Brasil chega aos três meses de crise com 23.473 mortes por covid-19 e sem plano para frear doença

Ministério da Saúde afirma agora, três meses depois da chegada do vírus ao país, que financiará leitos de hospitais de campanha quando Estados e municípios chegarem a limite. Às vésperas de completar três meses da primeira confirmação de covid-19 no país, o Brasil chegou às 23.473 mortes e 374.898 casos da doença completamente acéfalo em sua frente de combate. Enquanto o Ministério da Saúde segue sem um comando oficial definido há dez dias, o país falha em apresentar qualquer plano contundente para tentar barrar a progressão da doença, que não para de acumular cifras trágicas desde o primeiro caso confirmado, em 26 de fevereiro. De quando ocorreu a primeira morte, em 17 de março, já foram 14 óbitos por hora, em média, no país. O Governo de Jair Bolsonaro segue apostando na estratégia de incentivar o retorno da população às ruas para tentar aquecer a economia, contrariando as determinações das agências sanitárias, e vê, dia após dia, sua promessa de elixir, a cloroquina, ser desacreditada pela comunidade científica —a Organização Mundial da Saúde anunciou nesta segunda a suspensão “temporária” de ensaios clínicos internacionais com a droga por “precaução”. De planos mais concretos até o momento, o Governo só parece ter um: a substituição de seu primeiro escalão técnico, formado por profissionais na área, por militares, já que ao menos 15 foram nomeados até agora. Nesta segunda, o secretário de vigilância, Wanderson de Oliveira, responsável pela estratégia brasileira de combate à crise, foi exonerado. (Beatriz Jucá/El País)

Continuar lendo Brasil chega aos três meses de crise com 23.473 mortes por covid-19 e sem plano para frear doença

Prego no pé, spray de pimenta e beijo forçado: as torturas em prisões do Pará segundo o Ministério Público

BBC BRASIL O Ministério Público Federal (MPF) fez uma série de denúncias de tortura e maus-tratos ocorridos em presídios do Pará. Segundo os procuradores, os crimes teriam sido cometidos principalmente por agentes federais que participam de uma força-tarefa do Ministério da Justiça e Segurança Pública, pasta comandada por Sergio Moro. Entre outras coisas, há relatos de agressões generalizadas, alimentação imprópria, falta de medicamentos essenciais e proibição da entrada de advogados. O MPF também recebeu fotos e vídeos que mostram presos feridos, além de superlotação e condições sanitárias precárias. Após as denúncias, a Justiça afastou o coordenador da força-tarefa, Maycon Cesar Rottava. A operação se iniciou em agosto, dias após um conflito entre facções criminosas deixar mais de 50 pessoas mortas em uma unidade em Altamira. Por outro lado, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), órgão do Ministério da Justiça e Segurança Pública, negou que haja tortura generalizada nas unidades que estão sob sua responsabilidade. "(O Depen) não reconhece as alegações de tortura generalizada durante o emprego da Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) em 13 unidades prisionais do Pará. O Depen defende a humanização da pena e repudia quaisquer atos de maus tratos", escreveu a entidade, em nota. Já o presidente Jair Bolsonaro (PSL), questionado ontem sobre as denúncias do MPF, não quis comentar o assunto e ainda criticou a imprensa: "Parem de perguntar besteira", disse. O governo do Pará, comandado por Helder Barbalho (MDB), afirmou "repudiar" as "infundadas narrativas" sobre torturas. Em nota, o governo afirmou que "de todas as indicações para realização de exames de corpo de delito, nenhum resultado enveredou para a constatação de lesões provocadas por maus tratos ou atos de tortura." Pregos, spray de pimenta, arma calibre 12 Colhidos pelo MPF com presos, familiares e agentes penitenciários estaduais, os relatos de tortura e maus-tratos nas unidades sob intervenção federal, entretanto, são numerosos e bastante contundentes.

