Filha de ambientalista morto foi vítima três vezes dos agrotóxicos

Reportagem acompanhou Marcia Xavier, cujo pai foi morto por lutar contra pesticidas no Ceará, a uma audiência no Congresso Luana Rocha, Mariana Della Barba, Agência Pública/Repórter Brasil Especial: Por trás do alimento A família de Marcia Xavier é vítima direta dos problemas gerados pelo uso de agrotóxicos. Sua filha sofre com puberdade precoce causada, segundo uma pesquisa, pelo uso indiscriminado de agrotóxicos na cidade onde vive, em Limoeiro do Norte, na Chapada do Apodi (Ceará). Já seu pai, o líder comunitário e ambientalista José Maria Filho, conhecido como Zé Maria do Tomé, foi assassinado em abril de 2010 – um mês após ser aprovada uma lei municipal que vetava a pulverização de pesticidas nas lavouras da região. Quando chegou a Brasília na segunda-feira, 1º de julho, para participar de uma audiência pública na Câmara dos Deputados sobre o uso de agrotóxicos em sua cidade, Marcia Xavier não esperava que ela também teria de falar sobre uma notícia divulgada no dia anterior: o Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou uma decisão que, na prática, absolveu os supostos mandantes da execução de seu pai. “Claro que fui pega de surpresa… Mas eu cresci vendo meu pai nessa luta. Ele sempre dizia: ‘É uma briga de cachorro grande com cachorro vira-lata’. Eu sempre tive esse pensamento: não vai dar em nada porque são pessoas grandes que estão por trás [da execução dele]”, disse, emocionada. Antes de ser assassinado, Zé Maria lutava para impedir que as empresas produtoras de frutas parassem de contaminar o solo e a água com os pesticidas. “Sou vítima três vezes do agrotóxico. A luta do meu pai começou justamente com a contaminação da água, quando eu tive um problema de pele por causa disso. Depois, foi com o seu assassinato. E também com a minha filha, que desde 1 ano e 3 meses sofre com puberdade precoce. Hoje ela tem 7 anos.” A audiência na Câmara dos Deputados foi motivada pela revelação, feita pela Repórter Brasil, de que agrotóxicos podem causar puberdade precoce – como é o caso da filha de Marcia Xavier e de pelo menos outras duas meninas que moram no local. Quando ainda eram bebês, elas foram diagnosticadas com telarca prematura, a primeira fase do desenvolvimento das mamas.

Continuar lendo Filha de ambientalista morto foi vítima três vezes dos agrotóxicos

Rubens Junior: “O Maranhão corre o grave risco de ter a tarifa de energia mais alta do país”

