Queda na avaliação da gestão Doria, em SP: aprovação de 32% e reprovação de 26%, diz o Datafolha

Pesquisa do Datafolha divulgada neste domingo (8) pelo jornal “Folha de S.Paulo” mostrou os seguintes percentuais de avaliação da gestão do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB): - Ótimo/bom: 32% - Regular: 40% - Ruim/péssimo: 26% - Não sabe: 2% O levantamento do Datafolha foi realizado nos dias 4 e 5 de outubro. Foram ouvidas 1.092 pessoas com 16 anos ou mais na cidade de São Paulo. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O percentual de pessoas que rejeitam a sua administração foi de 22% em junho para 26% agora, e os que a aprovam foi de 41% para 32%. Outros 40% consideram que o governo de Doria é regular. Em evento no Ipiranga, na Zona Sul, Doria afirmou na manhã deste domingo que respeita a pesquisa.  "Pesquisa é sempre uma referência. É importante respeitar pesquisa, e eu respeito", disse. "Estamos com nove meses de gestão à frente da Prefeitura de São Paulo, sem recurso, vocês sabem disso. Temos R$ 7,5 bilhões de déficit no orçamento que foi herança do PT, que nos deixou esse rombo", completou. Entre os problemas apontados pelos eleitores na administração de Doria em São Paulo, estão as constantes falhas nos semáforos da cidade. Para 50% dos entrevistados, o sistema é ruim ou péssimo. Na cidade como um todo, outros dados da pesquisa mostram que 64% acreditam que o prefeito fez menos do que poderia, contra 53% em junho e 39% em seu primeiro mês na administração.

Continuar lendo Queda na avaliação da gestão Doria, em SP: aprovação de 32% e reprovação de 26%, diz o Datafolha

Marcha para Jesus não confia nos políticos e defende respeito aos homossexuais nas escolas

Levantamento durante evento evangélico em São Paulo mostra matizes em discurso sobre gênero MARINA ROSSI Todos os anos, milhares de fiéis se reúnem em São Paulo no dia do feriado de Corpus Christ para celebrar a fé. Denominada Marcha para Jesus, é convocado pela igreja Renascer em Cristo, a terceira maior denominação neopentecostal do país e uma das mais conservadoras entre as evangélicas. Na última edição, que reuniu 2 milhões nesta quinta-feira segundo os organizadores (não houve estimativa da polícia), foi realizado um levantamento inédito que mostra o perfil dos participantes da evento. E ao contrário do que poderia apontar o senso comum, as opiniões desses fiéis tem mais matizes com respeito à questão de gênero e de direitos das minorias LGBT do que o alinhamento fechado da influente bancada evangélica no Congresso, composta por 75 deputados federais e três senadores. Com base em 484 entrevistas e com margem de erro de 4,5%, o estudo coordenado por professores da USP e da Unifesp encontrou que 77% dos entrevistados concordaram com a frase "a escola deveria ensinar a respeitar os gays". Esse posicionamento colide com a forte de oposição da bancada evangélica à discussão de gênero e sexualidade nas escolas, por exemplo. Outro ponto que sugere que a sintonia entre base e parlamentares pode ter falhas é quanto ao apoio às reformas da Previdência e trabalhista e também ao ajuste fiscal, a agenda básica do Governo Michel Temer, que tem apoio da bancada no Legislativo. A maior parte (86%) acha que quem começou a trabalhar cedo, deve se aposentar cedo também, sem que haja uma idade mínima para a aposentadoria, como prevê o projeto que quer mudar as regras de aposentadoria. A maioria (91%) não concorda que, mesmo em um momento de crise, é preciso cortar gastos inclusive com a saúde e educação, como pode ser uma consequência da PEC do teto de gastos, aprovada no fim do ano passado.

Continuar lendo Marcha para Jesus não confia nos políticos e defende respeito aos homossexuais nas escolas
Câmara de SP aprova lei que multa em R$ 500 quem for flagrado fazendo xixi nas ruas
Folião é flagrado fazendo xixi na rua durante Carnaval (Foto: GloboNews/Reprodução)

Câmara de SP aprova lei que multa em R$ 500 quem for flagrado fazendo xixi nas ruas

Para entrar em vigor, projeto de lei deve ser sancionado pelo prefeito João Doria (PSDB). A lei também prevê advertência para casos excepcionais. A Câmara Municipal de São Paulo aprovou na tarde desta quarta-feira (19) o projeto de lei que pune quem for flagrado fazendo xixi nas ruas da cidade. O infrator terá que pagar uma multa no valor de R$ 500. O projeto, de autoria do vereador Caio Miranda (PSB), foi aprovado em segunda votação por 48 votos a favor e 2 votos contrários. Para entrar em vigor é necessário a sanção do prefeito João Doria (PSDB). “O objetivo é conscientizar a população para adquirir hábitos de não urinar nas ruas e em grandes eventos como no carnaval de rua, Virada Cultural, Parada LGBT e no entorno dos estádios de futebol em dias de jogos. O brasileiro só responde quando a sanção pesa no bolso”, afirmou o vereador Caio Miranda (PSB). Ele cita como exemplo a lateral do estádio do Pacaembu, que é tombado pelo Patrimônio Histórico, vira um banheiro improvisado nos dias de jogo. A fiscalização será feita pelos fiscais das subprefeituras e deve ter apoio da Guarda Civil Metropolitana (GCM). O infrator receberá multa através do número do seu CPF. Em caso de não pagamento da multa, o infrator notificado poderá ter seu nome inserido no cadastro de inadimplentes do Serasa. Também estão previstas advertências em casos excepcionais, em que o infrator não consegue conter a urina como nos casos de idosos, crianças, moradores de rua e pessoas com incontingência urinária. “É uma questão de bom senso porque o objetivo não é pegar uma condição isolada. Se a pessoa for multada injustamente ela poderá recorrer”, declarou o vereador.

