Filho da… Donald Trump enterra esforço global para deter mudança climática!!!

Retirada dos EUA do Acordo de Paris foi anunciado nesta quinta-feira na Casa Branca Os Estados Unidos deixaram de ser um aliado do planeta. Donald Trump deu rédea solta hoje aos seus impulsos mais radicais e decidiu romper com o “debilitante, desvantajoso e injusto” Acordo de Paris contra as alterações climáticas. A saída do pacto assinado por 195 países assinala uma linha divisória histórica. Com o ato, o presidente da nação mais poderosa do mundo não apenas vira as costas à ciência, aprofunda a fratura com a Europa e menospreza sua própria liderança como também, diante de um dos desafios mais inquietantes da humanidade, abandona a luta. A era Trump, obscura e vertiginosa, já começou. O sinal é inequívoco. Depois de ter rejeitado o Aliança do Pacífico (TPP) e imposto uma negociação rude com o México e o Canadá no Acordo de Livre Comércio, o presidente abriu a porta que muitos temiam. De nada serviu a pressão das Nações Unidas, da União Europeia ou de gigantes da energia como Exxon, General Electric e Chevron. Nem sequer o grito unânime da comunidade científica foi ouvido. Trump colocou a lupa nos “interesses nacionais” e consumou a virada isolacionista a um acordo referendado por todo o planeta, exceto por Nicarágua e Síria. “Cumpri minhas promessas uma após a outra. A economia cresceu e isso está apenas começando. Vamos crescer e não vamos perder empregos. Pela gente deste país saímos do acordo. Estou disposto a renegociar outro favorável aos Estados Unidos, mas que seja justo para os trabalhadores, contribuintes e empresas. É hora de colocar Youngstown, Detroit e Pittsburgh à frente de Paris”, bradou Trump. É a doutrina America First (América Primeiro). Essa mensagem, mistura de patriotismo econômico e xenofobia, o levou à Casa Branca – contra todas as previsões. Trump apela para esse amálgama sempre que vê sua estabilidade ameaçada. Como agora. Acossado pelo escândalo da trama russa, submetido à pressão das pesquisas de opinião, fustigado pelos grandes meios de comunicação progressistas, desferiu um direto no mundo com a esperança de encontrar o aplauso de seus eleitores mais fiéis, essa massa branca e empobrecida que culpa a globalização por todos os seus males. “Fui eleito para representar os cidadãos de Pittsburgh, não de Paris. Não se pode colocar os trabalhadores em risco de perder seus empregos. Não podemos estar em desvantagem permanente”, disse Trump.

Continuar lendo Filho da… Donald Trump enterra esforço global para deter mudança climática!!!

Ataques em Paris deixam 129 mortos, 350 feridos – 99 em estado grave. Veja balanço da situação

Procurador de Paris, François Molins, disse que dois suspeitos foram identificados. França vai manter estado de emergência e continuar intervenção militar na Síria. (Cobertura do G1) Respostas a possíveis perguntas sobre os ataques a Paris, sexta-feira, 13 de novembro: Quantas são as vítimas dos ataques? Ao menos 128 pessoas foram mortas na série de ataques em Parisna noite desta sexta-feira (13), sendo 70 apenas na casa de shows Bataclan. É o pior ataque à França na história recente. Quantos ataques aconteceram? Onde foram? Ao menos cinco locais foram alvo deataques simultâneos em uma região boêmia de Paris, onde as pessoas costumam sair para se divertir em uma sexta-feira à noite: - Na casa de shows Bataclan, na boulevard Voltaire, no 11º distrito, atiradores fizeram reféns e abriram fogo contra o público que assistia ao show da banda Eagles of Death Metal. Mais de 70 reféns foram mortos. - No bar Le Carillon e no restaurante Le Petit Cambodge, na rua Alibert, no 10º distrito, frequentadores foram mortos por disparos. Segundo agências internacionais, foram 14 mortos. - No bar La Belle Equipe, na rua Charonne, também no 11º distrito, atiradores abriram fogo contra os clientes. Ao menos dezenove pessoas foram mortas e há outras 13 feridas. - Nas proximidades do Stade de France, bairro de Saint Dennis, no norte de Paris, um ataque supostamente lançado por um suicida ocorreu próximo ao estádio, onde França e Alemanha disputavam uma partida de futebol. Autoridades confirmaram quatro mortos e mais de 50 feridos. - Na localidade na rua Beaumarchais foram 7 feridos, sendo 3 em estado grave. De quem é a autoria dos ataques? O grupo radical Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade neste sábado (14) por ataques que mataram mais de 120 pessoas em Paris, segundo agências internacionais. Em uma declaração oficial, o grupo disse que seus combatentes presos a cintos com explosivos e carregando metralhadoras realizaram os ataques em vários locais no centro da capital francesa que foram cuidadosamente estudados. Antes, Hollande já havia anunciado que o grupo era o autor da ação terrorista.

Continuar lendo Ataques em Paris deixam 129 mortos, 350 feridos – 99 em estado grave. Veja balanço da situação

O terror está de volta a Paris! É o maior atentado na história da França.