Continuar lendo Prego no pé, spray de pimenta e beijo forçado: as torturas em prisões do Pará segundo o Ministério Público
Mais um disparate! “Passar fome no Brasil é uma grande mentira”, afirma Bolsonaro
Brasília(DF), 24/06/2019 Presidente Jair Bolsonaro. Local: Palacio do Planalto. Foto: Igo Estrela/Metrópoles

Mais um disparate! “Passar fome no Brasil é uma grande mentira”, afirma Bolsonaro

O mandatário da República defendeu ainda que “os políticos que criticam a fome no Brasil têm que se preocupar e estudar um pouco mais as consequências [de dar bolsas]”. Em café da manhã com jornalistas estrangeiros, na manhã desta sexta-feira (19/07/2019), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que não há fome no Brasil. “Não se vê gente, mesmo pobre, pelas ruas, com físico esquelético”, disse. Bolsonaro criticou políticos que usam essa situação em discursos e os chamou de populistas. “O Brasil é um país rico para praticamente qualquer plantio. Fora que passar fome no Brasil é uma grande mentira. Passa-se mal, não come bem, aí eu concordo”, pontuou. De acordo com o chefe do Executivo, a situação brasileira não é igual a de outros “países pelo mundo”. O mandatário da República defendeu ainda que “os políticos que criticam a fome no Brasil têm que se preocupar e estudar um pouco mais as consequências [de dar bolsas]”

Continuar lendo Mais um disparate! “Passar fome no Brasil é uma grande mentira”, afirma Bolsonaro

Crise do vizinho – Com 40 mil venezuelanos em Roraima, Brasil acorda para sua ‘crise de refugiados’

Presidente reconhece situação de 'vulnerabilidade' no Estado e edita Medida Provisória com ações de assistência para imigrantes Diante da escalada da crise na Venezuela que leva cada vez mais venezuelanos a cruzarem as fronteiras rumo ao Brasil em busca de uma vida melhor, o Governo de Michel Temer assinou um decreto reconhecendo a "situação de vulnerabilidade" em Roraima. O Estado é a principal porta de entrada dos imigrantes que fogem da crise de abastecimento de alimentos, do colapso dos serviços públicos e de uma inflação de 700% no país vizinho. O presidente ainda editou uma medida provisória (MP) que acena com ações de assistência emergências para imigrantes venezuelanos no Estado em diversas áreas, como proteção social, saúde, educação, alimentação e segurança pública. Elas serão coordenadas por um comitê federal composto por representantes de distintos ministérios e conduzidas em parcerias entre União, Roraima e municípios. A prefeitura de Boa Vista estima que cerca de 40.000 venezuelanos já tenham entrado na cidade, o que representa mais de 10% dos cerca de 330.000 habitantes da capital. O número de imigrantes equivale aproximadamente a população de uma cidade como Boituva, em São Paulo. Guardadas as devidas proporções, Roraima vive sua crise particular de refugidos. Os abrigos estão lotados e milhares de imigrantes vivem em situação de rua. A maioria chega pelo pequeno município de Pacaraima, com 16.000 habitantes e depois segue para Boa Vista. Apesar de o fluxo de venezuelanos ter aumentado desde o fim de 2016, uma nova leva chegou após a Colômbia colocar mais travas para a entrada de refugiados no país. Segundo o documento assinado por Temer, as medidas visam também ampliar as políticas de mobilidade, distribuição no território nacional e apoio à interiorização dos imigrantes venezuelanos, desde que eles manifestem essa vontade.

Continuar lendo Crise do vizinho – Com 40 mil venezuelanos em Roraima, Brasil acorda para sua ‘crise de refugiados’

Julgamento de Lula na 2ª instância deve ocorrer entre março e abril

TRF4 julgará recurso impetrado pelo petista no caso do tríplex do Guarujá O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) deverá julgar o ex-presidente Lula entre março e abril do ano que vem. O julgamento refere-se a recurso impetrado pelo petista contra a condenação, em primeira instância, a nove anos e meio de prisão por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá. A informação é do colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.  O resultado do julgamento tem ligação direta com as eleições presidenciais do ano que vem, pois se a condenação for mantida, Lula ficaria impossibilitado de se candidatar devido à Lei da Ficha Limpa. Neste sábado (2), o Instituto Datafolha divulgou pesquisa segundo a qual o petista venceria as eleições para presidente tanto em primeiro quanto em segundo turno, independemente dos adversários.

Continuar lendo Julgamento de Lula na 2ª instância deve ocorrer entre março e abril

Confira: 113 concursos têm inscrições abertas com 19.687 vagas e salários de até R$ 22.213,44!

