Suspeito de matar sobrinho do ex-presidente Sarney apresenta-se à polícia, nega o crime, mas fica preso

Suspeito de matar o publicitário Diogo Adriano Costa Campos, 41 anos,  sobrinho do ex-presidente José Sarney,  apresentou-se à polícia, ainda à noite de ontem,   mas negou o crime. Trata-se de Airton Campos Pestana. Acompanhado de advogado e do pai, dono de uma oficina na Venceslau Brás, na Camboa, e verdadeiro dono do Fiat Argo vermelho, Airton  garantiu ao delegado que passou a manhã na oficina e que ao meio dia foi almoçar com o pai, no Monte Castelo. Disse, ainda, que soube do caso depois que já estava sendo acusado pelo crime. E informou que desconfia de que o carro do pai teve as placas clonadas Antes mesmo do suspeito ir à Superintendência de Homicídios, Katia Campos, tia dele, procurou o blog do jornalista Gilberto Leda para dizer que o sobrinho era inocente, e que tudo seria esclarecido. Mesmo assim, ele ficou preso.

Continuar lendo Suspeito de matar sobrinho do ex-presidente Sarney apresenta-se à polícia, nega o crime, mas fica preso

Pedofilia e rituais em cemitérios, a cara oculta dos curadores do jogo Baleia Azul

Operação da Polícia do Rio prende os cinco supostos responsáveis por guiar adolescentes em um jogo virtual que incita a automutilação e os leva até ao suicídio. Mateus, de 23 anos, foi acordado pela polícia na última terça-feira às seis da manhã. Morador de uma comunidade da Baixada Fluminense, pobre região na área metropolitana do Rio, era o alvo principal de uma operação que procurava os responsáveis pelo Baleia Azul, um macabro jogo virtual que, em 50 desafios, incita jovens à automutilação e ao suicídio. No mesmo dia, mais quatro jovens foram presos em São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A operação, comandada pela Delegacia de Repressão a Crimes de Informática do Rio, revelou ainda as sombras dos supostos líderes do jogo. Além de guiar jovens vulneráveis em processos autodestrutivos e cobrar imagens que provassem a superação de cada etapa, alguns dos curadores estariam usando o material com fins de pedofilia. Os presos, que podem responder por formação de quadrilha, lesão corporal ou até por homicídio, são considerados curadores, figura chave no jogo virtual, cuja origem, cheia de lendas e meias verdades, foi identificada na Rússia. São os curadores quem propõem à vítima o uso de objetos cortantes para escrever códigos, cortar os lábios ou desenhar uma baleia no antebraço usando uma gilete como pincel para, depois, exigir o envio de fotos que provem a realização dos objetivos. No caso das meninas, ainda eram pedidos registros delas em suas roupas íntimas mostrando as lesões. São os curadores quem marcam a data e a forma com a qual o jovem terminará com sua vida, às vezes se atirando de algum lugar, outras ingerindo quantidades absurdas de remédios. Ainda sonolento, Mateus se descreveu para os policiais que entraram na sua casa como “um dos curadores mais conhecidos do Rio”. “Sempre aconselhei eles a não se matarem” disse, ainda sentado na cama. “Mas uma vez que entravam no jogo não tinham alternativa”. Cabia ao curador também ameaçar as vítimas, induzi-las a acreditar que sabiam tudo sobre sua vida após hackear seus computadores, embora não tivessem nenhuma intenção ou poder de atacá-las. Jovens que participaram do jogo relataram que foram ameaçados pelos organizadores quando quiseram sair. "Eu sei como fazer você voltar a jogar, e as pessoas a sua volta é que vão sofrer", recebeu uma das vítimas no Rio, cujo curador ainda não foi preso.

