Ricardo Murad manda interromper coleta de lixo do hospital estadual de Coroatá

O ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad, que agora é supersecretário no município de Coroatá e marido da prefeita Teresa Murad, decidiu proibir a coleta de lixo do Hospital Macro-Regional de Coroatá. A medida compromete - e muito - o funcionamento do hospital que atende a população da região. O diretor do hospital, técnico administrativo Cleinildo Berzerra Freitas, registrou boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia e o diretor regional do hospital, Francisco Carvalho Brandão comunicou o fato da perseguição ao promotor de Justiça, Samartone Batalha, e ao juiz da Comarca, Francisco Ferreira de Lima.

Continuar lendo Ricardo Murad manda interromper coleta de lixo do hospital estadual de Coroatá
Justiça cassa mandato da prefeita de Coroatá, Teresa, esposa de Ricardo Murad, que ficou inelegível
A família Murad cai em desgraça, em Coroatá

Justiça cassa mandato da prefeita de Coroatá, Teresa, esposa de Ricardo Murad, que ficou inelegível

A Justiça cassou na quinta-feira (13) o mandato da prefeita de Coroatá, Teresa Murad, e a vice, Neuza Muniz, por abuso de poder político e econômico. A juíza Josane Braga, da comarca de Coroatá, acatou os argumentos da coligação “Coroatá crescendo com liberdade” pelos abusos da campanha de 2012 que teriam sido cometidos pelo marido da prefeita, o secretário estadual de saúde, Ricardo Murad. Na decisão, a juíza torna inelegíveis Teresa e o marido Ricardo Murad por oito anos. A sentença determina o afastamento imediato de Teresa do cargo, com a posse do presidente da Câmara Municipal interinamente. Uma nova eleição terá que ocorrer em um prazo de 40 dias. Durante a campanha eleitoral, Ricardo Murad abriu 13 poços artesianos em pontos estratégicos de Coroatá, que depois foram totalmente abandonados antes da conclusão das obras. Outra que deve ter o mandato cassado é a filha do casal, Andréa Murad, eleita deputada estadual em outubro. Durante a campanha eleitoral, ela postou fotos no Facebook onde aparece, ao lado do pai, pedindo votos para médicos, pacientes e funcionários das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e hospitais da rede estadual. A lei eleitoral não permite que equipamentos públicos sejam utilizados para fins de campanha política e os infratores podem responder por abuso de poder econômico, sujeitos à declaração de inelegibilidade por oito anos e até mesmo à cassação do diploma.

Continuar lendo Justiça cassa mandato da prefeita de Coroatá, Teresa, esposa de Ricardo Murad, que ficou inelegível