Segundo a Europol, o ataque cibernético tem um nível de alcance inédito

Site do Tribunal de Justiça do Maranhão também foi a nocaute, nesta sexta-feira, 12 O ciberataque global de ransomware, um tipo de programa malicioso que codifica os arquivos de computador, tornando-os reféns para pedir resgate financeiro, já atinge quase uma centena de países, 99, segundo a empresa de segurança computacional Avast. O vírus infectou desde os equipamentos de 16 hospitais e centros de saúde no Reino Unido, sites de tribunais no Brasil, até os da Renault, que foi obrigada a interromper a produção de várias fábricas na França. Também afetou máquinas do Ministério do Interior na Rússia. O serviço europeu de polícia Europol declarou neste sábado que o ataque cibernético tem “nível inédito”. Os especialistas apontam centenas de milhares de ocorrências. Os portais de internet de várias instituições brasileiras foram desconectados ontem, sexta-feira (12)m como medida de prevenção ao ciberataque. “Não temos informações de que a segurança de nossa rede tenha sido comprometida”, informou a assessoria do Ministério Público. Mas, alguns Tribunais de Justiça e o Ministério do Trabalho e do Planejamento confirmaram que alguns de seus equipamentos foram afetados. O Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) precisou desligar seus servidores após o ataque e suspendeu o atendimento ao público na tarde da sexta-feira, segundo o jornal O Globo. A empresa de telecomunicações Vivo, do grupo da Telefônica anunciou ter ativado o protocolo de segurança, mesmo não tendo sido atingida. Algumas empresas, como Petrobras, também trabalharam uma política de prevenção para evitar danos do ciberataque.

Continuar lendo Segundo a Europol, o ataque cibernético tem um nível de alcance inédito