Caso Fifa: Globo pagou propina por direitos de TV, diz testemunha

Alejandro Burazco está preso desde 2015; Ele afirmou que a Rede Globo pagou propina para vencer a concorrência dos direitos de transmissão de competições internacionais.  A testemunha do caso Fifa Alejandro Burzaco, que trabalhava para a Torneos y Competencias SA, da Argentina, afirmou que a Rede Globo pagou propina para vencer a concorrência dos direitos de transmissão de competições internacionais. A emissora teria participado do pagamento junto com outras cinco TVs. Segundo a Folha de S. Paulo (via Bloomberg), Burzaco foi interrogado nos Estados Unidos durante esta terça. Ele é uma das testemunhas de acusação de José Maria Marín, ex-presidente da CBF, preso em Nova York.

Continuar lendo Caso Fifa: Globo pagou propina por direitos de TV, diz testemunha
Revista cita escândalo das Copas de 2002 e 2006 para explicar relação entre Globo e Fifa
"Não causaria surpresa se o FBI batesse na porta dos irmãos Marinho", diz revista Reprodução/ Carta Capital

Revista cita escândalo das Copas de 2002 e 2006 para explicar relação entre Globo e Fifa

Carta Capital utilizou documentos do livro “O Lado Sujo do Futebol” para apontar associação entre emissora e entidade A Carta Capital que chegou às bancas na última sexta-feira (5) apontou novos atores para o maior escândalo de corrupção da história do futebol. A revista utilizou documentos reproduzidos no livro O Lado Sujo do Futebol, dos jornalistas Luiz Carlos Azenha, Leandro Cipoloni, Amaury Ribeiro Jr. e Tony Chastinet, para incluir a Rede Globo na investigação que culminou na prisão de sete dirigentes do alto escalão da Fifa. A publicação diz que a relação da emissora com os principais envolvidos vem de longa data, como no milionário esquema abastecido pela extinta ISL. A empresa intermediava a negociação das cotas de tevê para as Copas do Mundo de 2002 e 2006. Como lembra a revista, nesse esquema deflagrado pela promotoria suíça, o ex-presidente da Fifa João Havelange e o ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira receberam propinas equivalentes a R$ 45 milhões. O processo foi desencadeado pela própria Fifa, que cobrou da massa falida da ISL sua parcela da quantia paga pela Globo. A emissora havia dissolvido uma empresa nas Ilhas Virgens Britânicas para pagar o pacote da Fifa sobre os direitos do Mundial de 2002. A Receita Federal identificou irregularidades na operação e a Globo, que na época contestou a sonegação, foi condenada a pagar R$ 615 milhões. A capa da revista monta um álbum de figurinhas estilizado com a manchete "álbum incompleto". Lá estão Ricardo Teixeira (indiciado pela Polícia Federal), Joseph Blatter (presidente renunciado da Fifa), Jérôme Valcke (investigado pela Justiça dos Estados Unidos), José Hawilla (réu confesso) e José Maria Marin (preso na Suíça). A sexta imagem apresenta o símbolo da Rede Globo e um ponto de interrogação, questionando quais outras figurinhas carimbadas ainda serão queimadas.

Continuar lendo Revista cita escândalo das Copas de 2002 e 2006 para explicar relação entre Globo e Fifa

Só faltava essa! FBI teria levantado que goleada no Brasil pela Alemanha teria sido marmelada.

Textos como esse, cujas informações são atribuídas a vazamentos do FBI, nos Estados Unidos, estão sendo divulgados às carradas nas redes sociais, através de uma tal "Rede Rius". A publicação por este blog é feito com reservas, que ficará de prontidão aguardando novas revelações, se houver. VEJAM: Informaçôes do FBI que estariam sendo levantadas nos EUA dariam conta de que o chefe da CBF preso pela Polícia Americana está envolvido no resultado do jogo entre Brasil e Alemanha. A histórica goleada na semifinal da Alemanha sobre a seleção brasileira pode ter envolvido milhões de dólares, onde cada jogador recebeu sua parte. Dentro de 30 dias será divulgado um balanço que poderá acabar com a vida profissional de muitos jogadores brasileiros reconhecidos pelos torcedores, afirmou o FBI. O esquema pode sobrar até para Rede Globo de Televisão. “Dane-se o torcedor, vamos garantir o nosso. É melhor um na mão que dois voando” Segundo a FIFA uma frase que vai doer no coração dos brasileiros apaixonados por futebol Vários e-mails atualmente “denunciam” a venda desta Copa nas redes sociais. Os textos apresentam detalhes distintos, mas quase todos partem do mesmo autor: Gunther Schweitzer, o mesmo homem que denunciou a venda da Copa de 1998. Em alguns textos, Schweitzer é apresentado como diretor de jornalismo dos canais ESPN. Em outros, o nome aparece com o mesmo suposto cargo de 16 anos atrás: diretor da Rede Globo. Além da troca de favores entre Brasil e Fifa, outra “questão” foi levantada nos últimos dias: a de que Neymar não teria efetivamente se lesionado na partida contra a Colômbia. Sites brasileiros e colombianos divulgaram imagens da chegada do atleta ao hospital de Fortaleza. Nelas, o paciente aparece com o rosto coberto e sem as tatuagens que o atacante possui no braço direito. Houve ainda quem adaptasse a história e afirmasse que Neymar simulou a lesão, pois foi o único que não concordou em vender a Copa à Fifa.

