Supremo autoriza PF a fazer buscas na casa de blogueiros, de Roberto Jefferson e Luciano Hang, alvos da operação “Fake News

A Polícia Federal cumpre, na manhã desta quarta-feira (27), mandados de busca de apreensão relacionados à investigação conduzida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que averigua origens de fake news com ameaças e ofensas à Corte. Alguns dos alvos são o blogueiro Allan dos Santos, além do ex-deputado federal Roberto Jefferson e o empresário Luciano Hang. O deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP) também está na lista.  Os mandados foram expedidos pelo ministro do STF Alexandre de Moraes, relator do inquérito que investiga os ataques à Corte. Ao todo, a Polícia Federal cumpre 29 ordens de busca e apreensão em cinco estados, além do Distrito Federal: Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Paraná e em Santa Catarina. Allan dos Santos é proprietário do blog Terça Livre e é muito presente nas redes sociais, com postagens em apoio ao governo do presidente Jair Bolsonaro. Em novembro do ano passado, Allan prestou depoimento na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News, após ser acusado de disseminar notícias falsas. Em publicações recentes, o blogueiro fez coro ao ataque do ministro da Educação Abraham Weintraub direcionado ao STF. Weintraub, durante reunião ministerial no dia 22 de abril, chamou os membros da Corte de "vagabundos" e que "todos deveriam estar na cadeia".

Continuar lendo Supremo autoriza PF a fazer buscas na casa de blogueiros, de Roberto Jefferson e Luciano Hang, alvos da operação “Fake News

Filha de Garrincha diz que poderá pedir indenização por sumiço de ossada do pai

A Polícia Civil confirmou para a próxima segunda-feira os depoimentos de três pessoas que serão ouvidas no inquérito que apura se a sepultura de Manuel Francisco dos Santos, o Mané Garrincha, foi ou não violada. Na última quarta-feira, o Cemitério de Raiz da Serra, onde o craque foi sepultado em 1983, e a Prefeitura de Magé admitiram não saber onde estão os restos mortais do ex-jogador do Botafogo e da seleção brasileira. Serão ouvidos Rosângela Cunha dos Santos, filha de Garrincha que também confirmou o sumiço da ossada, uma administradora do cemitério e um sobrinho de Mané Garrincha. Este último é o dono da sepultura coletiva onde o ex-jogador foi enterrado originalmente. No entanto, no mesmo cemitério existe outra sepultura onde consta o nome do craque. Ela fica localizada na parte superior do terreno, onde existe um obelisco, e foi construída em 1985. Um levantamento feito pela Prefeitura de Magé revelou que uma exumação teria sido feita há alguns anos. Não há documento que comprove a realização do procedimento nem para onde a ossada foi transferida. Lívia de Oliveira dos Santos, de 36 anos, última filha de Garrincha, classificou como um desrespeito, nesta sexta-feira, o que aconteceu com a ossada do seu pai. Ela disse que se isso for comprovado pela polícia irá pedir uma indenização. — Se sumiram com os restos mortais do maior jogador do mundo, eu vou pedir uma indenização por isso. Sou a favor que a família autorize a Prefeitura de Magé a fazer a exumação das sepulturas para gente saber o que aconteceu de fato — disse, acrescentando que tem conversado sobre a exumação com Luiz Marques, neto de Garrincha. O neto de Garrincha confirmou que uma reunião de família será feita, na próxima quarta-feira, em Magé, para decidir se a prefeitura da cidade receberá ou não autorização para fazer a exumação. Caso ocorra concordância da família de Garrincha, o prefeito Rafael Tubarão providenciará exames de DNA para confirmar se a ossada do ex-jogador é uma das que estão enterradas nas duas sepulturas.

