Mensaleiro Henrique Pizzolato diz que “prefere morrer” a cumprir pena no Brasil
Italiano Pizzolato: bravura ou medo?

Mensaleiro Henrique Pizzolato diz que “prefere morrer” a cumprir pena no Brasil

No dia 24 de abril, o ministro Andrea Orlando deu um parecer favorável à extradição do ex-diretor do Banco do Brasil O ex-diretor de marketing do Banco do Brasil, Henrique…

Continuar lendo Mensaleiro Henrique Pizzolato diz que “prefere morrer” a cumprir pena no Brasil

Desvios da Lava-Jato são dez vezes maiores que o esquema do mensalão

Comparáveis no aspecto político pela importância dos personagens envolvidos, os esquemas do mensalão e da Operação Lava-Jato são diferentes em suas dimensões. Os desvios na Petrobras, ainda não totalmente calculados, são mais de dez vezes maiores do que o do valerioduto. Se durante o julgamento mensalão, o então presidente do Supremo Tribunal Federal Carlos Ayres Britto calculou as perdas em R$ 173 milhões, os valores iniciais do Ministério Público apontam prejuízos à petroleira de pelo menos R$ 2,1 bilhões. Juristas e investigadores entendem que o primeiro caso trouxe lições ao segundo, na obtenção de provas e na tentativa de apressar o julgamento de casos complexos.

Continuar lendo Desvios da Lava-Jato são dez vezes maiores que o esquema do mensalão

PGR defende fim da pena de Genoino com base em decreto de Dilma

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou nesta última quarta-feira (25) ao Supremo Tribunal Federal (STF) parecer em que defende a extinção da pena do ex-deputado José Genoino, do PT, com base no decreto de indulto de Natal assinado pela presidente Dilma Rousseff no final do ano passado. O texto que concede o indulto prevê perdão aos condenados que cumprem pena em regime aberto ou prisão domiciliar, desde que faltem até oito anos para o cumprimento da pena total. Outra condição é ter cumprido ao menos um quarto da pena, se não reincidente, e ter apresentado bom comportamento na prisão.

Continuar lendo PGR defende fim da pena de Genoino com base em decreto de Dilma
Demorou… Lula depõe na Polícia Federal sobre Mensalão, mas investigação será arquivada
Lula protelou como pôde seu depoimento sobre o mensalão, mas sai ileso, lixando-se para quem acha que ele deveria ser indiciado...

Demorou… Lula depõe na Polícia Federal sobre Mensalão, mas investigação será arquivada

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva prestou depoimento na sede da Polícia Federal em Brasília na última terça-feira (9). Lula depôs sobre o inquérito 12/2014, baseado em depoimentos feitos em 2012 pelo publicitário Marcos Valério de Souza, condenado como operador do Mensalão. Desde o início do ano, há quase doze meses, a Polícia Federal tentava ouvir Lula. O inquérito investigava denúncia de Marcos Valério ao Ministério Público de que o ex-presidente “deu um ok” para empréstimos bancários ao PT destinados ao Mensalão e até teria intermediado um repasse de 7 milhões de reais feito por uma subsidiária da Portugal Telecom. Valério disse que só daria mais informações sobre o caso, incluindo provas, se o ministério Público o beneficiasse em outros inquéritos criminais abertos contra ele, o que, obviamente, não foi aceito. O processo do mensalão estava quase finalizado quando ele sinalizou com as novas informações e não havia espaço para recomeçar as investigações.

Continuar lendo Demorou… Lula depõe na Polícia Federal sobre Mensalão, mas investigação será arquivada
Mensalão – Dirceu, Delúbio e Valdemar são transferidos de presídio e vão trabalhar fora
Zé Dirceu, com Delúbio e Valdemar, saem da prisão para trabalhar

Mensalão – Dirceu, Delúbio e Valdemar são transferidos de presídio e vão trabalhar fora

Eles estão no CPP, local onde ficam detentos com aval para trabalho externo. José Dirceu será auxiliar em biblioteca de escritório de advocacia em Brasília. G1 A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal informou na tarde desta quarta-feira (2) que o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e o ex-deputado Valdemar Costa Neto foram transferidos do Complexo Penitenciário da Papuda, nos arredores de Brasília, para o Centro de Progressão Penitenciária (CPP) - local onde ficam os detentos do Distrito Federal com autorização para trabalho externo.

Continuar lendo Mensalão – Dirceu, Delúbio e Valdemar são transferidos de presídio e vão trabalhar fora
Mensalão – Tribunal italiano julga  pedido de extradição de Henrique Pizzolato
Henrique Pizzolato, o fujão

Mensalão – Tribunal italiano julga pedido de extradição de Henrique Pizzolato

G1 A Corte de Apelação de Bolonha, na Itália, julgará nesta quinta-feira (5) o pedido de extradição do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado no processo do mensalão do PT. No ano passado, depois de condenado a 12 anos e 7 meses de prisão pelo Supremo Tribunal Federal (STF), Pizzolato fugiu para Itália e foi preso no dia 5 de fevereiro por uso de documento falso. Desde a prisão pela polícia italiana, o Brasil pediu a extradição ao governo italiano, para que o ex-diretor do BB cumpra pena no país pelos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro. Dois procuradores regionais estão na Itália para acompanhar a sessão do tribunal, além de representantes do Ministério da Justiça e da Advocacia Geral da União (AGU). Um advogado contratado pelo Brasil acompanhará o processo. Pizzolato poderá recorrer da decisão que vier a ser tomada pelo tribunal. No julgamento, a Corte de Bolonha pode optar por pedir mais informações sobre o caso do ex-diretor do Banco do Brasil antes de tomar uma decisão.

