Medida ‘extrema’: Estados querem atender em casa infectados pelo coronavírus

Secretarias estaduais de Saúde se preparam para enfrentar um eventual agravamento da contaminação do novo coronavírus no País planejando atendimento domiciliar e suspensão de tratamentos e cirurgias agendadas para a liberação de leitos. O Brasil tem atualmente 252 pacientes sob investigação e dois confirmados com a doença. Em Minas, está previsto até um hospital de campanha. A chegada ao País do novo coronavírus, que teve seu segundo caso confirmado em São Paulo anteontem, colocou a estrutura de saúde no nível “perigo iminente”, um estágio abaixo do limite para a declaração de emergência por circulação por contaminação interna da doença no País. Com 252 pacientes sob investigação em 15 Estados, mais o Distrito Federal, as secretarias estaduais de Saúde se preparam para enfrentar um eventual agravamento do quadro, planejando atendimento domiciliar e até a suspensão de tratamentos e cirurgias agendadas para a liberação eventual de leitos. “Esse cancelamento de procedimentos eletivos é uma possibilidade extrema, sempre cogitada quando há muitos casos de urgência”, explica o presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Alberto Beltrame, titular de Saúde do Pará. “Isso só ocorrerá se houver uma sobrecarga de casos graves, coisa que, neste momento, não há como estimar.” Com a maior concentração de casos suspeitos no País, o Estado de São Paulo tem ainda 136 pacientes em avaliação. De acordo com o governador João Doria (PSDB), o Estado “vai investir R$ 30 milhões em um programa de prevenção do coronavírus”, dos quais R$ 14 milhões serão destinados a uma campanha de conscientização a ser veiculada em meios de comunicação e redes sociais. A ação será iniciada na próxima semana. “Os R$ 16 milhões restantes serão utilizados para apoio operacional”, informou. O segundo colocado com maior concentração de casos suspeitos é o Rio Grande do Sul, com 27 pacientes em observação. De acordo com as autoridades gaúchas, não há investimento em equipes para atendimento domiciliar.

Continuar lendo Medida ‘extrema’: Estados querem atender em casa infectados pelo coronavírus

Megaoperação contra pedofilia prende mais de 100 em 24 Estados e no DF

Criminosos foram presos em flagrante pela posse de material que revela exploração sexual de crianças e adolescentes Pelo menos cem pessoas foram presas nesta sexta-feira, 20, na maior operação de combate à pedofilia na internet já realizada no Brasil e na América Latina . De acordo com o Ministério da Justiça, 178  mandados de prisão foram expedidos em 24 Estados e no Distrito Federal. Foram analisados 151 mil arquivos na investigação, que durou seis meses.  Cerca de 1,1 mil policiais civis foram às na operação Luz na Infância , que foi corrdenada coordenada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) do Ministério da Justiça, em parceria com secretarias de segurança regionais, polícias civis e a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.

Continuar lendo Megaoperação contra pedofilia prende mais de 100 em 24 Estados e no DF

Trinta pedófilos são presos pela PF em todo o Brasil. Maranhão é parte da operação

Dois funcionários públicos que usavam computadores do órgão pra compartilhar pornografia infantil  estão entre os presos. Segundo a PF, também foi capturado um senhor de 80 anos.  O delegado da Polícia Federal (PF) Flávio Augusto Palma Setti disse que entre os presos da Operação Glasnost, deflagrada nesta terça (25) em 14 estados brasileiros, estão pais que abusavam das próprias filhas, um homem de 80 anos, e dois funcionários públicos que usavam computadores do órgão pra compartilhar pornografia infantil. Pelo menos 15 vítimas já foram identificadas, ainda segundo a PF. "Um dos casos que nos chamou a atenção foi em Praia Grande, em São Paulo, de uma menina que sofreu abusos do pai entre os dois e oito anos de idade", contou o delegado. Os abusos, conforme a PF, ocorriam na casa da avó da menina, sem o conhecimento de mais ninguém. "Os abusos só pararam porque ele ficou com medo que a filha contasse para as amigas". Até as 10h20, 30 pessoas tinham sido presas, sendo 27 em flagrante e três preventivas. Professores, médicos, estudantes, um porteiro, entre outros, também estão entre os presos.

