Morre em São Luís o vianense espancado e depois queimado vivo. Mandantes estão presas

Até a polícia se horrorizou com a forma como Raimundo Roberval Ferreira foi morto: espancado brutalmente e ainda teve o corpo queimado em mais de 90 por cento. Até a polícia se horrorizou com a forma como Raimundo Roberval Ferreira foi morto: espancado brutalmente e ainda teve o corpo queimado em mais de 90 por cento. Anunciada a morte, num hospital de São Luís, para onde foi levado com praticamente todo o corpo queimado, o pescador Raimundo Roberval Ferreira, de 46 anos, após sofrer uma agressão no último domingo (11), no município de Viana, a 217 km de São Luís. Segundo as investigações da 6ª Delegacia Regional de Viana, ele teria sido agredido com várias pauladas na cabeça por cinco pessoas. Logo depois, um homem identificado como Leandro Bruno Matos, de 24 anos, teria jogado combustível no corpo da vítima e ateado fogo. Ainda de acordo com a Polícia Civil, duas mulheres foram apontadas como mandantes do crime. Patrícia Elke Costa Fonseca de 37 anos e Uritânia de Cássia Coelho Nogueira de 19 anos foram presas ainda esta semana pela polícia. Na versão das mulheres, a vítima teria "tomado gosto" com elas e que teria "passado a mão" em suas partes íntimas. Por conta disso, segundo a polícia, elas teria contratado um grupo de pessoas para "dar uma surra" no pescador Raimundo Roberval. O grupo, cujas pessoas já foram todas identificadas, espancaram o pescador impiedosamente, usando porretes de madeira. Raimundo agonizava ao chão, quando Leandro Bruno Matos, jogou combustível no corpo da vítima e ateado fogo. Mesmo assim, ele ainda foi trazido para são Luís, com mais de 90 por cento do corpo queimado, mas não resistiu e morreu.

Continuar lendo Morre em São Luís o vianense espancado e depois queimado vivo. Mandantes estão presas