Suzane Richthofen, condenada a 39 anos de prisão pelo assassinato dos pais, é selecionada no Fies para cursar faculdade católica
Suzane prestou o Enem dentro da penitenciária (Foto: Reprodução/TV Globo)

Suzane Richthofen, condenada a 39 anos de prisão pelo assassinato dos pais, é selecionada no Fies para cursar faculdade católica

A detenta Suzane von Richthofen, condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais, foi pré-selecionada para obter empréstimos para pagar a mensalidade em uma universidade católica privada em Taubaté (SP). O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) divulgou nesta segunda-feira (13) a lista com os nomes dos candidatos aprovados, segundo noticiou o G1 Com o nome na lista dos selecionados, o governo pode pagar até 100% do valor do curso da detenta. Para ter direito de acessar o programa, a presa tem que concluir a inscrição no SisFies até esta terça-feira (14). Suzane se cadastrou para fazer o curso de administração, que é presencial, no período noturno da faculdade Dehoniana. De acordo com as informações obtidas pelo G1 no site do Fies, havia apenas duas vagas disponíveis no Fies para o perfil escolhido pela presa. No Fies, os estudantes são classificados a partir da nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Suzane teria obtido nota 675,08 no exame, que foi feito nos dias 13 e 14 de dezembro de 2016 dentro da penitenciária Santa Matia Eufrásia Pelletier, em Tremembé (SP), onde ela está desde 2006. Agora, com o resultado da pré-seleção, a Defensoria Pública, que defenda Suzane, deve entrar com pedido na Vara de Execuções Criminais (VEC) para que ela faça faculdade. Cabe à juíza Sueli Zeraik analisar o pedido - que ainda não foi entregue ao judiciário e pode ser recusado. A faculdade Dehoniana informou que não foi realizada a matrícula da presa e que a lista dos aprovados no Fies não foi entregue à instituição até o fim da tarde desta segunda -feira. As aulas na faculdade começaram no último 6 e a mensalidade do curso custa R$ 596 ao mês.

Continuar lendo Suzane Richthofen, condenada a 39 anos de prisão pelo assassinato dos pais, é selecionada no Fies para cursar faculdade católica
Procon garante 50% de desconto para universitários que tiveram seus direitos ao FIES violados
Presidente do Procon-MA, Duarte Júnior, conduzindo o diálogo entre alunos e faculdade

Procon garante 50% de desconto para universitários que tiveram seus direitos ao FIES violados

Após ouvir as reivindicações de mais de 140 alunos dos cursos de Engenharia Civil, Fisioterapia e Radiologia da faculdade Maurício de Nassau, o PROCON Maranhão firmou acordo com a instituição de ensino superior que beneficia os consumidores e soluciona os problemas relatados. Os alunos matricularam-se em razão da oferta e autorização para aderirem ao Fundo de Financiamento Estudantil – FIES – mas, em razão de problemas entre a faculdade e o MEC, não conseguiram o referido benefício. Por essa razão, os alunos acumularam dívidas com a instituição de ensino referentes ao período letivo 2014.1 que os impediram de realizar rematrículas e causaram diversos transtornos. A reunião entre o PROCON, os alunos e os representantes da faculdade aconteceu na quarta-feira (30), e durante o diálogo, conduzido pelo presidente do órgão, Duarte Júnior, o saldo devedor foi congelado e reduzido em 50%, além disso não serão cobradas multas ou juros e o pagamento poderá ser feito em até 12 vezes, a partir de 20 de janeiro de 2016. De acordo com o presidente, toda prestação de serviço precisa ser paga, no caso dos alunos dessa instituição, o pagamento seria feito pelos moldes do FIES, 18 meses após a conclusão do curso, mas como eles não foram contemplados no período de 2014.1, acumularam a dívida.

