Sarney diz que impeachment ‘não tem sentido’: Dilma é ‘sacerdotisa do serviço público’
Sarney, sempre governo, defendendo o governo Dilma. Até quando?

Sarney diz que impeachment ‘não tem sentido’: Dilma é ‘sacerdotisa do serviço público’

Em meio à crescente pressão sobre o governo Dilma Rousseff, o ex-presidente José Sarney saiu em defesa da presidente e disse que o impeachment reivindicado por parte da sociedade "não tem nenhum sentido". "Isso não tem nenhum sentido. É apenas uma reminiscência do impeachment do Collor. Mas isso [o impeachment] não ocorre de nenhuma maneira com a presidente Dilma", afirmou Sarney, em entrevista exclusiva à BBC Brasil. "Pelo contrário, [Dilma] é uma pessoa que tem feito um esforço extraordinário na Presidência e ao mesmo tempo é uma sacerdotista do serviço público, porque ela é uma mulher que tem tido um trabalho imenso e tem se dedicado de corpo e alma a sua tarefa", completou. Isso [impeachment] não tem nenhum sentido. É apenas uma reminiscência do impeachment do Collor. Mas isso não ocorre de nenhuma maneira com a presidente Dilma." Collor, o primeiro presidente eleito por votação direta após a ditadura militar, em 1989, renunciou três anos depois, pressionado diante de denúncias de corrupção que o implicavam diretamente. No caso de Dilma, não há provas ou indícios concretos de que ela tenha se envolvido diretamente em algum crime. No entanto, o escândalo de corrupção da Petrobras e o fraco desempenho da economia têm levado ao descontentamento da população com a presidente, cuja popularidade atingiu seu nível mais baixo em fevereiro – apenas 23% de aprovação, segundo o Datafolha. Nesse contexto, segmentos da sociedade vêm defendendo seu impeachment. Primeiro presidente civil após a ditadura (1964-1985), Sarney recebeu a reportagem da BBC Brasil no final de fevereiro em sua casa, à beira do lago Paranoá, em Brasília, para uma entrevista sobre os 30 anos da redemocratização do país. A segunda parte será publicada na sexta-feira.

Continuar lendo Sarney diz que impeachment ‘não tem sentido’: Dilma é ‘sacerdotisa do serviço público’