As vagas são para todos os níveis de escolaridade em todo o país Pelo menos 113 órgãos têm inscrições abertas para preenchimento de nada menos que 19.687 vagas. As oportunidades são destinadas a candidatos de todos os níveis de escolaridade (fundamental, médio, técnico e superior). Alguns concursos farão ainda, formação de cada Cadastro reserva para contratação conforme necessidade durante a validade do certame. Os salários chegam a R$ 22.213,44 no concurso do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS). O destaque das vagas também vai para o Rio Grande do Sul. Somente no concurso da Brigada Militar são oferecidas 4.100 vagas para nível médio. Confira a lista completa e prepare-se.

Continuar lendo Confira: 113 concursos têm inscrições abertas com 19.687 vagas e salários de até R$ 22.213,44!

Começou a debandada! Ministro Bruno Araújo, do PSDB, entrega carta de demissão a Temer

Expectativa é que os outros três ministros tucanos do governo façam o mesmo nos próximos dias Programada para ocorrer até o próximo dia 9 de dezembro, data de início da convenção do PSDB, o desembarque tucano do governo teve início nesta segunda-feira (13). Segundo a jornalista Cristina Lôbo, do Grupo Globo, o ministro das Cidades, Bruno Araújo, acaba de enviar carta de demissão a Michel Temer. A expectativa é que os outros três ministros tucanos do governo façam o mesmo nos próximos dias. São eles: Antonio Imbassaby (Secretaria de Governo), Aloysio Nunes Ferreira (Relações Exteriores) e Luislinda Valois (Direitos Humanos). Com a saída dos tucanos e diante da demanda de sua base, o presidente deve anunciar uma reforma ministerial

Continuar lendo Começou a debandada! Ministro Bruno Araújo, do PSDB, entrega carta de demissão a Temer

Bolsa Família terá aumento em 2018 superior à inflação, diz ministro

Segundo Osmar Terra, do Ministério do Desenvolvimento Social, o reajuste deve acontecer entre março e abril do ano que vem, e deve superar a inflação O governo federal fará reajuste em 2018 no valor dos benefícios pagos pelo programa Bolsa Família. A informação foi dada pelo ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, após participar de evento no Rio de Janeiro na manhã desta segunda-feira. Segundo Terra, o aumento deve ficar acima da inflação acumulada desde o último reajuste, que ocorreu em julho de 2016. Na época, a alta média foi de 12,5%. A expectativa, segundo o ministro, é de que o próximo aumento ocorra entre março ou abril do ano que vem. Terra afirma que o fato de a inflação estar em patamar mais baixo ajuda a dar um reajuste mais alto. O governo já havia indicado neste ano que faria um reajuste nos benefícios pagos pelo programa, mas voltou atrás diante da piora dos números das contas públicas.

Continuar lendo Bolsa Família terá aumento em 2018 superior à inflação, diz ministro

Confira: 14 órgãos abrem inscrições nesta segunda-feira com 600 vagas! Até R$ 14.030,14!

