Barulho nas estradas acordaTemer. Ele convoca reunião para discutir alta no preço dos combustíveis

O presidente Michel Temer (MDB) convocou para esta segunda-feira (21) uma reunião de emergência no Palácio do Planalto para discutir a alta dos preços dos combustíveis. A reunião, que estava marcada para as 18h, ocorre no momento em que o governo se vê desgastado politicamente pela paralisação por tempo indeterminado deflagrada hoje por caminhoneiros que bloqueiam rodoviais em dezoito estados do país.Foram chamados para participar da conversa com Temer os ministros de Minas e Energia, Moreira Franco, da Fazenda, Eduardo Guardia, da Casa Civil, Eliseu Padilha, e do Planejamento, Esteves Colnago, além do secretário da Receita Federal, Jorge Rachid. Pela manhã, os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciaram a criação, na próxima quarta-feira (23), de uma comissão-geral no Congresso, que acompanhará os desdobramentos da política de reajuste de preços de combustíveis no país. Nesta manhã, Guardia afirmou que o governo examina a redução de tributos incidentes sobre os combustíveis, mas ressaltou que não tem ainda nenhuma decisão sobre o assunto e que, neste momento, não há “flexibilidade fiscal”. Diante do desgaste político provocado pela paralisação de caminhoneiros em 18 estados, presidente se reúne com quatro ministros no Planalto O anúncio da paralisação dos caminhoneiros foi feito na última sexta-feira (18), em nota distribuída pela Associação Brasileira de Caminhoneiros (ABCam), após o fracasso nas negociações com o governo federal.

Continuar lendo Barulho nas estradas acordaTemer. Ele convoca reunião para discutir alta no preço dos combustíveis

Preço alto da gasolina faz brasileiros abastecerem no Paraguai

Motoristas do Mato Grosso do Sul realizaram um protesto neste domingo (3) Motoristas brasileiros do Mato Grosso do Sul cruzaram a fronteira para abastecer seus veículos no Paraguai, neste domingo (3), como forma de protesto. De acordo com o G1, o comboio era formado por pessoas de 12 cidades do sul do estado. O manifesto foi realizado em um posto da Avenida Brasil, a principal de Pedro Juan Caballero. Lá, o valor da gasolina é de R$ 2,65, enquanto no Brasil o litro já ultrapassa R$ 4,20. Os idealizadores do Movimento Combustível Justo afirmam que o ato é para mostrar que mesmo que o combustível vendido no Paraguai seja originado no Brasil, o preço no país vizinho é consideravelmente menor. "Queremos mostrar a realidade de um país onde existe um imposto único. No Brasil nós estamos sendo assaltados pela alta carga tributária. Não dá para pagarmos uma conta que é da corrupção. Nossa luta é uma luta do povo, sem patrocínio parlamentar", explicou Sindoley Luiz Souza, advogado.

Continuar lendo Preço alto da gasolina faz brasileiros abastecerem no Paraguai

Centrais sindicais farão paralisação na sexta contra reformas

Entidades planejam manifestações com a intenção é chamar a atenção para mudanças na lei trabalhista e na Previdência que afetam a vida dos trabalhadores Por Felipe Machado access_time 8 nov 2017, 10h14 - Publicado em 8 nov 2017, 10h09 more_horiz Fora Temer Manifestantes de centrais sindicais em Brasília (Paulo Whitaker/Reuters) As centrais sindicais farão paralisações e manifestações na sexta-feira em protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência. A mobilização ocorrerá um dia antes de as mudanças na CLT entrarem em vigor. A ideia é chamar atenção para alterações das normas que interferem na vida dos trabalhadores. Poupa Tempo - Carteiras de trabalho - Desemprego - Emprego- Economia Economia Reforma: funcionário pode reduzir almoço e ‘guardar’ as horas? As entidades estão organizando atos – como passeatas – em todos os estados. A avaliação das instituições é de que as mudanças já aprovadas e as em discussão no Congresso são prejudiciais, porque retiram direitos conquistados. Estão previstas também assembleias e mobilizações em frente às empresas, no começo do dia, e interrupção de atividades por períodos curtos, de até uma hora. Em São Paulo, a estimativa das centrais é que o protesto reúna cerca de 20.000 pessoas. Está programada uma marcha da Praça da Sé até a Avenida Paulista. Segundo o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna, a ideia é conscientizar sobre os prejuízos que as reformas trazem. “É um protesto geral. Acredito que a grande manifestação acontecerá quando a reforma da Previdência for colocada em votação, embora haja gente [das centrais] que pense de maneira diferente”, disse à VEJA. Além da Força Sindical, participam da organização CUT, UGT, Nova Central, , Intersindical, CTB, Conlutas.

