MP move ação civil pública contra Roseana por suspeita de propina no pagamento à Constran
Roseana Sarney e seu ex-secretário da Casa Civil, João Abreu, o único penalizado até agora...

MP move ação civil pública contra Roseana por suspeita de propina no pagamento à Constran

Demorou, mas veio. Nesta sexta-feira, 5, tornou-se público que o promotor Lindonjhonson Gonçalves de Sousa, da 28ª Promotoria de Justiça Especializada de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa ajuizara, dia 28 de abril, ação civil pública (ACP) por ato de improbidade administrativa contra a ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney (PMDB) e mais 11 pessoas. Motivo: pagamento de precatório de R$ 33 milhões ao consórcio Constran/UTC, numa história mau cheirosa que repercutiu em todo o Brasil, e que foi um dos pilares para a deflagração da operação Lava Jato – com a prisão do doleiro Alberto Youssef - que vem prendendo corruptos de colarinho branco e tirando o de centenas de outros já citados. O pedido de ACP contra Roseana Sarney e outras 11 pessoas foi ajuizado junto a 1ª Vara da Fazenda Pública de São Luís cuja titular é a juíza Luzia Madeiro Nepomuceno. Conforme a peça do Ministério Público no pedido da ação civil pública, esse pagamento ao consórcio Constran/UTC teria sido feito “fora da ordem legal do precatório” (‘furando a fila’), mediante pagamento de “vantagem financeira pessoal” (propina) de R$ 3 milhões à então governadora Roseana, por meio de seu secretário da Casa Civil, João Abreu, que teria recebido tal quantia do doleiro Alberto Youssef (a serviço da Constran/UTC) nas dependências do próprio Palácio dos Leões (sede do governo do Maranhão). Mas a dívida do governo maranhense para com o consórcio Constran/UTC chegaria a R$ 113 milhões. A dívida seria relativa a “supostas obras do consórcio de empreiteiras na estrada federal BR-230, durante o mandato do ex-governador, já´falecido, Luís Roch. Segundo relata o MP na ação, o acordo fechado entre o governo do Maranhão e a Constran/UTC seria o pagamento dos R$ 113 milhões, transformados em precatório, em parcelas mensais de R$ 4,7 milhões. Mas a primeira bolada, com suspeita de propinagem e tudo o mais, atingira a espantosa cifra de R% 33 milhões. Por conta dessa mesma operação, o secretário da Casa Civil do governo de Roseana Sarney, João Abreu, chegou a ser preso, mas solto através de habeas corpus. Além da ex-governadora Roseana Sarney, a Ação Civil Pública ajuizada pelo Ministério Público do Maranhão atinge incluiu as pessoas físicas e jurídicas: (LEIA MAIS) A verdade é que até agora, tirando uns dias de cadeia para João Abreu, ninguém foi punido. Restou ao Ministério Público do Maranhão ajuizar ação civil pública para que tudo não caia no esquecimento.

Continuar lendo MP move ação civil pública contra Roseana por suspeita de propina no pagamento à Constran

Relatório técnico da Sinfra aponta a situação critica do “Anel da Soja”

Anunciada em março de 2014, na gestão da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) como a maior obra rodoviária do Estado, o “Anel da Soja” possui trechos praticamente intrafegáveis. Na MA 006, uma das rodovias estaduais integrantes deste empreendimento, a situação é deplorável, principalmente no trecho situado entre as cidades de Balsas e Tasso Fragoso. Relatório técnico feito pela Secretaria Estadual de Infraestrutura (Sinfra) informa que no trecho entre Balsas e Tasso Fragoso, o cenário é crítico com a proliferação de buracos provocando várias crateras na pista. O relatório analisou um trecho de 140 km desta rodovia MA 006, que no projeto anunciado em 2014 constava como parte integrante da segunda etapa de obras do “Anel da Soja” cujos investimentos divulgados pela gestão anterior foram estimados em R$ 765 milhões. Os recursos para financiar esta obra foram obtidos junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) sendo complementados com verbas do orçamento estadual. No caso específico desta rodovia foram aplicados recursos do estado.

Continuar lendo Relatório técnico da Sinfra aponta a situação critica do “Anel da Soja”
A reportagem do Jornal Nacional da Globo sobre o “enriquecimento do Maranhão” propalado por Roseana
Reportagem compara suntuosidade do Palácio dos Leões com pobreza das palafitas de São Luís

A reportagem do Jornal Nacional da Globo sobre o “enriquecimento do Maranhão” propalado por Roseana

Desigualdades também se refletem na segurança. Estado tem um PM para cada 916 habitantes, enquanto São Paulo tem um para cada 462. A capital do Maranhão ganhou as manchetes nas últimas semanas depois de uma onda de violência nos presídios do estado. Presos foram mortos por companheiros de cela. De dentro da penitenciária de Pedrinhas, partiram ordens para que ônibus fossem incendiados. Uma garota de seis anos morreu queimada. Uma semana depois, a governadora Roseana Sarney, do PMDB, se pronunciou sobre os ataques. A primeira entrevista da governadora foi depois uma reunião com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Ela associou o aumento da violência, ao crescimento econômico do estado: - “É um estado que está se desenvolvendo, um estado que está crescendo. E um dos problemas que está piorando a segurança é que o estado está mais rico, mais populoso também”, disse Roseana Sarney, governadora do Maranhão. O crescimento do Maranhão mencionado pela governadora, e a qualidade de vida da população do estado, são o assunto da reportagem de Tiago Eltz: “De fato, é verdade: o Maranhão ficou mais rico. De acordo com os últimos números do IBGE, o PIB do estado cresceu 15,3% entre 2010 e 2011. Bem acima do crescimento do Brasil no mesmo período, que foi de 2,7%. O problema é que esse crescimento não se traduziu em melhoria de vida para os moradores. O Maranhão é também um dos piores nos índices sociais do país. São Luís é uma cidade turística, com muitas praias. O palácio do governo, um prédio imponente, fica à beira-mar. De lá se tem uma visão privilegiada das desigualdades da cidade. VEJA A REPORTAGEM DO JORNAL NACIONA---->

Continuar lendo A reportagem do Jornal Nacional da Globo sobre o “enriquecimento do Maranhão” propalado por Roseana