89 morreram ou desapareceram após reunião relatada pela CIA em que Geisel autoriza mortes; veja lista

Memorando da CIA revela que ex-presidente permitiu a continuidade de ações contra opositores. Levantamento do G1 com base em dados da Comissão da Verdade identificou quantos foram alvo dessa política. Oitenta e nove pessoas morreram ou desapareceram no Brasil por motivos políticos, a partir de 1º de abril de 1974 e até o fim da ditadura, segundo levantamento do G1 com base nos registros da Comissão Nacional da Verdade (CNV). Foi a partir desta data que o general Ernesto Geisel, então presidente do Brasil, autorizou execução de opositores, segundo documento da CIA tornado público recentemente pelo governo americano. De acordo com o levantamento do G1, além dos 89 casos confirmados, há outras 11 pessoas que podem ter morrido ou desaparecido a partir de 1º de abril de 1974 – a data não foi esclarecida pela CNV. Além disso, pode haver mortes e desaparecimentos durante esse período da ditadura que não foram registrados. Entre as vítimas desse período estão o jornalista Vladimir Herzog, assassinado em 25 de outubro de 1975 após se apresentar voluntariamente ao Centro de Operações de Defesa Interna, um órgão militar da ditadura; o metalúrgico Manoel Fiel Filho, que foi torturado até a morte, em 17 de janeiro de 1976, nas dependências do Destacamento de Operações de Informações (DOI) do II Exército, em São Paulo. Documento é importante para STF reinterpretar lei da anistia, diz Instituto Vladimir Herzog As informações sobre as vítimas do regime militar estão nos relatórios da CNV, que foi criada para apurar violações de diretos humanos entre 1946 e 1988. Embora tenha feito uma extensa pesquisa histórica, não foi essa comissão que revelou o reconhecimento explícito de que decisões sobre morte de opositores foram tomadas pelo Planalto. A confirmação está um memorando da CIA (a agência de inteligência americana), descoberto pelo pesquisador Matias Spektor, da Fundação Getulio Vargas (FGV). Com data de 11 de abril de 1974, ele foi tornado público em 2015 pelo governo americano. Helio Gurovitz: É preciso abrir os arquivos militares O documento foi elaborado pelo então diretor da CIA, William Egan Colby, e endereçado ao secretário de Estado dos EUA Henry Kissinger. Colby relata um encontro que teria acontecido em 30 de março de 1974.

Continuar lendo 89 morreram ou desapareceram após reunião relatada pela CIA em que Geisel autoriza mortes; veja lista
O bicho pegou! Fachin autoriza PF a interrogar Michel Temer e separa investigações
Decisão de Fachin contraria desejo de Michel Temer, que pediu para interrogatório ser analisado apenas após perícia

O bicho pegou! Fachin autoriza PF a interrogar Michel Temer e separa investigações

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin autorizou nesta terça-feira (30) a tomada do depoimento do presidente Michel Temer no âmbito da investigação iniciada a partir da delação de Joesley Batista e de executivos da JBS. O interrogatório do presidente foi pedido pela Procuradoria-Geral da República e será feito pela Polícia Federal. Temer poderá responder aos questionamentos por escrito, no prazo de até 24 horas após a entrega das perguntas. Na mesma decisão, o ministro aceitou pedido de Temer para separar as investigações acerca de fatos relacionados a ele e ao senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), também implicado nas delações dos irmãos Batista. O agora ex-deputado Rocha Loures (PMDB-PR) será investigado no mesmo inquérito que o presidente da República. A decisão de Fachin contraria pedido da defesa do presidente, que dizia ser necessário aguardar o resultado da perícia do áudio entregue por Joesley Batista para só depois decidir sobre a necessidade de um interrogatório. Temer é investigado por supostamente ter concordado com plano do empresário para comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) e do doleiro Lúcio Funaro. O presidente também teria indicado seu assessor Rocha Loures para tratar de assuntos de interesse da JBS junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Ele nega as acusações. As conversas gravadas por Joesley Batista já motivaram ao menos 13 pedidos de impeachment contra Temer na Câmara dos Deputados. O último deles foi protocolado na semana passada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que alega que o presidente cometeu crime de responsabilidade ao ter ouvido Joesley confessar crimes e não ter tomado nenhuma atitude em relação a isso.

