CPT: Maranhão é o segundo colocado no ranking da violência no campo

Com base em um balanço anual, com dados da questão agrária, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) no Maranhão divulgou, nesta quarta-feira (10), que o número de assassinatos registrados no campo, no Estado, de janeiro a novembro de 2016, foi o segundo maior no Brasil, com 12 mortes. Segundo o balanço, 54 homicídios foram registrados em 2016, em todo o Brasil, número considerado o maior no campo desde 2003, quando 71 pessoas foram assassinadas. Segundo o levantamento, o Maranhão só está atrás do estado de Rondônia, que registrou 17 mortes em 11 meses de 2016. A Pastoral da Terra também registrou assassinatos na Bahia (4), em Tocantins (3), Alagoas (2), Amazonas (2), Paraná (2), Mato Grosso (1), Mato Grosso do Sul (1), Paraíba (1), Pernambuco (1), Rio de Janeiro (1) e Rio Grande do Sul (1). A maioria das mortes foi motivada por conflitos por água ou terra. As vítimas são, principalmente, camponeses, posseiros, líderes quilombolas, indígenas e pequenos proprietários de terra. Ainda de acordo com a CPT, vários fatores explicam a violência no campo, inclusive a instabilidade política no país. A impunidade é apontada como uma das principais causas das ações violentas.

Continuar lendo CPT: Maranhão é o segundo colocado no ranking da violência no campo

Eleições 2016 – Eleitorado deste 2º turno é predominantemente feminino

A maioria dos eleitores aptos a votar no segundo turno das Eleições Municipais 2016 é do sexo feminino, com total de 17,7 milhões. Já o sexo masculino totaliza 15 milhões de eleitores. Desse total, quase 4,9 milhões de eleitores são da cidade do Rio de Janeiro, sendo que 2,6 milhões dos votantes mulheres e 2,3 de homens. Na análise da faixa etária, se verifica que a maioria dos eleitores está na faixa de 45 a 59 anos de idade: 8.205.298. Os jovens eleitores, com menos de 18 anos e para quem o voto ainda é facultativo, são 248.618 em todo o país. E embora o Rio de Janeiro possua o maior colégio eleitoral é em Manaus onde está o maior eleitorado com 16 anos de idade: são 5.486 manauaras contra 5.255 cariocas. A capital fluminense, por outro lado, registra o maior eleitorado idoso: os votos de 294.031 cariocas com mais de 79 anos de idade são esperados para a escolher o seu prefeito. No país todo, são 968.189 eleitores nessa faixa etária. Confira a tabela de eleitores por gênero...

Continuar lendo Eleições 2016 – Eleitorado deste 2º turno é predominantemente feminino

Em Imperatriz, mesmo com formato engessado, debate da Mirante mostra Rosângela Curado bem melhor

Com um formato engessado e horário injusto, o debate promovido pela TV Mirante de Imperatriz na noite do domingo (25) impediu o esperado confronto direto entre os candidatos Ildon Marques (PSB) e Rosângela Curado (PDT), favoritos na disputa pela Prefeitura de Imperatriz. Ribinha Cunha (PSC) e Assis Ramos (PMDB) tiveram participação dispensável no programa. O debate teve quatro blocos, mas apenas um deles foi destinado à troca de perguntas livres entre os candidatos a prefeito. Os demais foram temáticos, sem o confronto de ideias esperado pelo eleitor. O último foi dedicado às considerações finais. Contrariando as expectativas de todos, Ildon compareceu. Caricato e nitidamente fragilizado, buscou defender o legado de três gestões à frente do município. O nervosismo e o seu desconforto ficaram evidentes. Por várias vezes recorreu a um calhamaço de papéis para responder às perguntas, mas não fugiu de alfinetar o delegado Assis Ramos ao apertá-lo subjetivamente sobre estupro e pena de morte, por exemplo. O peemedebista se fez de desentendido. Ramos recorreu ao discurso genérico de honestidade e moralidade que não combina com um candidato apoiado pelo clã Sarney. Questionado sobre saúde, educação, transparência ou cultura, a resposta era sempre a mesma: “vamos combater a corrupção”. Orientado por marqueteiros, tentou atenuar a virulência que lhe é peculiar, mas não conseguiu. No ponto alto de sua participação, chegou a insinuar que Ildon Marques seria corrupto e ficha suja. Só faltou dar voz de prisão ao dono do grupo Liliani. A julgar pelo calor das redes sociais, o desempenho de Rosângela Curado foi o melhor do debate. Favorita, respondeu com segurança e tranquilidade aos questionamentos sobre saúde, educação infantil e esporte. Era nítido o esforço dos adversários para isolá-la. A pedetista, no entanto, encontrou o tom, transmitiu a credibilidade e o preparo esperado pelo eleitor, o que deve influenciar no seu desempenho junto ao eleitorado indeciso.

Continuar lendo Em Imperatriz, mesmo com formato engessado, debate da Mirante mostra Rosângela Curado bem melhor
Confira o calendário de pagamento do abono salarial do PIS/Pasep em 2015/2016
Abono é pago a quem tinha carteira assinada e recebeu em média até 2 salários mínimos

Confira o calendário de pagamento do abono salarial do PIS/Pasep em 2015/2016

Depósitos, de 1 salário mínimo, começam a ser feitos em 22 de julho e seguem até março de 2016; saiba se você tem direito O dia 22 de julho será a data em que será pago o primeiro lote de pagamento do abono salarial do PIS/PASEP do exercício 2015/2016. É o que informou o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhaodr (Codefat). As liberações seguem até 17 de março de 2016, são realizadas de acordo com a data de nascimento do trabalhador e o recurso fica disponível para saque até 30 de junho de 2016. O benefício, de um salário mínimo (hoje R$ 788), é pago a quem recebeu em média até dois salários mínimos mensais no ano anterior com carteira assinada. É preciso estar cadastrado no Programa de Integração Social (PIS) ou no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP). De acordo com o Ministério do Trabalho, o abono salarial será pago a 23,4 milhões de trabalhadores num total de R$ 17,1 bilhões. O PIS é pago nas agências da Caixa Econômica Federal e o PASEP, nas do Banco do Brasil. Os inscritos devem apresentar um documento de identificação e o número de inscrição no PIS ou PASEP. Confira abaixo o calendário.

Continuar lendo Confira o calendário de pagamento do abono salarial do PIS/Pasep em 2015/2016