Saiba quem vai participar da paralisação deste dia 28. Ônibus podem não circular em S. Luís

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão (STTREMA) confirmou hoje (27), por meio de nota, que aderirá à greve geral dos trabalhadores prevista para amanhã em todo o país. Sendo assim, o movimento que está previsto para começar a zero hora e estender-se até às 16 horas, pode nascer prejudicado, incapacitando de locomoção boa parte dos que querem participar da manifestação. A Polícia Militar já anunciou que vai colocar praticamente todo o seu efetivo nas ruas, em todo o Estado, para prevenir badernas. Como é sabido, as principais centrais sindicais do Brasil convocaram uma greve geral para esta sexta-feira 28, na tentativa de demonstrar força e mobilização contra a reforma trabalhista e a reforma da Previdência, propostas pelo governo de Michel Temer, bem como a lei de terceirização, sancionada pelo presidente. A expectativa é que categorias como petroleiros, metalúrgicos, bancários, metroviários, motoristas de transporte público, professores das redes pública e particular, funcionários dos Correios, trabalhadores da construção civil e o Tribunal Regional do Trabalho da Bahia engrossem a paralisação, em várias cidades, contra as reformas, consideradas prioritárias para o governo, mas rechaçadas por uma parcela considerável da população. A greve está sendo convocada por oito centrais sindicais: CUT, UGT, CTB, Força Sindical, CSB, NCST, Conlutas e CGTB. Juntas, elas representam mais de 10 milhões de trabalhadores. Além de centrais opositoras ao atual governo, como a CUT, ligada ao PT, a paralisação contará também com aquelas tidas como aliadas de Michel Temer, como a Força Sindical. SAIBA QUAIS CORPORAÇÕES CONFIRMARAM PARTICIPAÇÃO NO MOVIMENTO, EM TODOS OS ESTADOS DA FEDERAÇÃO

Continuar lendo Saiba quem vai participar da paralisação deste dia 28. Ônibus podem não circular em S. Luís

Falando fino! Por conta do Congresso, Temer recua de novo na reforma da Previdência

Idade mínima para se aposentar segue 65 anos, mas Planalto autoriza negociação sobre cinco pontos. Estimativa de jornal mostra que Governo não tem votos Uma rebelião promovida pelo senador neo-opositor Renan Calheiros (PMDB-AL) e uma enquete na Câmara dos Deputados feita pelo jornal O Estado de São Paulo que mostra que o Governo não teria votos necessários para aprovar a Reforma da Previdência foram os ingredientes para mais um recuo da gestão Michel Temer(PMDB). Nesta quinta-feira ele afirmou que autorizou alterações em cinco pontos da proposta que é considerado uma das prioridades de seu mandato. O relator do projeto na Câmara dos Deputados, Arthur Maia (PPS-BA), reuniu-se com o presidente e recebeu a orientação de alterar os pontos que envolvem as regras de transição, os trabalhadores rurais, as pensões e aposentadorias especiais, além dos benefícios que tratam de prestação continuada (BPC), garantia de um salário mínimo mensal ao idoso acima de 65 anos ou à pessoa com deficiência. Nesse primeiro momento, a proposta de idade mínima para aposentadoria permanece a mesma, de 65 anos, tanto para homens quanto para mulheres.

Continuar lendo Falando fino! Por conta do Congresso, Temer recua de novo na reforma da Previdência

Governo admite que CPMF pode não ser exclusiva para Previdência

O ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, afirmou hoje (28) que impostos são sempre "antipáticos" para população, mas que o poder público precisa, muitas vezes, "convencer" as pessoas de que o conjunto de serviços prestado tem que ser financiado "de alguma forma". Em entrevista à TV NBR, emissora do governo federal, o ministro disse que o governo concorda com a proposta dos prefeitos e governadores de aumentar a alíquota da nova Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) para 0,38%, para dividi-la com estados e municípios, e de repartir os recursos para bancar, além da Previdência, a saúde e a assistência social. A proposta de emenda à Constituição que recria um imposto nos moldes da antiga CPMF foi enviada no mês passado ao Congresso Nacional com alíquota de 0,20%, destinada ao custeio da Previdência Social. Nos últimos dias, o governo tem conversado com entidades municipalistas para discutir o assunto. De acordo com o ministro, o intuito do governo é contribuir para as finanças dos estados e municípios por meio de uma CPMF "repartida entre os três níveis da federação". Na semana passada, ele já havia admitido a possibilidade de financiamento para os demais entes. "O que estamos propondo é que se estabeleça novamente essa proposta, que nós recolhemos de prefeitos e governadores,que a alíquota seja de 0,38%, que 0,09% seja objeto do Orçamento estadual e 0,09% dos municipais, de modo que tenhamos benefícios para o orçamento da Previdência, da saúde e da assistência social para União, estados e municípios", disse Berzoini. Durante a entrevista, o ministro reconheceu que o sistema tributário do país não é "o mais justo", mas que o governo tem feito esforço para criar mais justiça tributária. "No Brasil, temos um sistema tributário que, na minha opinião, não é o mais justo do mundo. É pouco progressivo, tributa mais os pobres que os ricos", afirmou.

Continuar lendo Governo admite que CPMF pode não ser exclusiva para Previdência
Época: MA paga as maiores pensões para filhas “solteiras” de magistrados e conselheiros do TCE
Mesmo com união estável e exibindo a gravidez, Maitê continua a receber a pensão que o pai lhe dexou.

Época: MA paga as maiores pensões para filhas “solteiras” de magistrados e conselheiros do TCE

O Maranhão paga as maiores pensões entre os Estados brasileiros – R$ 12.084 mensais, em média, para filhas de magistrados e integrantes do Tribunal de Contas do Estado. É o que revela reportagem da Revista Época, num giro que faz pelo país, em busca de exemplos que envergonham os brasileiros. Amazonas, com benefícios médios de R$ 7.755, e Acre, com R$ 6.798, aparecem em seguida. Por todo o país, há mulheres com três ou quatro filhos do mesmo homem que dizem jamais ter vivido em união estável. “Tenho sete filhos com o mesmo pai, mas só namorava”, diz uma pensionista do Rio. Situação semelhante é vivida pela advogada Tereza Cristina Gavinho, filha de delegado de polícia (salário aproximado de R$ 20 mil), cuja pensão foi cortada, mas devolvida após decisão da Justiça. De acordo com a Rioprevidência, há “sérios indícios de omissão dolosa do casamento/convivência marital com o sr. Marcelo Britto Ferreira, com o qual tem três filhos!!!”. Tereza nega ter vivido com ele. Algumas explicações são curiosas. “O pai dos meus filhos é meu vizinho e é casado”, diz uma mulher no Rio. “Não posso ter união estável porque sou homossexual”, afirma outra. A maioria das fraudes é constatada após denúncias de parentes, geralmente por vingança. “A parte mais sensível do ser humano é o bolso, e aí não tem fraternidade nem relação maternal”, afirma Gustavo Barbosa, presidente da Rioprevidência. Alguns trechos da reportagem de Época:

Continuar lendo Época: MA paga as maiores pensões para filhas “solteiras” de magistrados e conselheiros do TCE
PF faz devassa em três municípios do MA por fraudes na Previdência
PF opera contra fraudes na Previdência

PF faz devassa em três municípios do MA por fraudes na Previdência

Os municípios de Barreirinhas, Bom Jesus das Selvas e Santa Luzia, no Maranhão, são alvo da Operação Miquéias, deflagrada nesta quinta-feira (19), pela Polícia Federal. A operação cumpre 27 mandados de…

Continuar lendo PF faz devassa em três municípios do MA por fraudes na Previdência