Continuar lendo Centrais sindicais farão paralisação na sexta contra reformas

Delegados de polícia entregam cargos em protesto e 99 cidades do Piauí são afetadas

A categoria reclama de excesso de trabalho, falta de remuneração para cargos de chefia e de confiança, além de falta de estrutura O Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Piauí (Sindepol) anunciou nessa segunda-feira (10) a entrega de funções em 22 delegacias regionais, atingindo 99 municípios (veja lista abaixo). A categoria reclama de excesso de trabalho, falta de remuneração para cargos de chefia e de confiança, além de falta de estrutura. Em nota, o sindicato informou que a partir de agora os delegados que trabalham em distritos que atendem a vários municípios, não mais farão o deslocamento para outras cidades. Investigações, solicitações de diligências e demais pedidos à justiça que necessitem de um delegado, não irão acontecer. Contudo, a população pode buscar as delegacias regionais, pois a entrega de cargos deixa disponível o registro de boletins de ocorrência, incluindo flagrantes. A cidades sede são: Esperantina, Luzilândia, Piripiri, Campo Maior, Água Branca, Valença do Piauí, Elesbão Veloso, Oeiras, Picos, Fronteiras, Jaicós, Paulistana, São João do Piauí, Simplício Mendes, Canto do Buriti, São Raimundo Nonato, Guadalupe, Urucuí e Corrente, Segundo a categoria, não há previsão para retorno ao trabalho normal até que uma negociação aconteça com o governo. Não existe ainda uma reunião marcada para discutir o assunto. Os delegados afirmam que a medida foi tomada devido ao enorme acúmulo de funções, já que apenas 19 delegados eram responsáveis por 99 municípios.

Continuar lendo Delegados de polícia entregam cargos em protesto e 99 cidades do Piauí são afetadas

A paralisação em 24 estados brasileiros e DF. São Luís sem ônibus e bloqueio da BR 135

Manifestações atingem 24 Estados do Brasil, mais o Distrito Federal. A violência utilizada nos protestos tem sido constantes. Em São Luís, ônibus não circulam e o comércio dos principais corredores da cidade está quase todo fechado. Sindicatos fazem protestos e paralisações em 25 estados e no DF nesta sexta-feira (28) contra as reformas trabalhista e previdenciária. Servidores públicos, bancários, motoristas de ônibus e professores estão entre as categorias que aderiram ao movimento. Em São Luís, com o transporte coletivo paralisado, o comércio e as repartições públicas, com raras exceções, também não funcionam. A volta dos ônibus estaria prevista para as 16 horas, mas tudo depende da intensidade do movimento. No geral, a situação está assim: Ônibus não circulam. Vias bloqueadas: BR-135 (que dá acesso à entrada e saída de São Luís, os dois sentidos da rodovia estão completamente bloqueados) e Avenida dos Portugueses. Aeroporto está funcionando. Servidores públicos, bancários, motoristas de ônibus e professores estão entre as categorias que aderiram à paralisação. Em todo o país, notadamente em São Paulo, os manifestantes fazem de tudo para impedir a locomoção das pessoas por qualquer meio de transportes, dificultando que cheguem ao seu destino. Querem, com isso, parar o sistema produtivo do país. Para isso, estão interditando estradas, incendiando pneus e provocando engarrafamentos. Veja, agora, com a colaboração do G1, um balanço do movimento, até as 10 horas. É só acessar o "LEIA MAIS".

Continuar lendo A paralisação em 24 estados brasileiros e DF. São Luís sem ônibus e bloqueio da BR 135

Saiba quem vai participar da paralisação deste dia 28. Ônibus podem não circular em S. Luís

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão (STTREMA) confirmou hoje (27), por meio de nota, que aderirá à greve geral dos trabalhadores prevista para amanhã em todo o país. Sendo assim, o movimento que está previsto para começar a zero hora e estender-se até às 16 horas, pode nascer prejudicado, incapacitando de locomoção boa parte dos que querem participar da manifestação. A Polícia Militar já anunciou que vai colocar praticamente todo o seu efetivo nas ruas, em todo o Estado, para prevenir badernas. Como é sabido, as principais centrais sindicais do Brasil convocaram uma greve geral para esta sexta-feira 28, na tentativa de demonstrar força e mobilização contra a reforma trabalhista e a reforma da Previdência, propostas pelo governo de Michel Temer, bem como a lei de terceirização, sancionada pelo presidente. A expectativa é que categorias como petroleiros, metalúrgicos, bancários, metroviários, motoristas de transporte público, professores das redes pública e particular, funcionários dos Correios, trabalhadores da construção civil e o Tribunal Regional do Trabalho da Bahia engrossem a paralisação, em várias cidades, contra as reformas, consideradas prioritárias para o governo, mas rechaçadas por uma parcela considerável da população. A greve está sendo convocada por oito centrais sindicais: CUT, UGT, CTB, Força Sindical, CSB, NCST, Conlutas e CGTB. Juntas, elas representam mais de 10 milhões de trabalhadores. Além de centrais opositoras ao atual governo, como a CUT, ligada ao PT, a paralisação contará também com aquelas tidas como aliadas de Michel Temer, como a Força Sindical. SAIBA QUAIS CORPORAÇÕES CONFIRMARAM PARTICIPAÇÃO NO MOVIMENTO, EM TODOS OS ESTADOS DA FEDERAÇÃO

