Rodoviários ameaçam deflagrar greve geral de ônibus na próxima quarta-feira em São Luís

O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário no Estado do Maranhão (STTREMA) já ameaça deflagrar uma nova paralisação no setor, por tempo indeterminado. Em comunicado, o presidente da entidade, Gilson João Ribeiro Coimbra, afirma que diante do descumprimento da Cláusula Quarta da Convenção Coletiva de Trabalho vigente, no que tange ao não pagamento correspondente a 40% do salário ser pago até o dia 20 de cada mês, o sindicato resolveu decidiu, por unanimidade deflagrar greve geral. Segundo o presidente Gilson Coimbra, a paralisação está prevista para iniciar a zero hora da próxima quarta-feira, 25, caso não seja regularizada a situação.

Continuar lendo Rodoviários ameaçam deflagrar greve geral de ônibus na próxima quarta-feira em São Luís
Rodoviários, não faltem ao passageiro. Ele pode deixar de sentir a sua falta!
Com a greve, além das vans e dos "carrinhos" do chamado "transporte alternativo", centenas de veículos de transporte escolar foram às ruas transportar passageiros..

Rodoviários, não faltem ao passageiro. Ele pode deixar de sentir a sua falta!

Há um ditado que diz: “Não falte ao trabalho, pois o patrão pode não perceber a sua falta”. Isso pode aplicar-se perfeitamente à greve dos transportes coletivos, em São Luís: ontem era visível como o chamado transporte alternativo – táxis, moto-táxis, vans, micro-ônibus, carros de passeios, os “carrinhos”, antes restritos ao eixo Itaqui-Bacanga – estavam presentes em todos os bairros da cidade, do centro à periferia. E todos lotados de passageiros de vários destinos – trabalho, hospitais, compras, etc. O mercado é assim. Ninguém espera, indefinidamente, por uma solução, na forma de um prestador de serviços. Nos três primeiros dias, uma paralisação geral da circulação de ônibus causa transtornos inquestionáveis. E todos perdem: o trabalhador, o patrão e a população em geral. Em são Luís, calcula-se em mais de 600 mil o número de pessoas que se utiliza de transportes coletivos, diariamente. Mas 20 por cento desse total, não tendo ônibus para se deslocar, podem, perfeitamente, ficar em casa e nada acontece. Há também os que costumam deixar o carro em casa para pegar um coletivo, mas, na falta deste... Sem fiscalização, a turma dos alternativos botou o bloco na rua, literalmente. Até veículos de transporte escolar eram vistos transportando passageiros comuns. Alguns reclamavam do preço cobrado – até 5 reais por percurso -, mas se resignavam: melhor do que não ter essa alternativa. Aos sindicatos que representam patrões e empregados do transporte coletivo fica o alerta. Passa-se mal sem ele, mas se passa. E aos poucos o vazio vai sendo preenchido por outros meios. Afinal, o mundo não para.

Continuar lendo Rodoviários, não faltem ao passageiro. Ele pode deixar de sentir a sua falta!
Prefeitura manda fiscalizar cumprimento de determinação judicial para circulação de ônibus
Prefeitura quer 70% dos ônibus circulando, já.

Prefeitura manda fiscalizar cumprimento de determinação judicial para circulação de ônibus

SE A GREVE PERSISTIR, OS EMPRESÁRIOS DO SET TERÃO QUE CONTRATAR NOVOS MOTORISTAS E COBRADORES PARA GARANTIR CIRCULAÇÃO DE 70% DA FROTA DE ÔNIBUS Por determinação da Prefeitura de São Luís, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) fiscaliza o cumprimento da determinação do Tribunal Regional do Trabalho 16ª Região (TRT-MA) que obriga o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) a garantir a circulação de pelo menos 70% da frota. Caso haja resistência do movimento dos rodoviários à suspensão da greve, o SET é responsável pela contratação de motoristas, cobradores e fiscais, em regime temporário, para o suprimento do serviço. Pela determinação do TRT-MA, caso o SET descumpra a decisão judicial será aplicada multa diária no valor de R$ 100 mil. A desembargadora Solange Cristina Passos de Castro Cordeiro também ordenou a realização de perícia contábil, um estudo do contrato de concessão do sistema de transporte público, diante das alegações do SET de inviabilidade financeira para a retomada dos serviços. O sindicato patronal exigiu, como condicionante para o fim da greve, o aumento da passagem de ônibus e repasse de R$ 4 milhões para custeio de despesas pela Prefeitura de São Luís. A Secretaria Judiciária do TRT-MA deve elaborar uma lista de peritos para realizar a análise técnica na documentação do contrato de concessão, firmado entre o Município e as empresas de transporte. Dessa forma, segundo o decreto de ilegalidade da greve, a Justiça trabalhista pretende compreender a realidade desse contrato. No documento emitido pelo Tribunal, a desembargadora declara ainda a abusividade e ilegalidade do movimento grevista. O pedido de análise sobre a legalidade da greve do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário no Estado do Maranhão (Sttrema) foi solicitado pela Prefeitura de São Luís, através da Procuradoria Geral do Município (PGM), devido aos transtornos causados à população com a paralisação de toda a frota de coletivos.

Continuar lendo Prefeitura manda fiscalizar cumprimento de determinação judicial para circulação de ônibus
Terceiro dia de greve geral dos transportes. Em reunião no TRT, partes não chegam a um acordo
A reunião, no TRT, onde as partes envolvidas com a greve dos coletivos, em são Luís, não chegaram a um acordo para finalizar o movimento.

Terceiro dia de greve geral dos transportes. Em reunião no TRT, partes não chegam a um acordo

Não houve acordo entre o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (STTREMA), o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) e o…

Continuar lendo Terceiro dia de greve geral dos transportes. Em reunião no TRT, partes não chegam a um acordo
Assassinato de cobrador revolta  rodoviários. Prometem parar, de novo, dia 7
Muita gente foi para as rua, hoje, antes da hora, temendo uma paralisação...

Assassinato de cobrador revolta rodoviários. Prometem parar, de novo, dia 7

A morte de um cobrador de ônibus da empresa Primor, baleado sexta-feira (01), nas imediações do bairro do Ipase, em São Luís do Maranhão, revoltou a categoria dos rodoviários urbanos da capital. Hoje (5), motoristas e cobradores chegaram a programar uma paralisação do transporte coletivo da cidade, a partir das 17 horas, mas uma reunião no sindicato reprogramou o ato para quinta-feira (7). Os rodoviários estão cansados de contar a perda de colegas, assassinados no trabalho, por assaltantes armados. É uma estatística que só cresce, apesar da promessa do Sistema de Segurança Pública de que a situação vai melhorar. O Sindicato já contabiliza 600 assaltos a coletivos somente em 2013. A Secretaria de Segurança Pública reconhece, mas informou que, nos últimos meses, o número de ocorrências vem diminuindo. No Sindicato dos Rodoviários, o sentimento é de revolta e de indignação. Mas essa situação, é bom que se diga, atinge, também, os passageiros dos ônibus assaltados, que têm seus pertences levados e, muitas das vezes, também são agredidos com violência. Uma das providências que as autoridades estão prometendo é a utilização de aparelhos detectores de metais em passageiros nos terminais rodoviários para tentar identificar os marginais armados. Mas a categoria, desta vez, exige um maior comprometimento do governo estadual, responsável pela segurança pública, para dar um basta nessa série sinistra de mortes de motoristas e cobradores em São Luís.

Continuar lendo Assassinato de cobrador revolta rodoviários. Prometem parar, de novo, dia 7