Continuar lendo Pedofilia e rituais em cemitérios, a cara oculta dos curadores do jogo Baleia Azul

Jovem preso em operação contra Baleia Azul fez ao menos 30 vítimas

Matheus Moura da Silva, de 23 anos, preso nesta terça-feira, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, por policiais da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), confessou ter feito 30 vítimas no jogo Baleia Azul, porém há indícios de que ele teria feito até 40 vítimas. Matheus foi detido no bairro Nova Era como parte da operação Aquárius, deflagrada para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão, expedidos pela Justiça, contra os responsáveis pelo Baleia Azul. Ele foi levado para a Cidade da Polícia, no Jacaré, na Zona Norte do Rio. A operação também tenta cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão em 20 municípios de nove estados do Brasil, incluindo o Rio de Janeiro. Durante coletiva de imprensa, a polícia informou que está investigando 10 pessoas e curadores de outros estados estão sendo identificados. Os agentes também informaram que todas as vítimas que chegaram até a DRCI foram encaminhadas para acompanhamento psicológico para evitar que continuassem ou entrassem no jogo. A delegacia especializada conseguiu chegar a 15 vítimas do Baleia Azul. O jogo da Baleia Azul, que se tornou motivo de preocupação em diferentes países, consiste em uma série de 50 desafios diários enviados ao participante por um "curador". Há desde tarefas simples como desenhar uma baleia azul numa folha de papel até outras muito mais mórbidas, como cortar os lábios ou furar a palma da mão diversas vezes. Como desafio final, o jogador deve se matar.

Continuar lendo Jovem preso em operação contra Baleia Azul fez ao menos 30 vítimas

Jovem é resgatada após 9 horas sendo mantida refém pelo ex-namorado em São Luís

Uma jovem que foi sequestrada pelo ex-namorado e mantida refém em um motel de São Luís foi resgatada pela polícia na madrugada desta quarta-feira (28). A operação contou com a participação de equipes da Polícia Militar e dois delegados que fizeram a negociação de liberação da vítima. O sequestro teve inicio por volta das 20h de terça-feira (27) no bairro do Maiobão. Cássio de Oliveira Silva, 32 anos, surpreendeu Ilza Cristina de Jesus Silva, 24 anos, e o atual namorado dela quando eles chegavam a casa da vítima. Armado com um revólver, o suspeito a obrigou a entrar no próprio veículo, usado na fuga. O atual namorado Carlos Eduardo Silva Ferreira acionou a polícia e as buscas pelo suspeito foram iniciadas com rondas ostensivas e uso da rede de videomonitoramento. O paradeiro do suspeito foi descoberto durante a madrugada, em uma suíte sadomasoquista de um motel no bairro Turu, onde Cássio optou em manter a ex-namorada como refém sob constante ameaça. Segundo a Polícia Civil, a vítima foi sequestrada e levada para uma suíte sadomasoquista de um motel na capital maranhense (G1 Maranhão) Ao ser preso, o rapaz disse aos policiais que sequestrou e agrediu a jovem por não aceitar o término do relacionamento. “Ele conviveu com ela por sete anos e não aceitava o fim de relacionamento. Ao saber que ela estava com outra pessoa ficou transtornado, adquiriu uma arma de fogo e cometeu o delito” afirmou. Apesar das alegações, o jovem foi autuado em flagrante pelos crimes de sequestro e cárcere privado, porte ilegal de arma, ameaça de morte. Segundo o delegado Carlos Alberto Damasceno, se condenado, ele pode pegar até nove anos e meio de prisão.

Continuar lendo Jovem é resgatada após 9 horas sendo mantida refém pelo ex-namorado em São Luís

Morre em São Luís o vianense espancado e depois queimado vivo. Mandantes estão presas