Continuar lendo Saiba quem vai participar da paralisação deste dia 28. Ônibus podem não circular em S. Luís
Dilma critica tom usado por José Serra com países latino-americanos
Dilma Roussef: de olho no apoio internacional à tese 'golpista'...

Dilma critica tom usado por José Serra com países latino-americanos

presidente afastada Dilma Rousseff criticou nesta segunda-feira o tom usado pelo governo interino de Michel Temer com alguns países latino-americanos e a Unasul, que criticaram o afastamento da governante de suas funções para responder a um julgamento que pode cassar seu mandato. Dilma se referiu aos comunicados publicados nos últimos dias pelo novo Ministério das Relações Exteriores rejeitando as opiniões proferidas pela União de Nações Sul-Americanas (Unasul) e pelos Executivos de Venezuela, Cuba, Bolívia, Equador, Nicarágua e El Salvador em relação ao afastamento da presidente. "A reação de governos estrangeiros e de importantes setores da opinião pública mundial, entre eles o secretário-geral da OEA, expressa a indignação internacional diante da farsa jurídica aqui montada", afirmou Dilma por meio das redes sociais. A chefe de Estado afastada também demonstrou sua preocupação "de que essas práticas, travestidas de legalidade, possam se espalhar por outras partes do mundo, especialmente na América Latina, promovendo a desestabilização de governos legítimos". Dilma também destacou que os governos e povos da América Latina estão "preocupados" com as ameaças que o novo ministro das Relações Exteriores, José Serra, fez contra o Mercosul e com "sua disposição de estabelecer acordos econômicos e comerciais profundamente lesivos ao interesse nacional".

Continuar lendo Dilma critica tom usado por José Serra com países latino-americanos

1º dia: Brasil ganha de virada e oito cidades enfrentam protestos

G1) Com dois gols de Neymar e um de Oscar, o jogo terminou com uma polêmica: houve ou não pênalti? Aos 23 minutos do segundo tempo, Fred caiu e o árbitro Yuichi Nishimura marcou falta, dando ao Brasil a chance de marca.. O técnico da Croácia, Niko Kovac, bateu forte na arbitragem após a derrota: "Se alguém viu pênalti em qualquer lugar do estádio, que levante a mão. Eu não consigo levantar a mão. Não acredito que aquilo tenha sido pênalti. É ridículo." “Foi melhor do que imaginei. O que eu sonhava era com a vitória, mas estrear em Copa do Mundo com dois gols é uma felicidade muito grande”, disse o artilheiro do jogo. Festa da abertura A Arena Corinthians, no bairro paulista de Itaquera, ficou lotada para a abertura da Copa. Com a cultura brasileira como tema, a cerimônia começou às 15h15 e durou 25 minutos. O destaque foi o show de Claudia Leitte, Pitbull e Jennifer Lopez, que cantaram a música oficial da competição "We Are One”. Ao final, as musas até arriscaram uma sambadinha no gramado. Um dos momentos mais esperados do dia quase passou despercebido: o pontapé inicial. Juliano Pinto, 29 anos, que tem paraplegia, deu um "chute simbólico" em uma bola de futebol usando o exoesqueleto desenvolvido pela equipe do neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis. Mas foi tudo bem rápido. “Fora, Dilma!” A presidente Dilma Rousseff, que nem arriscou fazer discurso na cerimônia de abertura, ouviu vaias e xingamentos durante todo o evento. Vestida de verde, ela acompanhou o jogo ao lado do presidente da Fifa, Joseph Blatter, na Arena Corinthians, e Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU. No chão Alguns torcedores pagaram quase R$ 1 mil reais para sentar no chão. Os ingressos deles apontavam para uma fileira sem assentos. De acordo com a Fifa, esses lugares não deveriam ser vendidos, e a organização conseguiu realocar os torcedores em outras cadeiras da mesma categoria antes do início do confronto entre Brasil e Croácia. Manifestações A abertura oficial teve protestos pelo país, com bombas de gás, balas de borracha, pessoas feridas e manifestantes detidos. Houve confrontos em São Paulo, Rio de Janeiro, Manaus, Porto Alegre, Belo Horizonte, Distrito Federal, Fortaleza e Salvador. Segundo balanços divulgados pelas polícias militares até o início da noite, ao todo, 53 pessoas haviam sido detidas. Em São Paulo, os enfrentamentos ocorreram nas estações Tatuapé e Carrão do metrô. Nesta, pelo menos cinco jornalistas ficaram feridos com estilhaços de bomba de efeito moral. Vídeo mostra momento em que a produtora da CNN cai no meio do protesto: A organização de defesa dos direitos humanos Anistia Internacional divulgou um protesto contra a repressão policial de uma manifestação na capital paulista. "Damos cartão amarelo para a Polícia Militar de São Paulo", explicou o diretor da organização no Brasil, Átila Roque. No Rio de Janeiro, os manifestantes caminharam até a Fan Fest, em Copacabana, onde houve tumulto, mas ninguém ficou ferido. Uma manifestação de aeroviários na Avenida Vinte de Janeiro, que dá acesso ao Aeroporto Antônio Carlos Jobim (Galeão), na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio, fez vários passageiros perderem seus voos. Pela manhã, o terminal funcionava normalmente, apesar da paralisação da categoria, que começou à 0h, mas o protesto atrasou vários viajantes que tentavam chegar ao local. Em meio ao jogo e protestos, policiais militares foram flagrados revendo um gol da seleção brasileira pelo celular, no Rio.