Continuar lendo Câmara de SP aprova lei que multa em R$ 500 quem for flagrado fazendo xixi nas ruas

Não compensa! Tribunal do Júri condena cinco por crimes cometidos na capital

Cinco acusados de cometer homicídios na capital maranhense foram condenados pelo Tribunal do Júri nesta semana. Todos os julgamentos aconteceram no Fórum de Justiça de São Luís, no Calhau. Um dos condenados, Hilton Jonh Alves Araújo, conhecido como “Praga”, também é acusado de ser um dos mandantes dos ataques a ônibus na capital, em janeiro de 2014, motivo pelo qual encontra-se preso no presídio federal de Campo Grande (MS). Consta na denúncia do Ministério Público que os dois acusados, a convite de outras pessoas, saíram armados e perseguiram as vítimas que estavam conversando na rua. Delson Bezerra Soares e Antônio Fernando Araújo Teixeira, conhecido por “Feijão”, foram assassinados a tiros, próximo à Delegacia do 8º Distrito (Liberdade). Hilton e Josmar Azevedo foram condenados, respectivamente, a 40 anos e 10 meses e a 48 anos e 3 meses de reclusão, pelos assassinatos de Delson Bezerra Soares e Antônio Fernando Araújo Teixeira e tentativa de homicídio contra Charle Jefferson Machado dos Anjos. O crime aconteceu no dia 19 de dezembro de 2004, em uma rua localizada entre os bairros Liberdade e Camboa. O julgamento ocorreu nessa quarta-feira (25), no 4º Tribunal do Júri. De acordo com os autos processuais, a dupla possui extensa ficha criminal e já foi condenada por outros crimes. O juiz José Ribamar Goulart Heluy Júnior, com base na decisão dos jurados, decretou a prisão de Hilton Jonh e também de Josmar Azevedo, conhecido como “Mata-gato”, que se encontra foragido. Os dois devem cumprir a pena em regime fechado, no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Continuar lendo Não compensa! Tribunal do Júri condena cinco por crimes cometidos na capital
Promotorias da Capital saem do antigo Shopping Lusitana e se instalam no São Francisco
Regina Rocha parabenizou as mulheres e falou da satisfação com novo prédio das Promotorias da Capital

Promotorias da Capital saem do antigo Shopping Lusitana e se instalam no São Francisco

Um café da manhã na sede das Promotorias de Justiça da Capital, , ontem (10)em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, marcou a entrega oficial da nova sede, no São Francisco, pela procuradora-geral de justiça, Regina Lúcia de Almeida Rocha. Após conhecer as novas instalações, Regina Rocha saudou a todas as mulheres que integram o Ministério Público, parabenizando-as pela importante data. A procuradora-geral de justiça lembrou ainda que enquanto uma mulher sofrer qualquer tipo de violência o trabalho da instituição tem que continuar incansável pela garantia dos direitos de todas. A procuradora-geral de justiça ressaltou sua alegria em ver que as Promotorias de Justiça da Capital estão bem instaladas no novo prédio, em situação melhor do que a encontrada na antiga sede provisória, na Cohama. "Gostaria que estivéssemos em uma situação ainda melhor, mas vejo que houve um avanço nas condições de trabalho de todas vocês", afirmou Regina Rocha.

Continuar lendo Promotorias da Capital saem do antigo Shopping Lusitana e se instalam no São Francisco
Danou-se! Juiz interdita delegacias e proíbe remoção de presos do interior para a capital
Superlotação em São Luís faz o juiz Roberto de Paula proibir novas remoções

Danou-se! Juiz interdita delegacias e proíbe remoção de presos do interior para a capital

O juiz Roberto de Paula, que responde pela 1ª Vara de Execuções Penais de São Luis, determinou através de portaria a interdição parcial de todas as unidades prisionais de São Luis para recebimento de presos provisórios e definitivos, salvo dos Termos Judiciários da Comarca da Ilha de São Luís, até que sejam feitas as reformas e construções anunciadas para superar a superlotação e o domínio das facções criminosas. Para elaborar o documento, Roberto de Paula destacou que o Governo do Estado decretou, em outubro deste ano, estado de emergência no sistema penitenciário do Maranhão pelo período de 180 dias. Na oportunidade, o secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, Sebastião Uchoa, anunciou a construção de um presídio de segurança máxima na capital, bem como a recuperação dos já existentes, a reforma e ampliação das unidades de Coroatá, Codó e Balsas e a conclusão da construção do presídio de Imperatriz.

Continuar lendo Danou-se! Juiz interdita delegacias e proíbe remoção de presos do interior para a capital

João Leonardo eleito diretor das promotorias de Justiça da Capital

O promotor de justiça João Leonardo Sousa Pires Leal foi eleito nesta quarta-feira, 2, diretor das Promotorias de Justiça da Capital. O titular da 23ª Promotoria de Justiça Especializada de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa concorreu com o também promotor Ronald Pereira dos Santos, titular da Promotoria de Justiça de Defesa da Pessoa com Deficiência. O vencedor teve 51 votos contra 36 do adversário. Foram registradas nove abstenções.

Continuar lendo João Leonardo eleito diretor das promotorias de Justiça da Capital