Até a polícia se horrorizou com a forma como Raimundo Roberval Ferreira foi morto: espancado brutalmente e ainda teve o corpo queimado em mais de 90 por cento. Até a polícia se horrorizou com a forma como Raimundo Roberval Ferreira foi morto: espancado brutalmente e ainda teve o corpo queimado em mais de 90 por cento. Anunciada a morte, num hospital de São Luís, para onde foi levado com praticamente todo o corpo queimado, o pescador Raimundo Roberval Ferreira, de 46 anos, após sofrer uma agressão no último domingo (11), no município de Viana, a 217 km de São Luís. Segundo as investigações da 6ª Delegacia Regional de Viana, ele teria sido agredido com várias pauladas na cabeça por cinco pessoas. Logo depois, um homem identificado como Leandro Bruno Matos, de 24 anos, teria jogado combustível no corpo da vítima e ateado fogo. Ainda de acordo com a Polícia Civil, duas mulheres foram apontadas como mandantes do crime. Patrícia Elke Costa Fonseca de 37 anos e Uritânia de Cássia Coelho Nogueira de 19 anos foram presas ainda esta semana pela polícia. Na versão das mulheres, a vítima teria "tomado gosto" com elas e que teria "passado a mão" em suas partes íntimas. Por conta disso, segundo a polícia, elas teria contratado um grupo de pessoas para "dar uma surra" no pescador Raimundo Roberval. O grupo, cujas pessoas já foram todas identificadas, espancaram o pescador impiedosamente, usando porretes de madeira. Raimundo agonizava ao chão, quando Leandro Bruno Matos, jogou combustível no corpo da vítima e ateado fogo. Mesmo assim, ele ainda foi trazido para são Luís, com mais de 90 por cento do corpo queimado, mas não resistiu e morreu.

Continuar lendo Morre em São Luís o vianense espancado e depois queimado vivo. Mandantes estão presas

Polícia prende quadrilha de traficantes que matava e expulsava moradores da Vila Funil, em São Luís

OPERAÇÃO FOI REALIZADA LOGO AO AMANHECER DESTA SEXTA-FEIRA E CUMPRIU 16 MANDADOS DE PRISÃO E 14 DE BUSCA E APREENSÃO Dezenas de policiais civis e militares realizaram, nesta sexta-feira, na Vila Funil, comunidade da zona rural de São Luís, às margens da BR-135, uma mega operação para desarticular uma perigosa quadrilha envolvida com assassinatos, roubos e tráfico de drogas. Foram cumpridos 16 mandados prisão 14 de busca e apreensão expedidos pela Justiça. O líder da quadrilha, conhecido como Marquinhos Satã, foi capturado. Três pessoas não foram localizadas pela manhã, mas estão sendo procuradas. Entre os mandados, dois eram para homens que já estão no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, mas continuavam agindo de forma criminosa na comunidade. Todos os presos foram levados para o 15º DP, no bairro São Raimundo. Essa quadrilha é acusada de ser a responsável pelo assassinato, ano passado, do líder comunitário da região. Os autores foram presos e, com isso, a polícia passou a investigar e mapear a organização criminosa que atuava na região, segundo informou o superintendente de Polícia Civil da Capital, Armando Pacheco. Segundo a polícia, o líder do grupo identificado como Marcos Antônio Rodrigues Corrêa, conhecido também como Marquinhos Satã, tinha forte influência na localidade, mas não morava mais lá e foi preso no bairro do Angelim, onde seria dono de vários imóveis.

Continuar lendo Polícia prende quadrilha de traficantes que matava e expulsava moradores da Vila Funil, em São Luís

Agredida por marido que a confundiu com atriz pornô, mulher se joga do quarto andar de prédio no DF