Tiroteios em Paris deixam mortos; houve explosões e há reféns Três tiroteios foram registrados em diferentes pontos da cidade. Explosões aconteceram perto de estádio onde jogam França e Alemanha. Cobertura do G1, agora Explosões ocorreram próximo ao Stade de France, em Paris, na noite de sexta (13), durante um jogo entre as seleções da França e Alemanha. Além disso, três tiroteios simultâneos deixaram 42 mortos e dezenas de feridos em outros pontos da cidade, segundo a polícia parisiense. Há ainda 100 reféns em uma casa noturna. A rede de TV francesa BFM, citada pela CNN, diz que os mortos são 60. A polícia confirmou ainda que há 100 reféns na casa de espetáculos Bataclan, no boulevard Voltaire, no 11º arrondissement. Estão sendo mantidas no local pessoas que assistiam a um show da banda Eagles of the Death Metal. Segundo um dos jornalistas do "Libération", que cita um policial no local, um homem no interior do Bataclan teria explosivos. O jornal também citou o relato de um jornalista da "Europe1", que estava no interior do Bataclan nesta noite: "Vários indivíduos armados entraram no meio do show", afirmou. "Dois ou três indivíduos não mascarados entraram com armas automáticas do tipo kalachnikov e começaram a atirar no público". O jornalista disse, ainda, que a ação durou de 10 a 15 minutos e que os atiradores eram jovens. Ao jornal "Le Figaro", uma testemunha contou que viu dois homens armados entrarem no Bataclan. "Eles estavam armados, vestidos normalmente: eles atiraram no exterior e no interior da sala", afirmou a testemunha. O jornalista francês Erwan Desplanques afirmou, em sua conta to Twitter, que um amigo que conseguiu escapar do Bataclan disse que havia cinco ou seis atiradores no local e que eles mencionaram a Síria. A polícia emitiu um alerta, pedindo que os parisienses não deixem suas casas, "a não ser em caso de absoluta necessidade". Lugares públicos devem reforçar a segurança nas entradas e acolher aqueles que estiverem em necessidade. A polícia também ordenou que se interrompam as manifestações e eventos em áreas externas. - Explosões próximo ao Stade de France, em Paris, durante jogo entre as seleções da França e Paris - Três tiroteios aconteceram em outros pontos da cidade - A policia parisiense afirmaram que há 42 mortos, dezenas de feridos em outros pontos da cidade e 100 reféns na casa noturna Bataclan - Segundo a jornalista Carolina Cimenti, houve tumulto para que as pessoas deixassem o estádio e espera por orientações - Segundo o jornal “Le Figaro”, uma testemunha contou que viu dois homens entrarem armados no Bataclan Segundo a BBC, um homem usando uma arma automática abriu fogo no restaurante Petit Cambodge no 10º arrondissement, deixando ao menos sete feridos. De acordo com o "Liberation" e a rede de TV CNN, há "diversos mortos". A Reuters afirma que duas pessoas morreram ali. Um repórter do "Liberation" que está no local diz ter visto ao menos quatro corpos no chão. Já o repórter da BBC contou dez pessoas deitadas, sem conseguir identificar se estariam mortas ou feridas. Diversas ambulâncias já chegaram. Um segundo tiroteio teve como cenário o bar "Le Carillon", segundo o Liberation. Na sequência, outro tiroteio foi registrado no 11º arrondissement.

Continuar lendo O terror está de volta a Paris! É o maior atentado na história da França.

Prefeitura apresenta, em Paris, roteiro turístico São Luís-Alcântara-Barreirinhas

O potencial turístico de São Luís será apresentado pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Turismo (Setur) em Paris, na França, durante Workshop de exposição do roteiro integrado 'São Luís, Alcântara e Barreirinhas' que acontece nesta terça-feira (16). Durante o evento, a secretária municipal de Turismo, Socorro Araújo, e a assessora técnica da Setur, Aline Vasconcelos, acompanhadas de brincantes de um grupo parafolclórico e de um chef de cozinha divulgarão as belezas naturais da capital maranhense, o patrimônio histórico, culinária e cultura da região. O objetivo é promover o roteiro São Luís - Alcântara - Barreirinhas como importante destino turístico, atraindo turistas franceses para o Maranhão. "Essa é uma oportunidade para divulgarmos nossas manifestações culturais, nossas delícias gastronômicas, nossas praias e o nosso Centro Histórico para fora do Brasil. Precisamos mostrar nossos produtos turísticos para o visitante, despertando o interesse em conhecer nossos lugares, aumentando o turismo na nossa cidade", disse a secretária Socorro Araújo. Para isso, o grupo fará apresentações do bumba meu boi, tambor de crioula, cacuriá, dança do coco, reggae e caixeiras do Divino Espírito Santo. Na ocasião, haverá também distribuição de material promocional.

Continuar lendo Prefeitura apresenta, em Paris, roteiro turístico São Luís-Alcântara-Barreirinhas