Continuar lendo Procon garante 50% de desconto para universitários que tiveram seus direitos ao FIES violados

Em 1 ano, novos contratos do FIES cairam em quase 50 por cento, diz o próprio MEC

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) sofreu uma redução de quase 50% na quantidade de novos contratos firmados entre o primeiro semestre de 2014 e o primeiro semestre de 2015. Segundo o levantamento final da plataforma do Fies, divulgado pelo Ministério da Educação na tarde desta segunda-feira (4), a queda foi de 480 mil no ano passado, para 252 mil neste ano, o equivalente a 47,5%. O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, afirmou que esses 252 mil contratos consumiram toda a verba do Fies para novos financiamentos em 2015, equivalentes a R$ 2,5 bilhões. Por isso, uma segunda edição do programa, no segundo semestre, ainda não está garantida. "Depende da disponibilidade orçamentária", disse ele, em entrevista coletiva em Brasília, quando questionado sobre a possibilidade. "Estamos trabalhando nisso, mas não podemos prometer algo que não temos certeza." Caso o MEC não abra uma nova edição do programa, o número de novos contratos do Fies em 2015 seria 65,6% menor que o total de novos financiamentos abertos em 2014 (cerca de 731 mil, segundo o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, FDNE). Trata-se do número mais baixo dos últimos quatro anos.

Continuar lendo Em 1 ano, novos contratos do FIES cairam em quase 50 por cento, diz o próprio MEC

MEC prorroga prazo para renovação dos contratos do FIES. Nova inscrição, porém, só até 30 de abril

O Ministério da Educação decidiu, nesta quinta-feira (23), prorrogar o prazo para que estudantes com contratos já vigentes do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) possam renovar os contratos de financiamento. O novo prazo para estes estudantes concluírem a renovação semestral agora vai até 29 de maio, segundo anunciou a assessoria de imprensa do MEC. Mas os estudantes que querem pedir um novo contrato de financiamento terão o prazo inicial mantido para a quinta-feira da próxima semana, dia 30 de abril. A mesma fonte informou que, até a tarde desta quinta-feira, cerca de 1,6 milhão do total de 1,9 milhão de contratos vigentes já tinham sido aditados, e 242 mil novos contratos tinham sido feitos pelo site do Fies. Ainda conforme anunciou a assessoria de imprensa do MEC, a portaria que oficializa a mudança será publicada na edição desta sexta-feira (24) do "Diário Oficial da União", assinada por Antonio Idilvan de Lima Alencar, presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Já o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, afirmou, em nota divulgada hoje, que "o MEC tomou essa decisão, em conjunto com o FNDE, para dar mais segurança e tranquilidade aos estudantes que ainda buscam aditar seus contratos no sistema".

Continuar lendo MEC prorroga prazo para renovação dos contratos do FIES. Nova inscrição, porém, só até 30 de abril
Aperto fiscal e ameaças de greves serão desafios do novo ministro da Educação que assume segunda-feira
Renato Janine Ribeiro, novo ministro da Educação

Aperto fiscal e ameaças de greves serão desafios do novo ministro da Educação que assume segunda-feira

Recém-anunciado para o comando do Ministério da Educação, o professor de Ética e Filosofia Política da Universidade de São Paulo Renato Janine Ribeiro assume com o desafio de fazer decolar o lema da Pátria Educadora, anunciado como marca do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. Embora conte com apoio e reconhecimento no meio acadêmico, o futuro ministro assumirá o cargo na próxima segunda-feira (6) em meio ao corte de gastos nos ministérios e ameaça de greve de professores universitários. No Congresso, a oposição tentará desgastar o novo auxiliar da presidente, a partir da recente polêmica sobre o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Sem filiação partidária, Janine serviu para apaziguar minimamente os ânimos do PMDB quanto à pasta. Em março, a sigla usou a polêmica que cercou o ex-ministro Cid Gomes para pressionar o Planalto no Congresso e chegou a entrar em disputa com o PT nos bastidores pela nova indicação. Na última semana, coube aos tucanos o papel de pressionar o futuro titular da pasta e houve até uma tentativa de convocar o professor antes mesmo de sua nomeação, para dar explicações a comissões da Câmara sobre as novas regras de concessão do Fies, que levam em conta a pontuação obtida pelo estudante no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e limita o percentual de reajuste das mensalidades cobradas pelas instituições cadastradas.