Continuar lendo Filha de Garrincha diz que poderá pedir indenização por sumiço de ossada do pai

Craques como Pelé lamentam o sumiço dos restos mortais de Garrincha

Ex- jogadores de futebol que conviveram com Manuel Francisco dos Santos, o Mané Garrincha, na seleção brasileira e no Botafogo, comentaram nesta quinta-feira a incerteza sobre onde estão depositados os ossos do atacante de drible fácil, que costumava deixar seus marcadores no chão. Parceiro de Garrincha nas Copas de 58 e 62, Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, lamentou que o cemitério de Raiz da Serra, em Magé, na Baixada Fluminense, onde o craque foi sepultado, em 1983, não saiba onde estão os restos mortais de Mané: — Eu lamento porque ele era um dos grandes parceiros meus na seleção. É uma pena que esteja acontecendo isso com um ídolo que tanto promoveu o Brasil em todo o mundo. Jairzinho, o Furacão da Copa de 70, jogou com Garrincha entre os anos de 64 e 65, no Botafogo, e classificou a situação como vergonhosa. Ele disse que Garrincha sofreu uma covardia. — Fico envergonhado do comportamento de alguns brasileiros. Principalmente nesse fato estranho, que deixa a gente muito, muito, mas, muito enfraquecido. Foi uma covardia o que aconteceu — afirmou. O craque Afonsinho conviveu com Garrincha, no Botafogo, no ano de 1965. Na época, ele acabava de chegar ao time, enquanto Mané estava deixando o clube. Afonsinho lembrou do sepultamento do amigo e disse que o ocorrido com Garrincha, anos após a sua morte, é deprimente. Nesta quinta-feira, a Polícia Civil informou que o delegado Antônio Silvino, da 66ª DP (Piabetá), abriu inquérito para apurar se ocorreu o crime de violação de sepultura, previsto no artigo 210 do Código Penal.

Continuar lendo Craques como Pelé lamentam o sumiço dos restos mortais de Garrincha

Temer não quer que PF o questione agora sobre áudio dele com Joesley da JBS

O presidente não quer ser questionado agora pela Polícia Federal sobre o conteúdo do áudio da conversa com o empresário Joesley Batista, da JBS, ocorrida na noite de 7 de março no Palácio do Jaburu. Por meio de petição ao ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato e desdobramentos no Supremo Tribunal Federal, o advogado do presidente, criminalista Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, alega que o áudio ainda está sendo submetido a uma perícia da Polícia Federal. A conversa foi gravada por Joesley. Nela, Temer reage com ‘ótimo, ótimo’ às informações do delator que narra ter corrompido o procurador da República Ângelo Goulart e conta sobre pagamento de mesada milionária para Eduardo Cunha, em troca do silêncio do ex-presidente da Câmara preso desde outubro de 2016. Os investigadores argumentam que Temer não poderia ter se omitido quando informado por Joesley sobre práticas criminosas. Nesta terça-feira, 30, Fachin autorizou a Polícia Federal a interrogar o presidente no inquérito da Operação Patmos, deflagrada no dia 18. O depoimento será por escrito. A PF vai encaminhar as perguntas a Temer, inclusive sobre o deputado Rocha Loures (PMDB/PR), ex-assessor do presidente flagrado correndo por uma rua dos Jardins, em São Paulo, com uma mala estufada de propinas da JBS – maços com 10 mil notas de R$ 50.

Continuar lendo Temer não quer que PF o questione agora sobre áudio dele com Joesley da JBS

Defesa deTemer desiste de pedido para suspender inquérito no STF; seria faca de dois gumes…

advogados do presidente Michel Temer querem evitar uma derrota antecipada no plenário do Supremo Tribunal Federal. Nesta tarde eles entraram com um novo pedido para que o ministro relator Edson Fachin não decida e nem leve a plenário o pleito anterior da defesa, que requer a suspensão do inquérito contra o presidente. A defesa também contratou uma perícia particular, que aponta até 70 pontos de obscuridade no áudio. O resultado desta perícia seria, para os advogados, suficiente para dar consistência à defesa de Temer. Fora isto, perder no julgamento do pedido de suspensão ajudaria a minar ainda mais o - já reduzido - apoio político do presidentais Mais cedo a ministra Carmén Lúcia, presidente do STF, suspendeu o julgamento do pedido de suspensão feito anteriormente, condicionando-o à juntada nos autos dos laudos periciais da PF nos áudios e no gravador que Joesley Batista usou para gravar o presidente.

