PF desarticula quadrilha que fraudava seguro-desemprego no Maranhão, Goiás e Tocantins
Polícia Federal cumpre mandado de prisão na casa de um dos suspeitos em Palmas (Foto: Divulgação/PF)

PF desarticula quadrilha que fraudava seguro-desemprego no Maranhão, Goiás e Tocantins

NO MARANHÃO, A PF EFETUA TRÊS PRISÕES E DOIS MANDADOS DE BUSCA E APREENSÃO A Polícia Federal desencadeou hoje (23) a operação Xeque Duplo*, com o objetivo de desarticular organização criminosa especializada em fraudar benefícios de seguro desemprego que atuava em Tocantins, Goiás e Maranhão. Segundo a assessoria de comunicação da PF até às 8h40 desta quinta-feira, a polícia tinha cumprido 10 mandados de prisão no Tocantins, três em Goiás e três no Maranhão. Além disso, 15 mandados de busca e apreensão no estado tocantinense, quatro em Goiás e dois no Maranhão. Os indícios colhidos nas investigações demonstram que os criminosos tinham acesso ao sistema do Ministério do Trabalho e Emprego, realizavam inserção fraudulenta de requerimentos de seguro desemprego, utilizando dados de PIS de trabalhadores reais e fictícios e, posteriormente, sacavam as parcelas do benefício, mediante uso de documentação falsificada pela própria organização. Para a fraude, alguns empregados eram “criados” virtualmente através de inserção de dados falsos referentes a empresas “laranjas.” A investigação aponta os crimes de organização criminosa, estelionato, falsificação de documento, uso de documento falso, falsidade ideológica, inserção de dados falsos em sistemas e lavagem de dinheiro. A PF informou ainda que além da operação Xeque Duplo, foi realizada outra, a Duas Caras. Esta se refere a fraude praticada por dois integrantes da mesma organização criminosa. Eles agiam com a participação de terceiros e tentavam enganar a própria Justiça. Criavam um processo em que contestavam um saque do seguro-desemprego. Depois, os dois suspeitos ingressavam com ação por danos morais na Justiça Federal contra a Caixa Econômica Federal.

Continuar lendo PF desarticula quadrilha que fraudava seguro-desemprego no Maranhão, Goiás e Tocantins