Reforma trabalhista encolhe festa de centrais sindicais no Dia do Trabalho
FR12 SÃO PAULO - SP - 30/04/2018 - ECONOMIA - FESTA 1° DE MAIO - Montagem do palanque onde será realizado a festa 1º de maio, amanhã na praça Campo de Bagatelle. FOTO: FELIPE RAU/ESTADÃO

Reforma trabalhista encolhe festa de centrais sindicais no Dia do Trabalho

Na primeira comemoração do Dia do Trabalho após a entrada em vigor da nova legislação trabalhista, a festa encolheu, um efeito principalmente do fim da contribuição sindical obrigatória. O evento que tradicionalmente reúne o maior público na data, realizado pela Força Sindical em São Paulo, perdeu R$ 500 mil em investimento. Na festa anterior foram gastos R$ 2,5 milhões, valor que, na média, vinha sendo mantido havia alguns anos. “Os sindicatos, que também bancam parte da festa, estão sem condições financeiras”, justificou o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna. Este ano, o número de carros a serem sorteados, um dos grandes atrativos do evento que já chegou a ter público de mais de 1 milhão de pessoas, também diminuiu, e haverá menos “estrelas” se apresentando no palco hoje. A Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) também sentiu a mudança de cenário. Depois de ter feito uma festa grandiosa no Sambódromo de São Paulo no ano passado, com cantores como Emicida e Fernando & Sorocaba, a central não programou evento para hoje. “A ideia era repetir o formato (da comemoração), mas a reforma afetou nossa estrutura”, disse Álvaro Egea, secretário-geral da CSB.

Continuar lendo Reforma trabalhista encolhe festa de centrais sindicais no Dia do Trabalho