Continuar lendo Só faltava essa! FBI teria levantado que goleada no Brasil pela Alemanha teria sido marmelada.
Fifa: renúncia de Blatter coloca em xeque Copas de 2018 e 2022
Blater não segurou a pressão e renunciou

Fifa: renúncia de Blatter coloca em xeque Copas de 2018 e 2022

Futuro dos Mundiais estaria no centro da agenda de encontro da Uefa, no fim de semana, numa reunião que poderia começar a desenhar a nova Fifa A renúncia de Joseph Blatter da presidência da Fifa promete abrir uma verdadeira guerra pelo poder no futebol e vai jogar toda a estrutura do esporte em um clima de incerteza, inclusive sobre as sedes das próximas duas edições da Copas do Mundo. O futuro dos Mundiais estaria no centro da agenda de encontro da Uefa, no fim de semana, numa reunião que poderia começar a desenhar a nova Fifa. Porém, o encontro foi cancelada pelo fato de a entidade considerar o debate ainda "prematuro". Fora da entidade desde que João Havelange assumiu o poder em 1974, os europeus estão comprometidos a recuperar a direção do futebol mundial. Blatter, apesar de suíço, jamais foi considerado como um europeu. O cartola era um dos maiores defensores do Mundial da Rússia em 2018 e chegou a comprar a versão de que a campanha contra ele era uma forma de o Ocidente derrubar a Copa promovida pelo Kremlin. Vladimir Putin passou a ser um de seus aliados, denunciando os Estados Unidos. Agora, sem Blatter, a pressão por uma investigação sobre a compra de votos da Rússia para ser escolhida a sede do Mundial de 2018 deve aumentar. O Ministério Público da Suíça já apura o caso e deve interrogar cerca de dez cartolas nas próximas semanas. Não por acaso, a única patrocinadora da Fifa que não emitiu um comunicado comemorando a renúncia foi o Gazprom, de Moscou.

Continuar lendo Fifa: renúncia de Blatter coloca em xeque Copas de 2018 e 2022

Documento revela que Marin, ex-presidente da CBF, recebeu R$ 2 milhões por ano de propina da Traffic

Segundo a Justiça dos EUA, valor é pago pela detentora dos direitos de transmissão da Copa do Brasil desde 1990 Preso na madrugada desta quarta-feira (horário de Brasília), em Zurique, na Suíça, juntamente com outros seis executivos da Fifa, José Maria Marin, ex-presidente da CBF, recebeu cerca de R$ 2 milhões por ano de propina da Traffic, segundo a Justiça dos Estados Unidos, que está investigando o caso. Presidida por José Hawilla, réu confesso, a Traffic Group, detentora dos direitos de transmissão da Copa do Brasil, era quem pagava a propina ao cartola brasileiro. "Entre 1990 e 2009, a Traffic acertou uma série de contratos com a CBF, a federação brasileira de futebol, para adquirir direitos comerciais da Copa do Brasil, um torneio anual com clubes brasileiros", diz o documento de investigação O relatório ainda revela como foi feito o acordo. "Durante este período, Marin recebeu propina na negociação da venda de direitos econômicos da Copa do Brasil. Como resultado de um acordo alcançado entre CBF e Traffic em 22 janeiro de 2009, a Traffic detinha os direitos de cada edição da Copa do Brasil para ser jogado a partir de 2009 até 2014".