As oportunidades são destinadas a candidatos de ensino fundamental, médio e superior; Confira a lista completa Nesta segunda-feira, 13 de novembro 2017, pelo menos 14 órgãos têm inscrições abertas para preenchimento de nada menos que 600 vagas. As oportunidades são destinadas a candidatos de todos os níveis de escolaridade (fundamental, médio, técnico e superior). Alguns concursos farão ainda formação de cadastro reserva para contratação conforme necessidade durante a validade do certame. O destaque fica por conta do concurso em Nova Mutum (MT), que oferece salários de até R$ 14.030,14. Confira a lista completa e prepare-se: Câmara de Clevelândia (PR) A Câmara de Clevelândia, Estado do Paraná, faz saber aos interessados a abertura de edital de concurso público (Concurso da Câmara de Clevelândia PR 2017) para preencher 03 vagas e formar cadastro reserva em três cargos do legislativo. Os salários oferecidos oscilam entre R$ 937,00 e R$ 4.169,23. De acordo com o edital de concurso da Câmara de Clevelândia-PR 2017, as vagas serão destinadas aos cargos de Procurador Jurídico (1), Agente Administrativo I (1) e Zelador (1). Às pessoas com deficiência, serão reservados 5% (cinco por cento) das vagas de cada cargo elencado no item 2 deste Edital, ou seja, será assegurada a convocação de 1 (um) candidato com deficiência aprovado no Concurso Público, a cada 20 (vinte) nomeações de candidatos efetivadas em cada cargo, durante o processo de validade do concurso, cujas atribuições sejam compatíveis com a deficiência. Os interessados em concorrer a uma das vagas poderão se inscrever entre 12 horas do dia 13 de novembro e 23 horas e 59 minutos do dia 30 de novembro de 2017, no site oficial da empresa organizadora do concurso (www.concursosfau.com.br). Saiba mais sobre o concurso. Câmara de Conceição do Rio Verde (MG) A Câmara de Conceição do Rio Verde, Estado de Minas Gerais, faz saber aos interessados a abertura de edital de concurso público (Concurso de Conceição do Rio Verde MG) para preencher 04 vagas nos cargos de Auxiliar Administrativo, procurador jurídico, auxiliar técnico legislativo e assessor comunicação – imprensa. Os salários oferecidos oscilam entre R$ 1.058,15 e R$ 4.017,92. Os interessados em concorrer a uma das vagas poderão se inscrever entre 13 e 27 de novembro de 2017, no site oficial (www.exodusaudiadm.com.br). Saiba mais sobre o concurso. Prefeitura de Apiacás (MT) A Prefeitura de Apiacás, Estado do Mato Grosso, faz saber aos interessados a abertura de processo seletivo (Processo seletivo Apiacás MT 2017) para preencher 08 vagas e formar cadastro reserva em cargos de todos os níveis de escolaridade (fundamental, médio e superior). Os salários oferecidos oscilam entre R$ 804,75 e R$ 1.724,46. As oportunidades são destinadas aos cargos de Motorista categoria “D” (4  vagas), Professor de Nível Médio (2 vagas) e Professor de Nível Superior (2 vagas). Os interessados em concorrer a uma das vagas poderão se inscrever entre 13 e 30 de novembro de 2017, no turno da manhã, das 8h às 12h de segunda à sexta-feira, no Departamento de Tributação e Fiscalização, Avenida Brasil, n° 1059, Bairro Bom Jesus, Apiacás-MT. A taxa de inscrição varia entre R$ 20,00 e R$ 50,00.

Continuar lendo Confira: 14 órgãos abrem inscrições nesta segunda-feira com 600 vagas! Até R$ 14.030,14!

70 milhões de brasileiros vivem em deserto de notícias, diz levantamento

O Projor – Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo em parceria com o Volt Data Lab publica nesta edição especial do Observatório da Imprensa o “Atlas da Notícia“, levantamento inédito com base em jornalismo de dados sobre a presença ou ausência da imprensa em todo o território nacional. Foram identificados, nessa primeira etapa do projeto, 5.354 veículos — entre jornais impressos e sites —, em 1.125 cidades de 27 unidades federativas. Um universo que compreende aproximadamente 130 milhões de pessoas, mais de 60% da população brasileira. Jornais e sites noticiosos foram mapeados em 1.125 cidades, o que significa que ficaram de fora cerca de 4.500 municípios, representando mais de 70 milhões de habitantes. São os chamados “desertos de notícias” no segmento impresso e digital, e representam até quase 40% da população nacional. (Crédito: Atlas da Notícia/Projor) Para se entender o conceito de “desertos de notícias”, é preciso, entretanto, olhar para os espaços não contemplados na pesquisa: 4.500 municípios representando 70 milhões de habitantes não têm registros de meios noticiosos impressos ou digitais. “O Atlas da Notícia é, antes de mais nada, uma ferramenta para conseguirmos enxergar quais as localidades mais carentes de jornalismo no Brasil”, explica Sérgio Spagnuolo, editor do Volt Data Lab, agência de jornalismo de dados que conduziu o levantamento e a pesquisa. “Dessa forma, ao criar conhecimento sobre esses desertos informativos, o Atlas servirá como ponto de partida para entendermos melhor a configuração do jornalismo no país.”

Continuar lendo 70 milhões de brasileiros vivem em deserto de notícias, diz levantamento