Continuar lendo 1º dia: Brasil ganha de virada e oito cidades enfrentam protestos

Recuperação da ‘Estrada do Arroz’ não sai do papel, o que gera protestos em Imperatriz

Moradores de 14 povoados reclamam de problemas causados pela falta de pavimentação da rodovia estadual. Em Imperatriz, moradores dos povoados localizados ao longo da ‘Estrada do Arroz’ interromperam a rodovia para exigir o asfaltamento da estrada por onde é transportada parte da produção agrícola da região tocantina. As condições da estrada deixaram muitas comunidades praticamente isoladas. Há mais ou menos 1 ano, o Governo do Estado prometeu iniciar os serviços de recuperação da chamada Estrada do Arroz, mas, até agora, nada. O que fez com que os manifestantes interditassem a rodovia em dois pontos, por quase toda a manhã desta quinta-feira (24): o acesso à rotatória da Estrada do Arroz e à entrada de uma fábrica de papel e celulose. Eles cobram a pavimentação da estrada até o município de Cidelândia: - “As pessoas que trabalham e que precisam estudar não têm como sair de lá para cá”, reclamou a dona de casa Raimunda França. Para chegar ao trabalho, muitos funcionários da fábrica tiveram que seguir à pé, e uma longa fila de veículos logo se formou na rodovia estadual. Dezenas de carretas que transportam eucalipto ficaram impedidas de abastecer a indústria. Segundo os manifestantes, 14 povoados estão sendo prejudicados pelos problemas na estrada. “O que queremos apenas é o nosso direito de ir e vir. E que alguém tome providências”, garantiu o motorista Hércio Lima.

Continuar lendo Recuperação da ‘Estrada do Arroz’ não sai do papel, o que gera protestos em Imperatriz
Policiais fazem buzinaço em frente ao Palácio dos Leões para acordar Roseana
Policiais protestam em frente ao Palácio dos Leões cercado para proteger Roseana da realidade

Policiais fazem buzinaço em frente ao Palácio dos Leões para acordar Roseana

DO BLOG DO Raimundogarrone Os policiais militares e bombeiros do Maranhão fizeram um buzinaço em protesto em frente ao Palácio dos Leões para acordar a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, que dorme em berço esplêndido enquanto a população vive refém de bandidos em todo o Estado. Os militares reivindicam a inclusão da categoria no plano de cargos e carreiras anunciado pela governadora. Os policiais dizem que Roseana engana ao confundir o acordo feito em 2011, no qual a categoria conquistou depois de uma greve histórica o aumento de 24% dividido em três anos. Querem agora que seja incluído o aumento de 7% prometido a todo o funcionalismo público. O buzinaço desta noite foi um aviso para uma greve geral marcada para o próximo dia 19 de março. Veja o momento em que os policiais rompem a barreira da polícia dos Leões----->

Continuar lendo Policiais fazem buzinaço em frente ao Palácio dos Leões para acordar Roseana