Continuar lendo Documento revela que Marin, ex-presidente da CBF, recebeu R$ 2 milhões por ano de propina da Traffic
A Seleção do Brasil teria vendido a Copa: versão fictícia 2014 ‘bomba’ na internet
Versão fictícia para a venda da Copa 2014 pode ser mais uma bola furada...

A Seleção do Brasil teria vendido a Copa: versão fictícia 2014 ‘bomba’ na internet

UOL Esporte – Uma carta fictícia denunciando a venda da Copa de 1998 é uma das correntes mais lidas da internet. O documento dizia que o Mundial havia sido comprado, por isso o Brasil perdeu a final para a França por 3 a 0, em uma decisão cercada de polêmicas. Várias conspirações foram criadas e agora já está no ar até uma versão sobre a Copa de 2014. Dois dias depois da derrota brasileira para a Alemanha na semifinal, a “denúncia” aponta que o Brasil vendeu a Copa em troca do título olímpico de 2016, que a seleção nunca conquistou. Os jogadores também receberiam prêmios e grandes contratos publicitários, equivalentes a estrelas do futebol mundial. Segundo a carta que circula, o Brasil perderia a partida na prorrogação, mas o abatimento foi tão grande que a seleção foi goleada. O documento fictício é assinado pelo mesmo nome que teria divulgado o esquema em 1998, Gunther Schweitzer. Na época, ele era apontado como um “alto funcionário da Globo”, agora virou “diretor dos canais ESPN”. Confira uma das versões da corrente que circula na internet:

Continuar lendo A Seleção do Brasil teria vendido a Copa: versão fictícia 2014 ‘bomba’ na internet
Medroso morreu de velho! Dilma e Blatter não farão discursos na cerimônia de abertura da Copa
Abertura da Copa das Confederações foi marcada por vaia do público no momento que Dilma discursava. Nilton Fukuda/Estadão - 15/06/2013

Medroso morreu de velho! Dilma e Blatter não farão discursos na cerimônia de abertura da Copa

Medida soa como precaução por causa das ameaças de protestos no Brasil durante o Mundial O Estado de S. Paulo SÃO PAULO - As ameaças de protestos na Copa do Mundo já causam mudanças no planejamento inicial do evento, marcado para o dia 12 de junho, no Estádio do Corinthians, em São Paulo. Nesta terça-feira, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, afirmou que ele e a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, não farão discursos na cerimônia de abertura do Mundial, quando a seleção brasileira enfrenta a Croácia, na Arena Corinthians. A confirmação foi feita pelo mandatário da Fifa em entrevista à agência alemã DPA. "Vamos fazer a cerimônia inaugural de maneira que não façamos discursos", disse Blatter. A medida soa como uma precaução, já que em Brasília, na cerimônia de abertura da Copa das Confederações de 2013, Dilma e Blatter foram vaiados pelos torcedores no Estádio Mané Garrincha. A presidente foi até mais vaiada que o próprio Blatter. A competição coincidiu com uma onda de manifestações em todo o País durante o mês de junho. Em praticamente todos os 16 jogos da Copa das Confederações, houve protestos no entorno dos estádios. Os manifestantes questionando os gastos de verbas públicas pelos organizadores do Mundial. Em algumas cidades houve quebra-quebra.

Continuar lendo Medroso morreu de velho! Dilma e Blatter não farão discursos na cerimônia de abertura da Copa
Fifa alerta sobre protestos na Copa do mundo de 2014
Secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke: medo de manifestações na Copa 2014

Fifa alerta sobre protestos na Copa do mundo de 2014

A Copa do Mundo de 2014 pode ser alvo de mais protestos no Brasil, mas a Fifa não deve ser responsabilizada ou tornar-se bode expiatório, disse o secretário-geral da federação, Jérôme Valcke, ontem (12), em Johanesburgo A grande presença da imprensa internacional na Copa do Mundo representa "uma plataforma fácil para expressar preocupações e organizar manifestações", disse Valcke. "Acho que é muito fácil colocar a culpa pelo que aconteceu nas ruas do Brasil em junho na Fifa ou na Copa do Mundo, dizendo: 'Por que estão gastando tanto dinheiro com um torneio de futebol e não gastam em outras coisas?'", acrescentou. A Copa das Confederações, evento-teste do Mundial realizado em junho em seis cidades brasileiras, foi marcada por manifestações, que pegaram de surpresa tanto o governo brasileiro como os organizadores.

Continuar lendo Fifa alerta sobre protestos na Copa do mundo de 2014