Eleição de Dilma em 2010 gera onda de ‘candidatos-postes’ no Nordeste
Dilma e Haddad foram indicados por Lula - eram considerados "postes", como Luís Fernando, aqui...

Eleição de Dilma em 2010 gera onda de ‘candidatos-postes’ no Nordeste

Sucessão. Impedidos legalmente de disputar reeleição, governadores de Pernambuco, Bahia, Maranhão e Ceará tentam seguir receita testada por Lula na última corrida presidencial e viabilizar candidaturas de secretários com perfil mais técnico que político LEONENCIO NOSSA/BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo Governadores em ascensão política e oligarquias em declínio adotaram táticas semelhantes para tentar manter o poder nos Estados e lançaram candidatos "postes" para a disputa de outubro. Inspirados no sucesso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que promoveu as estreias nas urnas dos então ministros Dilma Rousseff, em 2010, e Fernando Haddad, em 2012, os caciques estaduais recorreram a nomes de perfil mais técnico que político e agora correm para jogar holofotes sobre os escolhidos. Nos últimos dias, governadores do Nordeste apresentaram como seus candidatos secretários fiéis de suas gestões. Em Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) lançou Paulo Câmara (Fazenda). No Maranhão, Roseana Sarney (PMDB) tenta emplacar Luis Fernando Silva (Infraestrutura), o escolhido de seu pai, o senador José Sarney (PMDB-AP). Jaques Wagner (PT) fez valer sua vontade na Bahia e lançou Rui Costa (Casa Civil), contra a vontade de petistas históricos. No Ceará, Cid Gomes (PROS) quer indicar José Albuquerque, que preside a Assembleia Legislativa e pode furar a fila formada por senadores e deputados influentes. Todos os escolhidos são aliados de longa data dos líderes estaduais. Rui Costa acompanha Jaques Wagner desde o tempo de sindicalismo em Camaçari. Paulo Câmara começou a militar na política com Eduardo Campos. Luis Fernando Silva, economista e auditor do Estado, foi secretário estadual oito vezes, em cinco gestões, e é próximo de Roseana e do marido dela, Jorge Murad. José Albuquerque está com Cid desde os anos 1990, quando o hoje governador era deputado estadual.

Continuar lendo Eleição de Dilma em 2010 gera onda de ‘candidatos-postes’ no Nordeste
Luís Fernando reage à matéria de O Estadão e diz que não é organizador de comícios
Luís Fernando não concorda com a matéria...

Luís Fernando reage à matéria de O Estadão e diz que não é organizador de comícios

O secretário de Infraestrutura do Governo do Maranhão,, Luis Fernando Silva, reagiu à matéria do Jornal O Estado de São Paulo, de que estaria sendo favorecido por prefeituras do interior dependentes de convênios. Elas estariam distribuindo combustíveis de graça para proprietários de veículos automotores "seguirem" e fazerem claques para o pré-candidato em suas andanças pelo interior. Nota de esclarecimento Com relação à matéria “Distribuição de gasolina turbina eventos de secretario de Roseana” (5/3) e em respeito aos fatos e à opinião pública, faço as seguintes observações: 1 – Em nenhum dos eventos de assinatura de “ordens de serviço para início de obras” a que esteve presente, o repórter assistiu a qualquer manifestação política de interesse eleitoral. Assim, não há que se falar em “minicomícios”. Estive ali cumprindo a minha atribuição de secretário de Estado da Infraestrutura; 2 – Os eventos presenciados pelo repórter marcam o início das obras e não uma promessa, como ele escreveu. 3 – O programa Viva Maranhão, que contempla, entre outros nove componentes, a pavimentação de vias urbanas em todos os municípios maranhenses, não repassa recursos aos municípios posto que as obras são licitadas, contratadas e pagas diretamente pelo Estado, por meio da Secretaria de Infraesturtura. 4 – Cabe ressaltar aspecto esquecido pelo repórter. Os eventos são atos de transparência da gestão, uma vez que neles se apresenta publicamente o representante da empresa vencedora da licitação, informam-se o valor contratado e o prazo das obras e ainda se estimulam a comunidade, a sociedade civil e as autoridades locais a exercerem o direito de acompanhar e fiscalizar sua execução. 5 – Não cabe a mim ou à Secretaria da Infraestrutura organizar ou coibir manifestações das comunidades locais em reconhecimento à relevância das obras de pavimentação. Luis Fernando Silva Secretário de Estado de Infraestrutura

Continuar lendo Luís Fernando reage à matéria de O Estadão e diz que não é organizador de comícios
Estadão – ‘Sarney compra briga inédita com juízes maranhenses’…
Maior que o bigode é o poder... Sarney chama até a magistratura para a briga

Estadão – ‘Sarney compra briga inédita com juízes maranhenses’…

Não foi apenas o jornal O Globo que publicou matéria sobre as desavenças de Sarney com o Judiciário Maranhense, conforme já reproduzimos, ontem (16), no blog (post abaixo). A Agência Estado também produziu matéria sobre o mesmo tema, conforme vai transcrito abaixo. Mas a "briga" a que se referem as duas matérias de O Globo e Estadão - com origem nos fatos que desencadearam uma rebelião de presos com 10 mortos, 20 feridos e incêndio de 7 ônibus - ainda não contemplou outra briga do Poder Judiciário e da magistratura locais contra o Poder Executivo, chefiado pela filha do senador, Roseana Sarney. Tudo por conta da redução do orçamento do Tribunal de Justiça consagrada em projeto de lei encaminhado pela governadora à Assembléia Legislativa. A Associação de Magistrados do Maranhão (AMMA) não só colocou a boca no trombone, através de seus diretores, como impetrou mandado de segurança contra a proposta de Roseana Sarney, obtendo liminar favorável concedida pelo desembarcador Antonio Bayma de Araújo Júnior. Mas enquanto essa nova briga não tem um vencedor, leia a matéria da Agência Estado, falando de outra contenda. O título: "Sarney compra briga inédita com juízes maranhenses"...

Continuar lendo Estadão – ‘Sarney compra briga inédita com juízes maranhenses’…