Continuar lendo O bicho pegou! Fachin autoriza PF a interrogar Michel Temer e separa investigações
Temer libera saque de conta inativa do FGTS. Com isso, injeta 30 bilhões de reais na economia
Temer manda liberar FGTS inativo e baixar juros do cartão de crédito

Temer libera saque de conta inativa do FGTS. Com isso, injeta 30 bilhões de reais na economia

Presidente anuncia que juro do cartão de crédito será reduzido pela metade. Temer diz não pensar em renúncia e que vai recorrer caso TSE casse chapa UOL Notícias Os trabalhadores poderão sacar todo o dinheiro que têm em contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). A mudança foi anunciada nesta quinta-feira (22) pelo presidente Michel Temer e ainda precisa ser aprovada pelo Conselho Curador do FGTS. O saldo das contas inativas é o dinheiro do trabalhador que algum dia pediu demissão e não teve o direito de sacar o FGTS naquele momento. A medida tem potencial de injetar R$ 30 bilhões na economia, estimou o presidente. Notícias divulgadas antes sugeriam que o saque seria limitado a R$ 1.000, mas Temer confirmou que não haverá essa restrição e que o trabalhador poderá sacar todo o dinheiro que estiver disponível. No entanto, a maioria das contas inativas de FGTS (cerca de 86%, segundo Temer) tem pouco mais de um salário mínimo. O governo também anunciou que os juros do rotativo do cartão de crédito terão uma redução de mais da metade no primeiro trimestre de 2017. Os juros do rotativo do cartão de crédito são cobrados quando o cliente não paga o valor total da fatura. Essa operação, ao lado do uso do cheque especial, envolve a cobrança dos juros mais altos do mercado. Temer prometeu anunciar ainda hoje mudanças nas leis trabalhistas, incluindo plano de seguro para emprego, que será enviado ao Congresso Nacional por meio de medida provisória.

Continuar lendo Temer libera saque de conta inativa do FGTS. Com isso, injeta 30 bilhões de reais na economia

Ponte do Pai Inácio, no Turu: Em parceria, Edivaldo lança obra que foi prometida por Tadeu e Castelo

O prefeito Edivaldo e o secretário estadual de Infraestrutura, Clayton Noleto, representando o governador Flávio Dino, lançaram na manhã desta segunda-feira (24) as obras de construção da ponte Pai Inácio, que vai ligar a rua General Artur Carvalho, no Turu, à Travessa Nossa Senhora da Vitória, no Parque Vitória. A intervenção é mais uma ação realizada em parceria entre a Prefeitura de São Luís e o governo do Estado, executada como parte do Programa Interbairros, que visa criar vias alternativas para desafogar os grandes corredores de fluxo intenso da capital. "Iniciamos aqui mais uma obra de grande alcance social porque vai proporcionar à população não apenas melhorias na mobilidade urbana, mas beneficiar também a comunidade em outros aspectos importantes como o desenvolvimento do comércio local, a segurança de pedestres na circulação por essa área, que contará com nova iluminação, entre outros fatores. A construção dessa ponte e as intervenções urbanísticas na área eram uma reivindicação antiga da população, que agora vamos executar em parceria com governo do Estado, para solucionar problemas antigos observados nessa região", afirmou o prefeito Edivaldo. A ponte integra o trecho do Programa Interbairros, que vai permitir a interligação da estrada da Maioba à Avenida dos Holandeses. Com 8.565 metros de extensão, é considerada a intervenção mais expressiva do programa. A obra contempla parte da Estrada da Maioba, passando pela Avenida 2, no Itapiracó, cruzando a Ponte Pai Inácio, no Turu, e pela Alameda Jaú, na Divineia. Os trabalhos já estão praticamente concluídos na primeira etapa do trecho, que consiste na requalificação asfáltica da Rua Artur Carvalho até a Holandeses.

