Justiça decreta prisão preventiva do homem que agrediu a própria mãe de 84 anos

A 8ª Vara Criminal da capital, responsável por julgar ações que envolvem idosos, decretou. nesta sexta-feira (26) a prisão preventiva de Roberto Elísio Coutinho de Freitas, 51 anos, acusado de agredir física e psicologicamente a mãe, Joseth Coutinho Martins de Freitas, de 84 anos de idade. A determinação foi da Juíza Oriana Gomes, a magistrada também determinou o afastamento do acusado do lar, e ele deve se manter distante da idosa em pelo menos mil metros. A decisão da juíza atende a representação da Delegacia de Proteção ao Idoso, que pugnou pela prisão preventiva do acusado e por medidas protetivas, visando à proibição de aproximação e de manter contato com a ofendida e com pessoas que moram com ela, por qualquer meio de comunicação, com vistas a preservar sua integridade física, moral e psicológica. Em sua decisão de mandar prender o representado, a juíza Oriana Gomes assinala que a medida, apesar de extrema, se faz necessária “para que a idosa volte a ter sua tranquilidade restaurada”, e também para que ele não venha a dificultar as diligências, com vistas a esclarecer os fatos delituosos. No Termo de Declaração anexado ao inquérito, o neto da idosa, Roberto Elízio Coutinho de Freitas Filho, filho do acusado, relata que sua avô, acometida de Alzheimer, vem sofrendo maus-tratos por parte do representado (seu pai), “que a agride tanto verbalmente como fisicamente”, puxando a vítima pelo braço, “dando-lhe empurrões e comida à força”, além de ameaçá-la de internação. A magistrada assinala que, pela provas produzidas pela autoridade policial e considerando a gravidade dos fatos descritos, ficou convencida de que o deferimento das medidas de afastamento do lar, domicílio ou local de convivência e de proibição de contato com a ofendida, de seus parentes e testemunhas por qualquer meio de comunicação, “são as que melhor se apresentam no momento”.

Continuar lendo Justiça decreta prisão preventiva do homem que agrediu a própria mãe de 84 anos
Levado para a delegacia de polícia o agressor da própria mãe de 84 anos
Elísio Coutinho diz que agressão foi consequência de uma doença dele...

Levado para a delegacia de polícia o agressor da própria mãe de 84 anos

A notícia se espalhou como um rastilho de pólvora, e passou a ser o assunto mais comentado nas redes sociais, esta manhã, em São Luís. O bacharel em Direito Elísio Coutinho flagrado agredindo a sua própria mãe, uma idosa de 84 anos, foi preso na manhã desta sexta-feira (26) por policiais civis da Delegacia do Idoso. Ele estava desaparecido desde a noite desta quinta-feira (25) após a repercussão dos vídeos divulgados pelas redes sociais com as agressões. Os vídeos teriam sido gravados pela companheira do agressor que não teve o seu nome revelado. A idosa foi encaminhada nesta sexta-feira ao Instituto Médico Legal (IML), onde realizou exames. o acusado chegou a dar uma entrevista a uma emissora de rádio justificando a agressão por encontrar-se doente, segundo ele. O promotor de Justiça de Defesa do Idoso, José Augusto Cutrim, pediu a prisão preventiva do homem que é bacharel em direito e aparece nos vídeos agredindo a própria mãe com tapas e até com um objeto. A Polícia Civil foi ao condomínio onde ele mora com a mãe, na capital, e não o encontrou na manhã desta sexta-feira (26), mas o agressor acabou sendo preso em outro local ainda não divulgado. O promotor disse que, além da prisão, o trabalho se desenvolve no sentido de dar suporte à vítima. “Solicitamos a prisão dele pelos crimes de lesão corporal e tortura, que estão previstos no Estatuto do Idoso. Além disso, encaminhamos um grupo de assistência social da promotoria para levantar toda situação da senhora. Saber quais danos foram causados a ela diante de tudo isso, se ela pode ficar com outros parentes ou terá que ser encaminhada a uma casa de abrigo. Tudo isso está sendo levantado”, disse. Em entrevista à Rádio Mirante AM, por telefone, na manhã desta sexta, Roberto Elísio confessou as agressões, mas alegou que fez isso por conta de uma suposta doença, a qual ele ainda não iniciou tratamento. “Acontece que eu estou sofrendo de um problema, eu tenho uma doença que está na fase do início do tratamento, eu já deveria estar mais adiantado e ter me tratado, entendeu? Então tudo isso eu vou esclarecer no momento que eu to bom, não agora, mas uma coisa eu lhe garanto meu amigo, o que é mais importante para mim na minha vida para mim sempre foram os meus pais. Meu pai eu perdi há 20 anos e minha mãe já está com 84 anos”, revelou.

Continuar lendo Levado para a delegacia de polícia o agressor da própria mãe de 84 anos

Aos 110 anos, morre a sobrevivente mais idosa do Holocausto

Judia nascida em Praga, ela passou dois anos da Segunda Guerra Mundial no campo de concentração de Terezin, na Tchecoslováquia, onde distraía os companheiros de detenção tocando piano. (AFP) Londres - A sobrevivente do holocausto mais idosa, Alice Herz-Sommer, que tem sua história contada em um documentário indicado ao Oscar, faleceu em Londres aos 110 anos, anunciou a família no domingo. Judia nascida em Praga, ela passou dois anos da Segunda Guerra Mundial no campo de concentração de Terezin, na Tchecoslováquia, onde distraía os companheiros de detenção tocando piano. A vida de Alice Herz-Sommer, amiga do escritor Franz Kafka, inspirou o filme "The Lady In Number 6: Music Saved My Life", de Malcolm Clarke, indicado ao Oscar na categoria documentário curta-metragem. Quase 140.000 judeus foram deportados para o campo de Terezin e 33.430 morreram no local. Segundo seu neto Ariel Sommer, "Alice Sommer morreu serenamente (...) com sua família ao seu lado".

Continuar lendo Aos 110 anos, morre a sobrevivente mais idosa do Holocausto