Continuar lendo Aperto fiscal e ameaças de greves serão desafios do novo ministro da Educação que assume segunda-feira

Dilma: governo errou ao deixar setor privado controlar matrículas do Fies

Em entrevista a jornalistas na última segunda-feira (16), no Palácio do Planalto, a presidenta disse que cometem-se erros em qualquer atividade humana. Ela admitiu inclusive a possibilidade de o governo ter cometido algum erro na condução da política econômica, mas pediu que sejam apontados os momentos em que ela não foi humilde para que possa avaliar se se tem razão. Logo depois, Dilma lembrou de um erro cometido pelo governo: “quem controlava as matrículas era o setor privado. Esse é um erro que cometemos, detectamos, voltamos atrás e estamos ajustando o programa. Antes, as matrículas eram feitas diretamente com as instituições, agora elas vão ter de passar pelo governo”. A presidenta garantiu, no entanto, que esse erro não é culpa do setor privado, já que esse controle é feito em outras áreas como o Programa Universidade para Todos (ProUni).

Continuar lendo Dilma: governo errou ao deixar setor privado controlar matrículas do Fies

Faculdades privadas tentam cobrar de aluno reajuste do Fies barrado pelo MEC

Ministério da Educação limitou reajuste anual a 6,4%; particulares dizem que entrave do governo é inconstitucional Muitasn faculdades privadas do País tentam aplicar o aumento integral do FIES (programa federal de crédito estudantil) e cobrar de seus estudantes o pagamento da diferença, isso depois de terem reajuste de mensalidades financiadas pelo programa limitado pelo Ministério da Educação, Para realizar o aditamento (renovação do financiamento), o reajuste da mensalidade dos cursos contemplados pelo programa precisa ter sido de, no máximo, 6,4% (valor da inflação oficial de 2014). No entanto, muitas instituições de ensino já haviam aplicado os reajustes antes de serem informadas da limitação. Algumas faculdades integrantes de grandes grupos de educação já comunicaram aos alunos que o ônus pela mudança nas regras do FIES deverá ficar com os estudantes. Em comunicado a alunos, a Universidade São Judas Tadeu afirmou que para aditamentos, embora tenha havido o compromisso do FIES em financiar um percentual de 50%, 75% ou 100% das mensalidades dos alunos, houve uma alteração no SisFies que impede a inserção do valor da mensalidade com a integralidade do reajuste. A universidade diz que está tentando "evitar que tais questões gerem ônus aos alunos, que são os responsáveis pelos encargos educacionais perante a instituição". Já a Anhanguera, do grupo Kroton, divulgou comunicado aos alunos dizendo que "por lei e contratualmente, a diferença é devida pelo aluno à instituição", mas que está buscando as melhores alternativas para os estudantes.

Continuar lendo Faculdades privadas tentam cobrar de aluno reajuste do Fies barrado pelo MEC

MEC reabre nesta segunda sistema de inscrições do Fies a novos alunos

O Ministério da Educação vai abrir nesta segunda-feira (23) o Sistema Informatizado do Fies (SisFies) para novos contratos para o primeiro semestre deste ano no sitesisfiesportal.mec.gov.br. As inscrições poderão ser feitas até o dia 30 de abril. A portaria com as regras para a inscrição no Fies foi publicada na edição desta segunda-feira do "Diário Oficial". De acordo com a portaria, o governo vai usar indicadores de desempenho e de qualidade da instituição de ensino superior para liberar o financiamento.

Continuar lendo MEC reabre nesta segunda sistema de inscrições do Fies a novos alunos