Continuar lendo Trinta pedófilos são presos pela PF em todo o Brasil. Maranhão é parte da operação

A paralisação em 24 estados brasileiros e DF. São Luís sem ônibus e bloqueio da BR 135

Manifestações atingem 24 Estados do Brasil, mais o Distrito Federal. A violência utilizada nos protestos tem sido constantes. Em São Luís, ônibus não circulam e o comércio dos principais corredores da cidade está quase todo fechado. Sindicatos fazem protestos e paralisações em 25 estados e no DF nesta sexta-feira (28) contra as reformas trabalhista e previdenciária. Servidores públicos, bancários, motoristas de ônibus e professores estão entre as categorias que aderiram ao movimento. Em São Luís, com o transporte coletivo paralisado, o comércio e as repartições públicas, com raras exceções, também não funcionam. A volta dos ônibus estaria prevista para as 16 horas, mas tudo depende da intensidade do movimento. No geral, a situação está assim: Ônibus não circulam. Vias bloqueadas: BR-135 (que dá acesso à entrada e saída de São Luís, os dois sentidos da rodovia estão completamente bloqueados) e Avenida dos Portugueses. Aeroporto está funcionando. Servidores públicos, bancários, motoristas de ônibus e professores estão entre as categorias que aderiram à paralisação. Em todo o país, notadamente em São Paulo, os manifestantes fazem de tudo para impedir a locomoção das pessoas por qualquer meio de transportes, dificultando que cheguem ao seu destino. Querem, com isso, parar o sistema produtivo do país. Para isso, estão interditando estradas, incendiando pneus e provocando engarrafamentos. Veja, agora, com a colaboração do G1, um balanço do movimento, até as 10 horas. É só acessar o "LEIA MAIS".

Continuar lendo A paralisação em 24 estados brasileiros e DF. São Luís sem ônibus e bloqueio da BR 135

Pelo impeachment de Dilma: manifestações ocorrem em todos os estados do Brasil

Ao menos 87 cidades, em 26 estados e DF, tiveram atos por impeachment. Polícia estimou em 83 mil manifestantes; para organizadores, foram 407 mil. Manifestações a favor do impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff (PT), aconteceram domingo (13) em ao menos 87 cidades de todos os estados do país e do Distrito Federal. A estimativa do total de manifestantes no Brasil foi de 83 mil pela Polícia Militar e 407 mil pelos organizadores. Os atos deste domingo tiveram adesão menor do que os de 16 de agosto, data das manifestações anteriores contra Dilma, quando foram estimadas 879 mil pessoas pela polícia e 2 milhões por organizadores. O maior ato contra o governo em 2015 foi em 15 de março (veja os números por data e por cidade aqui). As manifestações foram pacíficas, com poucos incidentes isolados em algumas cidades. Grande parte dos manifestantes vestia verde e amarelo e levava cartazes contra a corrupção, o governo federal e o PT. Além de pedirem a saída de Dilma, algumas pessoas também se manifestaram contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PT). Um grupo em Brasília pediu a cassação do mandato do deputado. Outro nome citado nos atos, mas de maneira positiva, foi o do juiz da Operação Lava Jato. Sérgio Moro foi exaltado em faixas na manifestação de Curitiba, cidade que concentra as investigações da operação, conforme cobertura, em todo o Brasil, do Portal G1

Continuar lendo Pelo impeachment de Dilma: manifestações ocorrem em todos os estados do Brasil

Onze estados anunciam cortes de despesas e cargos. Flávio Dino quer economizar 50 milhões em 2015

Seguindo a linha de austeridade também anunciada por vários governadores Brasil a fora, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), pretende economizar cerca de R$ 50 milhões só com a suspensão de pagamentos, que seriam pinçados dentro do rombo total de R$ 1,1 bilhão de reais, que é o valor total da dívida deixada pelo governo anterior, anunciado semana passada. Dino é dos poucos governadores que ainda não anunciou cortes de secretarias ou de cargos comissionados. Já governadores de pelo menos 11 Estados anunciam redução de cargos de confiança e de secretarias, já que os cortes efetivos de gastos não são imediatos. A maioria dos Executivos estaduais prevê diminuir despesas em 2015, mas o detalhamento da maioria das medidas não foi divulgado. Em tempos de baixo crescimento econômico e com o governo federal adotando medidas de maior rigor fiscal, a maioria dos governos estaduais procurou demonstrar austeridade nesse início de mandato. Parte das medidas, porém, acabam tendo mais efeito simbólico, como a extinção de secretarias ou o corte de cargos comissionados que não eram efetivamente ocupados, que orçamentários. Um exemplo disso é o governador reeleito do Amazonas, José Melo (Pros). Ele disse querer economizar R$ 700 milhões do orçamento de R$ 15,6 bilhões para 2015 e que vai extinguir secretarias, mas não especificou detalhes dessas medidas.