Uma jovem de 23 anos saltou do quarto andar do prédio onde mora para fugir das agressões do marido, que a confundiu com uma atriz pornô, em Taguatinga, no Distrito Federal. A jovem teve graves lesões na bacia e pode ter os movimentos das pernas comprometidos. O caso aconteceu na última segunda-feira. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Raimundo Vanderly, da 21ª DP (Taguatinga), o marido da vítima, de 30 anos, estava assistindo a filmes pornô no computador enquanto a esposa estava dormindo no quarto do casal. Ao ver uma atriz com uma tatuagem no braço esquerdo, o homem achou que era a sua mulher no filme. Enfurecido, ele correu para o quarto e acordou a jovem com tapas e socos. PRÉDIO- Ela relatou que ele chegou muito agressivo ao quarto e começou a esbofeteá-la, falando para confessar que era ela nas imagens e que fazia filmes pornôs. A vítima negou, tentou explicar e entender o que estava acontecendo, mas ele não parava de bater. De repente, foi à cozinha e pegou uma faca. Nesse momento, zelando pela própria vida, ela se jogou da sacada do apartamento, no 4º andar, caindo sobre uma cobertura - disse o delegado. A vítima foi socorrida por vizinhos, que ouviram o barulho da queda. Em um vídeo filmado por uma amiga da jovem no hospital, ela falou sobre o ocorrido. Imobilizada e com diversos ferimentos pelo corpo, a jovem contou que, mesmo após ter se jogado, o marido desceu atrás dela com a faca, mas foi impedido pelos vizinhos de chegar perto da mulher. "Olhei para a janela e vi que a minha única chance era pular dali. Pensei, meu Deus...Se eu cair e me quebrar todinha, não vou poder mais nem andar, mas pelo menos vou estar viva. Ele ia me esfaquear, me cortar todinha", contou. "Quando eu caí, comecei a gritar, pedir socorro. Gritei para todo mundo. Eu vi que não estava mais sentindo as minhas pernas. Eu senti muita dor. Gritei e os vizinhos desceram. Vi que ele desceu com a faca para me matar lá embaixo. Ele não encostava em mim. Só ficava me xingando e mostrando para todo mundo o vídeo, dizendo que eu era vagabunda", relatou. VEJA O VIDEO EM QUE A VÍTIMA RELATA O QUE PASSOU~~~~>>

Continuar lendo Agredida por marido que a confundiu com atriz pornô, mulher se joga do quarto andar de prédio no DF

Filha de Garrincha diz que poderá pedir indenização por sumiço de ossada do pai

A Polícia Civil confirmou para a próxima segunda-feira os depoimentos de três pessoas que serão ouvidas no inquérito que apura se a sepultura de Manuel Francisco dos Santos, o Mané Garrincha, foi ou não violada. Na última quarta-feira, o Cemitério de Raiz da Serra, onde o craque foi sepultado em 1983, e a Prefeitura de Magé admitiram não saber onde estão os restos mortais do ex-jogador do Botafogo e da seleção brasileira. Serão ouvidos Rosângela Cunha dos Santos, filha de Garrincha que também confirmou o sumiço da ossada, uma administradora do cemitério e um sobrinho de Mané Garrincha. Este último é o dono da sepultura coletiva onde o ex-jogador foi enterrado originalmente. No entanto, no mesmo cemitério existe outra sepultura onde consta o nome do craque. Ela fica localizada na parte superior do terreno, onde existe um obelisco, e foi construída em 1985. Um levantamento feito pela Prefeitura de Magé revelou que uma exumação teria sido feita há alguns anos. Não há documento que comprove a realização do procedimento nem para onde a ossada foi transferida. Lívia de Oliveira dos Santos, de 36 anos, última filha de Garrincha, classificou como um desrespeito, nesta sexta-feira, o que aconteceu com a ossada do seu pai. Ela disse que se isso for comprovado pela polícia irá pedir uma indenização. — Se sumiram com os restos mortais do maior jogador do mundo, eu vou pedir uma indenização por isso. Sou a favor que a família autorize a Prefeitura de Magé a fazer a exumação das sepulturas para gente saber o que aconteceu de fato — disse, acrescentando que tem conversado sobre a exumação com Luiz Marques, neto de Garrincha. O neto de Garrincha confirmou que uma reunião de família será feita, na próxima quarta-feira, em Magé, para decidir se a prefeitura da cidade receberá ou não autorização para fazer a exumação. Caso ocorra concordância da família de Garrincha, o prefeito Rafael Tubarão providenciará exames de DNA para confirmar se a ossada do ex-jogador é uma das que estão enterradas nas duas sepulturas.