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) realizará na próxima quarta-feira (14), em São Luís, uma audiência para tratar da Quarta Revisão Tarifária Periódica da Cemar. O deputado federal e coordenador da Bancada do Maranhão no Congresso Nacional, Rubens Junior (PCdoB/MA), denunciou, no plenário da Câmara dos Deputados, os prováveis aumentos de energia por parte da Companhia Energética do Maranhão (Cemar). A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) irá realizar, no dia 14 (quarta-feira), em São Luís, uma audiência para tratar da Quarta Revisão Tarifária Periódica da Cemar. “Segundo a proposta a ser apresentada, o aumento chegará a 19,05% na conta dos consumidores residenciais da Cemar, sobre as tarifas já fixadas em abril. Para as indústrias, a proposta de reajuste é um pouco menor, e ainda abusiva: 17,82%”, detalhou Rubens Junior. Ainda de acordo com a proposta que será apresentada, as novas tarifas entrariam em vigor no dia 28 de agosto, e tornaria a tarifa residencial da Cemar a mais cara entre as concessionárias de todo o país (R$ 0,561/KWh). Embora possua metodologia própria, essa revisão terminará por onerar a sociedade maranhense e amplia os já elevados lucros da concessionária. “Somente em 2016 a Cemar lucrou R$ 399 milhões, obtidos sobre uma receita de R$ 3,06 bilhões. Nos últimos cinco anos o lucro líquido da empresa acumula R$ 1,67 bilhão”, detalhou o parlamentar na tribuna. No evento, também serão definidos os indicadores de Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (DEC) e Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (FEC) da Cemar para o período 2018 a 2021. O deputado federal e coordenador da Bancada do Maranhão no Congresso Nacional, Rubens Junior (PCdoB/MA), denunciou, no plenário da Câmara dos Deputados, os prováveis aumentos de energia por parte da Companhia Energética do Maranhão (Cemar). A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) irá realizar, no dia 14 (quarta-feira), em São Luís, uma audiência para tratar da Quarta Revisão Tarifária Periódica da Cemar. “Segundo a proposta a ser apresentada, o aumento chegará a 19,05% na conta dos consumidores residenciais da Cemar, sobre as tarifas já fixadas em abril. Para as indústrias, a proposta de reajuste é um pouco menor, e ainda abusiva: 17,82%”, detalhou Rubens Junior. Ainda de acordo com a proposta que será apresentada, as novas tarifas entrariam em vigor no dia 28 de agosto, e tornaria a tarifa residencial da Cemar a mais cara entre as concessionárias de todo o país (R$ 0,561/KWh). Embora possua metodologia própria, essa revisão terminará por onerar a sociedade maranhense e amplia os já elevados lucros da concessionária. “Somente em 2016 a Cemar lucrou R$ 399 milhões, obtidos sobre uma receita de R$ 3,06 bilhões. Nos últimos cinco anos o lucro líquido da empresa acumula R$ 1,67 bilhão”, detalhou o parlamentar na tribuna. No evento, também serão definidos os indicadores de Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (DEC) e Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (FEC) da Cemar para o período 2018 a 2021.

Continuar lendo Rubens Junior: “O Maranhão corre o grave risco de ter a tarifa de energia mais alta do país”

Moro aceita pedido da PF e transfere audiência de Lula para o dia 10 de maio

O juiz federal Sérgio Moro decidiu nesta quarta-feira (26) adiar o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em um dos processos a que o político responde na Operação Lava Jato. A oitiva estava agendada para o dia 3 de maio, mas agora foi marcada para 10 de maio a partir das 14h. A decisão de Moro, publicada no sistema da Justiça na manhã desta quarta, foi motivada por um pedido da Polícia Federal. No ofício encaminhado ao magistrado, o delegado Rosalvo Ferreira Franco, superintendente da Polícia Federal (PF) no Paraná, disse que precisava de mais prazo para "realizar as tratativas com órgãos de segurança e de inteligência". De acordo com o juiz, diante da possibilidade de protestos e considerando que as forças de seguranças solicitaram um tempo adicional para os preparativos, ele decidiu por mudar a data. “É possível que, na data do interrogatório, ocorram manifestações favoráveis ou contrárias ao acusado em questão, já que se trata de uma personalidade política, líder de partido e ex-Presidente da República. Manifestações são permitidas desde que pacíficas. Havendo, o que não se espera, violência, deve ser controlada e apuradas as responsabilidades, inclusive de eventuais incitadores”, disse Moro.

Continuar lendo Moro aceita pedido da PF e transfere audiência de Lula para o dia 10 de maio

Juiz cancela audiência para Petrobras explicar fim da Refinaria de Bacabeira

O juiz Luiz Gonzaga Almeida Filho – que está substituindo o desembargador Jaime Ferreira de Araújo na 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça – concedeu hoje (17) liminar em agravo de instrumento protocolado pela Petrobras e mandou cancelar a audiência pública que havia sido marcada para que a estatal explicasse em detalhes ao Maranhão os motivos da suspensão definitiva das obras de implantação da Refinaria Premium I, em Bacabeira. A audiência havia sido marcada para amanhã (18), no Fórum Desembargador Sarney Costa, por decisão do juiz Douglas Martins, titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, após ação popular do advogado Pedro Leonel de Carvalho.