Continuar lendo Ponte do Pai Inácio, no Turu: Em parceria, Edivaldo lança obra que foi prometida por Tadeu e Castelo

Prefeito Edivaldo anuncia obra de drenagem e pavimentação na Vila Janaína

O Prefeito Edivaldo anunciou na noite desta terça-feira (24) o investimento na ordem de R$ 22,8 milhões para serviços de recapeamento, revitalização de vias e drenagem profunda para o bairro Vila Janaína, na região da Cidade Operária. O programa contemplará também os bairros Jardim América, Santa Clara, Vila Vitória e Vila Ryod e outras comunidades no entorno. O evento, realizado na Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Santa Clara, contou com a presença maciça de vereadores e de toda a classe política, assim como da comunidade local, que lotou a quadra da U.E.B. "Essa é uma grande obra para toda região da Cidade Operária e que vai beneficiar vários bairros, muitas ruas serão recuperadas. Estamos tendo o privilégio de atender um pedido antigo dos moradores desta área e proporcionar a eles mais qualidade de vida e conforto", frisou o prefeito Edivaldo, que estava acompanhado do secretariado municipal. A ação compõe o Programa de Pavimentação e Revitalização de Vias Urbanas da Vila Janaína e será executada pela Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp). O pacote de medidas contempla 121 ruas do bairro, perfazendo uma extensão de 37 mil metros, com obras de pavimentação e requalificação asfáltica, calçamento, serviços de drenagem profunda e superficial e sinalização horizontal e vertical das pistas. A obra compreende a execução do recapeamento com concreto asfáltico usinado a quente (Cauq) de aproximadamente 20 mil metros de ruas e avenidas, além da execução de calçamento com peças pré-moldadas, abrangendo mais de 17 mil metros de vias. Simultaneamente serão implantados nos bairros contemplados mais de 6.600 metros rede de drenagem profunda para escoamento de águas pluviais, com galerias tubulares interligadas por bocas de lobos e poços de visitas. Além disso, a Prefeitura vai construir uma rede de drenagem superficial com meio fio e sarjetas. De acordo com o titular da Semosp, Antônio Araújo, a obra vai tirar o bairro da situação de calamidade, ocasionada pela ausência de drenagem, o que durante anos submeteu a população a transtornos devido aos alagamentos constantes no período chuvoso. A obra terá impacto ainda na melhoria da mobilidade urbana em toda a região.

Continuar lendo Prefeito Edivaldo anuncia obra de drenagem e pavimentação na Vila Janaína
Mobilidade urbana – Edivaldo Holanda Jr. vai para o  meio da rua
Mobilidade urbana: Edivaldo e comitiva, no Turu

Mobilidade urbana – Edivaldo Holanda Jr. vai para o meio da rua

Com o intuito de garantir mais fluidez ao trânsito da cidade, a Prefeitura de São Luís realizará intervenções para garantir novas opções de tráfego entre bairros da capital. Na manhã desta segunda-feira (14), o prefeito Edivaldo Holanda Júnior e o vice, Roberto Rocha, acompanhados da equipe técnica, secretariado e assessores municipais, visitaram áreas que serão transformadas em vias interbairros. O primeiro ponto visitado está situado no Turu Velho. No local, a Prefeitura construirá uma ponte que ligará a avenida Nossa Senhora da Vitória (Parque Vitória) à avenida General Arthur Carvalho (Turu). As estruturas iniciais de fundação da ponte, conhecida na comunidade como “Pai Inácio”, chegaram a ser iniciadas, mas não foram concluídas.

Continuar lendo Mobilidade urbana – Edivaldo Holanda Jr. vai para o meio da rua
Estados cobram aval igual ao do Maranhão
Mais de U$ 600 milhões para o MA desarrumou o mercado.

Estados cobram aval igual ao do Maranhão

A decisão do governo federal de impor restrições aos empréstimos externos dos Estados para o pagamento de dívidas antigas, com aval da União, criou um imbróglio político e econômico para a presidente da República, Dilma Rousseff, às vésperas do ano eleitoral. A análise dos pedidos feitos pelos governadores pelo Tesouro Nacional ficou mais dura depois que uma operação de empréstimo de US$ 662 milhões do Maranhão, em julho, mexeu com o mercado financeiro

Continuar lendo Estados cobram aval igual ao do Maranhão