi a ex-presidente do Banco Rural Kátia Rabello, por volta das 19h50. Além de Simone, Paz, Queiroz e Rabello, devem ser apresentar na capital mineira Marcos Valério (operador do esquema), Ramon Hollerbach Cardoso (ex-sócio de Marcos Valério) e José Roberto Salgado (ex-diretor do Banco Rural).

Continuar lendo dois condenados do mensalão ainda devem se apresentar em MG; 5 já se entregaram

TCU recomenda paralisação de sete obras pagas com recursos federais

G1 Globo Ferrovia Norte-Sul, mais uma vez, faz parte do pacote de desvio do dinheiro público O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou nesta quarta-feira (6) relatório que recomenda ao Congresso a paralisação de 7 obras executadas com recursos do governo federal devido a irregularidades graves encontradas durante fiscalização. Em relação a outras 8 obras, o TCU recomenda ao Congresso o bloqueio de parte dos recursos, também por conta de irregularidades – neste caso, a decisão não implica necessariamente na interrupção dos trabalhos. As informações constam do Fiscobras de 2013, relatório que consolida as fiscalizações realizadas por técnicos do tribunal nas principais obras públicas por determinação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). O TCU apenas faz as recomendações. Cabe ao Congresso acatá-las ou não. Foram feitas pelo menos 136 fiscalizações e, de acordo com o tribunal, elas resultaram em uma economia que já soma R$ 484 milhões em recursos públicos, mas que pode chegar a R$ 1,2 bilhão.

Continuar lendo TCU recomenda paralisação de sete obras pagas com recursos federais
Governo  anuncia  auxilio a famílias dos maranhenses mortos em SP
Maranhenses mortos ficaram sob esses escombros

Governo anuncia auxilio a famílias dos maranhenses mortos em SP

O governo do Estado divulgou, hoje, (29) nota de pesar e solidariedade às famílias dos sete maranhenses mortos, soterrados no desabamento de prédio, em São Paulo. Da mesma forma, a nota fala em auxílio do governo para o custeio de despesas básicas, necessárias num momentos desses. Os corpos chegam hoje a Imperatriz.

Continuar lendo Governo anuncia auxilio a famílias dos maranhenses mortos em SP