Continuar lendo Onze estados anunciam cortes de despesas e cargos. Flávio Dino quer economizar 50 milhões em 2015

Candidatos aos governos estaduais já arrecadaram R$ 80 milhões, diz TSE

Dados informam arrecadação e gastos do primeiro mês de campanha. Nem todos os candidatos informaram dados a Justiça eleitoral. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou na quarta-feira (6) a primeira parcial dos dados de doações recebidos pelos candidatos às eleições de outubro. Os números mostram que o total arrecadado pelos postulantes ao cargo de governador no primeiro mês de campanha em todo o país já somam R$ 79.720.131,67. O campeão de doações até agora é Delcídio do Amaral (PT), que concorre ao governo de Mato Grosso do Sul. Segundo dados do TSE, ele já arrecadou R$ 8,6 milhões. Em segundo está Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ), com quase R$ 5,8 milhões em doações arrecadadas, seguido por Geraldo Alckmin (PSDB-SP), com R$ 5,7 milhões. Já entre os candidatos com menos receita está Camila Valadão (PSOL), que disputa o governo do Espírito Santo e arrecadou apenas R$ 550. Alguns políticos nas disputas estaduais disseram ao TSE não ter havido movimentação financeira e há casos em que não foi registrada a prestação de contas na Justiça eleitoral. Na tabela abaixo, clique em "leia mais" para ver detalhes sobre doações e gastos dos políticos em cada estado. O prazo para o envio da primeira prestação de contas de campanha terminou dia 2 de agosto. Segundo a Lei nº 9.504/1997, os candidatos são obrigados a entregarem suas prestações de contas periodicamente ao TSE entre os dias 28 de julho e 4 de novembro. Há duas prestações de contas obrigatórias (agosto e setembro), mas não há sanção para quem não entregar . Somente após a eleição é que eventuais omissões serão julgadas. Os dados divulgados pela base de dados do TSE poderão ser atualizadas a qualquer momento. Confira abaixo o total de doações por estado:

Continuar lendo Candidatos aos governos estaduais já arrecadaram R$ 80 milhões, diz TSE
TCU aprova norma que define coeficientes do FPE para 2014
TCU define normas para o FPE 2014

TCU aprova norma que define coeficientes do FPE para 2014

O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou decisão normativa que estabelece os coeficientes a serem utilizados no cálculo das quotas do Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal (FPE) para o exercício de 2014. A competência do TCU para realizar os cálculos está prevista na Constituição Federal. As quotas são calculadas pela União, sobre a arrecadação dos impostos sobre a renda (IR) e sobre produtos industrializados (IPI). A unidade com o maior coeficiente de participação é a Bahia (9,39) e com a menor, o DF (0,69).

Continuar lendo TCU aprova norma que define coeficientes do FPE para 2014
Eduardo Campos mantém aliança com PT nos Estados
A cisão é apenas com o governo federal...

Eduardo Campos mantém aliança com PT nos Estados

O líder do PSB afirmou, dois dias depois de anunciar o fim da colaboração com o partido de Dilma, que a aliança se mantém em questões estatais. A separação, disse Campos, se realiza só a nível federativo. Assim, conforme matéria do Estadão, PT e PSB vão continuar trabalhando juntos em Estados governados em conjunto.

Continuar lendo Eduardo Campos mantém aliança com PT nos Estados
PF faz devassa em três municípios do MA por fraudes na Previdência
PF opera contra fraudes na Previdência

PF faz devassa em três municípios do MA por fraudes na Previdência

Os municípios de Barreirinhas, Bom Jesus das Selvas e Santa Luzia, no Maranhão, são alvo da Operação Miquéias, deflagrada nesta quinta-feira (19), pela Polícia Federal. A operação cumpre 27 mandados de…

Continuar lendo PF faz devassa em três municípios do MA por fraudes na Previdência