Continuar lendo Filha de Garrincha diz que poderá pedir indenização por sumiço de ossada do pai

Craques como Pelé lamentam o sumiço dos restos mortais de Garrincha

Ex- jogadores de futebol que conviveram com Manuel Francisco dos Santos, o Mané Garrincha, na seleção brasileira e no Botafogo, comentaram nesta quinta-feira a incerteza sobre onde estão depositados os ossos do atacante de drible fácil, que costumava deixar seus marcadores no chão. Parceiro de Garrincha nas Copas de 58 e 62, Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, lamentou que o cemitério de Raiz da Serra, em Magé, na Baixada Fluminense, onde o craque foi sepultado, em 1983, não saiba onde estão os restos mortais de Mané: — Eu lamento porque ele era um dos grandes parceiros meus na seleção. É uma pena que esteja acontecendo isso com um ídolo que tanto promoveu o Brasil em todo o mundo. Jairzinho, o Furacão da Copa de 70, jogou com Garrincha entre os anos de 64 e 65, no Botafogo, e classificou a situação como vergonhosa. Ele disse que Garrincha sofreu uma covardia. — Fico envergonhado do comportamento de alguns brasileiros. Principalmente nesse fato estranho, que deixa a gente muito, muito, mas, muito enfraquecido. Foi uma covardia o que aconteceu — afirmou. O craque Afonsinho conviveu com Garrincha, no Botafogo, no ano de 1965. Na época, ele acabava de chegar ao time, enquanto Mané estava deixando o clube. Afonsinho lembrou do sepultamento do amigo e disse que o ocorrido com Garrincha, anos após a sua morte, é deprimente. Nesta quinta-feira, a Polícia Civil informou que o delegado Antônio Silvino, da 66ª DP (Piabetá), abriu inquérito para apurar se ocorreu o crime de violação de sepultura, previsto no artigo 210 do Código Penal.

Continuar lendo Craques como Pelé lamentam o sumiço dos restos mortais de Garrincha

Preso policial rodoviário suspeito de chefiar esquema de fraude no Enem e outros concursos

Ele era procurado pela Polícia Civil desde sexta-feira, quando foi deflagrada a Operação Gabarito 2. Numa das fraudes, fez a filha passar em Medicina numa universidade federal Um policial rodoviário federal que era procurado pela Polícia Civil desde sexta-feira (12), ocasião da deflagração da Operação Gabarito 2, se apresentou à Justiça nesta terça-feira (16) e foi preso por uma equipe da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) de João Pessoa. Segundo o delegado Lucas Sá, ele é suspeito de ser um dos chefes do esquema de fraudes a concursos públicos. O delegado explicou que o suspeito chegou ao Fórum Criminal acompanhado de três advogados. No local, ele foi detido por uma equipe da DDF e foi encaminhado à Central de Polícia. Em seguida, ele vai ser levado ao 5º Batalhão de Polícia Militar, onde deve ficar detido. O esquema lucrou pelo menos R$ 18 milhões e aprovou mais de 500 pessoas em pelo menos 70 concursos e vestibulares, segundo a Polícia Civil. Até a sexta-feira (13), 25 pessoas foram presas, sendo 19 no dia 7 e outras seis na sexta-feira, além de 11 veículos apreendidos e muitos documentos e equipamentos eletrônicos. De acordo com Lucas Sá, o policial rodoviário é apontado como segundo o terceiro na “linha de comando” do esquema fraudulento e ficaria com 25% do que fosse arrecadado. O irmão dele foi preso na primeira fase da Operação Gabarito. Segundo as investigações, ele conseguiu fraudar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e aprovar a filha no em primeiro lugar para o curso de medicina. Além dela, ele teria conseguido a aprovação de outras pessoas próximas em diversos cargos públicos.

Continuar lendo Preso policial rodoviário suspeito de chefiar esquema de fraude no Enem e outros concursos