Continuar lendo Defesa deTemer desiste de pedido para suspender inquérito no STF; seria faca de dois gumes…

Lucas Porto é indiciado por crime triplamente qualificado, estupro e morte da cunhada Mariana

Mediante resultado da maior parte dos laudos, a polícia divulgou na manhã desta quarta-feira (23) em coletiva na sede da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), o indiciamento do empresário Lucas Porto por homicídio triplamente qualificado e estupro da cunhada Mariana Costa, de 33 anos de idade. Segundo a polícia, a perícia revelou lesões no corpo da vítima, resultantes de intensa luta corporal com o assassino. Inchaço na cabeça, manchas nas pernas, marcas de esganadura no pescoço e outras lesões de defesa foram os indícios encontrados. De acordo com o secretário de segurança, Jefferson Portela, essas provas referendam a linha investigativa da polícia, levando a conclusão do inquérito policial. “Não houve dúvida sobre a autoria. Os laudos revelam que a senhora Mariana travou rigorosa luta contra Lucas, que foi indiciado por homicídio triplamente qualificado e estupro”, afirmou o secretário. As investigações apontam que Mariana Costa foi surpreendida enquanto dormia e que após matar a cunhada, Lucas tentou eliminar vestígios na cena do crime. “Após o crime, ele gastou tempo arrumando a cama e os lençóis para dar ideia de normalidade à cena, para dar ideia de suicídio ou outro motivo”, relatou Portela.

Continuar lendo Lucas Porto é indiciado por crime triplamente qualificado, estupro e morte da cunhada Mariana
Teori anula escuta de Lula e Dilma e envia para Moro caso de sítio e triplex
Tabelinha Lula-Dilma para salvação do governo vazou, mas Teori eliminou o áudio que quase todo mundo já ouviu

Teori anula escuta de Lula e Dilma e envia para Moro caso de sítio e triplex

Ministro citou decisão que determinou encerramento de interceptação. Investigações sobre ex-presidente foram enviadas em sigilo para 1ª instância Renan RamalhoDo G1, em Brasília O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta segunda-feira (13) o envio para o juiz federal Sérgio Moro, da Justiça Federal do Paraná, as investigações relativas ao sítio em Atibaia (SP) e ao triplex em Guarujá (SP) atribuídos ao ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Na decisão, Teori também anulou a validade jurídica da escuta telefônica que interceptou conversa do petista com a presidente afastada Dilma Rousseff. Em março deste ano, Moro havia retirado o sigilo de uma série de interceptações telefônicas de Lula e divulgou o teor das conversas, entre as quais o diálogo do ex-presidente com Dilma. Na conversa, os dois tratavam do envio a São Paulo do termo de posse de Lula como chefe da Casa Civil. A escuta foi realizada quase duas horas depois de Moro mandar a Polícia Federal suspender as interceptações telefônicas do petista. A conversa de Lula e Dilma foi divulgada dias após o Ministério Publico pedir a prisão do petista. No diálogo, a presidente se refere a um "termo de posse" que seria entregue ao petista. Naquele dia, Lula havia sido anunciado para a chefia da Casa Civil. Teoricamente, o termo de posse, o qual demonstrava que a partir daquele momento ele voltava a ter foro priviliado, poderia evitar que ele fosse preso. (veja a conversa completa ao final desta reportagem) Quando liberou as gravações, em 16 de março, o juiz federal do Paraná afirmou que havia decidido liberar o contéudo das conversas porque, segundo ele, pelo teor dos diálogos era possível constatar que o ex-presidente "já sabia ou pelo menos desconfiava de que estaria sendo interceptado pela Polícia Federal, comprometendo a espontaneidade e a credibilidade de diversos dos diálogos”. Decisão

Continuar lendo Teori anula escuta de Lula e Dilma e envia para Moro caso de sítio e triplex

MPF quer retirar nome de pessoas vivas de bens e logradouros públicos

A Procuradoria da República no Município de Bacabal (PRM/Bacabal) instaurou inquérito civil público com o objetivo de listar todos os bens públicos dos 24 municípios da Subseção Judiciária de Bacabal, bem como os estaduais e os federais, que possuam como titulação nome de pessoa viva. Os bens públicos com nomes de pessoas vivas violam o artigo 37 da Constituição Federal, que determina a proibição de prática de atos de promoção pessoal por meio de bens públicos, e também os artigos 1º, 2º e 3º da Lei n.º 6.454/1997, que proíbem o uso de pessoas vivas para identificar e nomear bens públicos.

Continuar lendo MPF quer retirar nome de pessoas vivas de bens e logradouros públicos