POLÍCIA FEDERAL: JBS e BRF, de “campeãs nacionais” a suspeitas de vender carne vencida
Fábrica da BRF em Chapecó (SC), um dos alvos da operação Carne Fraca. NELSON ALMEIDA AFP

POLÍCIA FEDERAL: JBS e BRF, de “campeãs nacionais” a suspeitas de vender carne vencida

A Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, não só apontou para a existência de um suposto esquema de corrupção entre frigoríficos e fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura, como colocou em dúvida a qualidade dos produtos vendidos por duas gigantes brasileiras do setor de carnes: JBS, dona das marcas Friboi Seara e Big Frango, e a BRF, dona da Sadia e Perdigão. A notícia de que as empresas pagavam propina para vender carnes vencidas ou adulteradas com produtos químicos —o que tanto a JBS quanto a BRF negaram— fez com que as ações dos frigoríficos despencassem mais de 8% na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) até o início da tarde sexta-feira. Além das duas gigantes do setor, outras 29 companhias também são alvo da operação. Tão logo foi noticiado, o suposto esquema de corrupção para vender carnes podres também despertou a desconfiança dos consumidores: sobrou até para o ator Tony Ramos, garoto-propaganda da Friboi, que tornou-se alvo de memes nas redes sociais e se disse "surpreso" com o esquema, em entrevista ao site Ego, da Globo —vegetarianos estão sendo felicitados por não comerem carne e, assim, estarem imunes ao esquema de fraude. Parte dos alimentos adulterados teriam sido fornecidos para alunos da rede pública do Paraná. A investigação também revelou a reembalo de produtos vencidos.

Continuar lendo POLÍCIA FEDERAL: JBS e BRF, de “campeãs nacionais” a suspeitas de vender carne vencida

Continua aberto o programa de renegociação fiscal da Fazenda Municipal de São Luís – REFAZ

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal da Fazenda, lançou o Programa de Recuperação de Créditos da Fazenda Municipal de São Luís – REFAZ, instituído pela Lei Municipal n° 6.197, de 14 de fevereiro de 2017, que tem como objetivo a regularização de débitos de natureza tributária (IPTU, ISS, Alvará, ITBI, dentre outros) e não tributária, com descontos de até 100% nos juros e multas e facilidade no parcelamento das dívidas. De acordo com o prefeito Edivaldo, o programa será lançado diante da necessidade de viabilizar instrumentos administrativos eficientes para a diminuição da dívida ativa, considerando que a execução fiscal representa grande dispêndio ao município. A arrecadação municipal recebida será revertida em diversas ações nas áreas de educação, saúde, infraestrutura e melhorias para a cidade. O período de adesão ao programa vai de 20 de fevereiro a 17 de abril do ano vigente. O contribuinte terá facilidade no parcelamento de suas dívidas e vários pontos de atendimento distribuídos em São Luís.

Continuar lendo Continua aberto o programa de renegociação fiscal da Fazenda Municipal de São Luís – REFAZ