Continuar lendo Juiz cancela audiência para Petrobras explicar fim da Refinaria de Bacabeira
Prefeitura mantém proposta de recuperação do sistema de transporte público
Procurador do Município, Domerval Neto, reforçou o posicionamento da Prefeitura quanto à manutenção do valor da passagem

Prefeitura mantém proposta de recuperação do sistema de transporte público

A Prefeitura reforçou nesta quarta-feira, (28), durante a audiência de conciliação do dissídio coletivo de greve dos rodoviários no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), proposta para recuperação do sistema de transporte público de São Luís. Entre as medidas da reestruturação estão a suspensão da domingueira, o combate sistemático do transporte clandestino e a instalação da biometria facial. O Procurador do Município, Domerval Neto, representante da Prefeitura na audiência, confirmou à presidente substituta do TRT, desembargadora Solange Cordeiro, o empenho do prefeito Edivaldo em resolver o impasse entre os trabalhadores do sistema e os empresários, para retomada da rotina da população. “A Prefeitura descarta qualquer possibilidade de aumento das tarifas neste momento”, afirmou o procurador. Segundo ele, unidas, as três medidas representam um impacto total de mais de R$ 1,7 milhão no orçamento para os empresários do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET). A este valor seria ainda acrescentada a economia com o combustível, a partir da redução da alíquota do ICMS de 17% para 7%, apresentada pela Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra), durante audiências entre rodoviários e SET no Ministério Público do Trabalho (MPT).

Continuar lendo Prefeitura mantém proposta de recuperação do sistema de transporte público

Ministério Público assusta-se com a violência em São Luís e chama a sociedade para discutir o problema

São Luís registrou o aumento de 267% no número de mortes por armas de fogo dos anos de 2000 a 2010. Os dados são do Mapa da Violência 2013, organizado pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos, e colocam a capital maranhense em primeiro lugar, entre todas as capitais brasileiras. Em relação ao número de homicídios em geral, na mesma década, a evolução da violência é ainda maior: aumento de 344% de vítimas. Para discutir esse tema e propor ações coordenadas que combatam a violência, o Ministério Público do Maranhão vai promover nesta quarta-feira, 18, às 14h30, no auditório da Procuradoria Geral de Justiça, a audiência pública "Os números da criminalidade na Grande São Luís". O evento é organizado pelo promotor de justiça José Cláudio Cabral Marques, que é coordenador do Centro de Apoio Operacional do Controle Externo da Atividade Policial (CAOp-CEAP) do MPMA. A evolução da criminalidade pode ser medida também pelo número de assaltos a coletivos. Foram registrados, em 2012, 260 assaltos na Região Metropolitana de São Luís. Em 2013, sem contabilizar o mês de dezembro, o número subiu para 530, totalizando aumento de 103%. "A situação é muito grave e requer um esforço conjunto das instituições e do Poder Público para combater o problema", avalia Cabral.

Continuar lendo Ministério Público assusta-se com a violência em São Luís e chama a sociedade para discutir o problema
Vale é acusada de espionar funcionários, jornalistas e sindicalistas
André Almeida, põe a boca no trombone e acusa a Vale de espionagem

Vale é acusada de espionar funcionários, jornalistas e sindicalistas

Ex-funcionário diz que empresa infiltrava pessoas em movimentos sindicais e sociais O ex-funcionário da Vale André Almeida acusou, ontem (24) a mineradora de espionar jornalistas, funcionários e lideranças sociais por meio de infiltração de pessoas em movimentos sociais e sindicais. As declarações foram feitas durante audiência pública da Comissão de Direitos Humanos do Senado. A presidente da comissão, senadora Ana Rita (PT-ES), decidiu oficiar a Polícia Federal, a CPI da Espionagem e o Ministério Público para que investiguem as informações. A petista também quer obter respostas da empresa que, embora tenha sido convidada a participar da audiência, não enviou representantes. Ontem, em São Luís, o deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) usou a tribuna da Assembléia Legislativa para repercutir o fato e encaminhar o assunto à Comissão de Direitos Humanos da Casa, no sentido de que, ali, também possam ser tomadas iniciativas em relação à companhia da Vale do Rio Doce, pedindo esclarecimentos em relação às denúncias de espionagem.

Continuar lendo Vale é acusada de espionar funcionários, jornalistas e sindicalistas