Continuar lendo Mensalão – Tribunal italiano julga pedido de extradição de Henrique Pizzolato

Suprema candidatura! Ministro do STF descarta eleições de 2014

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa é o homem público do momento. Muitos o amam, outros o detestam. Ele é o entrevistado de estreia do programa Roberto D’Ávila, na GloboNews. Essa foi a primeira vez que ele falou com exclusividade para um jornalista de TV desde que entrou para o Supremo, há 11 anos. A entrevista passou pelos mais diversos temas, desde a infância em Paracatu (MG), a época da faculdade, até questões recentes como corrupção, eleições, racismo e mensalão.

Continuar lendo Suprema candidatura! Ministro do STF descarta eleições de 2014
Dirceu teria até podólogo na prisão. Governo do DF nega
Até sindicância foi aberta para apurar como as fotos de Zé Dirceu publicadas por Veja

Dirceu teria até podólogo na prisão. Governo do DF nega

Revista 'Veja' divulga fotos de ex-ministro e de Delúbio e relata dia a dia na Papuda A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal pretende abrir sindicância na próxima segunda-feira (17) para investigar as condições em que o ex-ministro José Dirceu foi fotografado dentro do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, onde cumpre pena por condenação no processo do mensalão. As fotos foram publicadas pela revista Veja, mostrando um Dirceu bem mais magro e abatido, na biblioteca do presídio. A Secretaria de Segurança afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo que investigará se houve participação de servidores na produção e vazamento das fotos. Os detentos não podem ser fotografados. A suspeita inicial é de que as imagens tenham sido feitas por uma microcâmera, cuja entrada no presídio pode ter ocorrido por falha de segurança da Papuda. Dirceu cumpre lá, desde novembro do ano passado, a pena de 7 anos e 11 meses em regime semiaberto aplicada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Além dele, outros condenados do mensalão estão na Papuda. Entre eles o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, o ex-deputado João Paulo Cunha e o operador do mensalão, Marcos Valério. A reportagem da revista afirma ainda que o ex-ministro da Casa Civil recebe tratamento diferenciado em relação aos demais presos do complexo da Papuda. Dirceu receberia visitas de um podólogo, alimentação diferente da dos demais internos e usufruiria de um horário especial de visitas. A Secretaria de Segurança nega que o ex-ministro receba privilégios.

Continuar lendo Dirceu teria até podólogo na prisão. Governo do DF nega

O desfecho do mensalão

O ESTADO SE SÃO PAULO Seria apenas irônico, se o episódio não pudesse tisnar a imagem da nova composição do Supremo Tribunal Federal (STF): parece ter sido finalmente provada a tese do PT de que o julgamento da Ação Penal 470 tem um componente predominantemente político. Uma "maioria de circunstância, formada sob medida", como afirmou em seu voto um inconformado ministro Joaquim Barbosa - mas, de qualquer modo, um colegiado diferente daquele que julgou o mensalão em 2012 -, reverteu a decisão original da Corte e absolveu José Dirceu, Delúbio Soares, José Genoino e mais cinco do crime de formação de quadrilha, livrando os dois primeiros do cumprimento da pena em regime fechado. Essa nova decisão não livra da cadeia os ex-dirigentes petistas condenados agora a penas inferiores a 8 anos, mas oferece ao partido no poder o argumento, extremamente útil num ano eleitoral, de que seus ex-dirigentes não formaram uma quadrilha para comprar apoio parlamentar. Agiram então, segundo o STF, por iniciativa individual, como criminosos avulsos. O que não impede de estarem inapelavelmente encarcerados.

Continuar lendo O desfecho do mensalão

Mesmo condenados, mensaleiros custam R$ 137 mil por mês à Câmara

Entre pagamentos e aposentadorias, réus do mensalão seguem recebendo do Congresso (R7) Sete dos políticos condenados no julgamento do mensalão recebem, somados, R$ 137,8 mil da Câmara dos Deputados. E boa parte deles seguirá recebendo o mesmo valor mesmo depois de ter sua pena no processo executada. Alguns dos condenados, como o deputado João Paulo Cunha (PT-SP), ainda estão em exercício do mandato, e recebem o salário integral, de R$ 26,7 mil. Outros, como o ex-deputado José Genoino, receberão aposentadoria vitalícia de mais de R$ 11 mil. Delator do esquema do mensalão, Jefferson aguarda decisão do presidente do STF, Joaquim Barbosa, sobre onde deve cumprir sua pena de sete anos e 14 dias por participar do esquema Valdemar Costa Neto, que era deputado por São Paulo pelo PR até a semana passada, também reuciou apó.o STF decretar a execução de sua pena pelo mensalão. Sua aposentadoria por tempo de serviço lhe renderá, contudo, o rendimento de R$ 16,7 mil até o fim da vida. O deputado João Paulo Cunha (PT-SP) também foi condenado no julgamento do mensalão, mas, ao contrário dos colegas, tem avisado que não pretende renunciar ao seu mandato. Como ainda não teve a pena executada pelo STF, Cunha segue solto e recebendo seu pagamento de R$ 26,7 mil.

Continuar lendo Mesmo condenados, mensaleiros custam R$ 137 mil por mês à Câmara