Sucessão estadual: confraternização, diploma e seus vários significados
Roberto Rocha, Flávio Dino e Carlos Brandão

Sucessão estadual: confraternização, diploma e seus vários significados

Foi um dia memorável em que o governador, o vice-governador, o senador e os suplentes, 18 deputados federais e 42 estaduais eleitos em outubro receberam seus diplomas, em concorrida solenidade, no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, em são Luís.

Sexta-feira, 19 de dezembro. Com um capital político de 63,4% dos votos do eleitorado para governador, elegendo-se no primeiro turno, Flávio Dino (PCdoB) fez seu primeiro pronunciamento oficial na Diplomação dos Eleitos organizada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA). Foi um discurso emocionado em que ele dedicou o diploma aos milhões de maranhenses esquecidos pelo poder público, os quais o consagraram nas urnas.

Já o senador eleito Roberto Coelho Rocha (PSB), do alto dos seus 1 milhão, 476 mil e 840 votos (51,41%), repetiu, mais umas vez, o que pregara em campanha: “Serei o senador de todos os maranhenses, a voz dos que, até agora, não tiveram voz e vez” – o que prenuncia novos ares na política estadual, onde, raras vezes, o eleitor pôde saber o que fazem os seus três representantes no Senado Federal.
Com Roberto Rocha (PSB) foram eleitos os suplentes Pinto Itamaraty (PSDB) e Paulo Matos (PPS).

SIGNIFICADOS

Defendendo a superação das desigualdades refletidas nos índices sociais alarmantes como Desenvolvimento Humano (IDH), Flávio Dino afirmou em seu discurso que a diplomação não é um mero ato formal, mas um momento carregado de significados:
– “Este diploma não é estático, mas é impregnado de vida. Do abraço que foi dado pela criança que encontramos na campanha, por aquela senhora que dizia que ora por nós. Este momento pertence aos mais humildes, aos esquecidos do Maranhão,” disse.

O foco no combate às desigualdades reflete o entendimento do próximo governador do Estado sobre as prioridades para o Maranhão. Segundo ele, o diploma materializa a missão “grandiosa que os eleitos têm pela frente”. Essa missão não é de autoridade, mas de promover a igualdade entre os maranhenses, disse emocionado.

Com o diploma, completou Flávio Dino, os eleitos estão investidos da missão de “ser servidor público, de servir ao povo, de não estar acima dos homens e das mulheres, mas estar junto a eles.”

Uma das metas a serem perseguidas cotidianamente pelo futuro governador é o combate à fome, que ainda atinge metade dos maranhenses. Dados divulgados pelo PNAD esta semana revelaram que o Maranhão é o estado que possui o maior número de pessoas com insegurança alimentar. “Fome: palavra forte, aguda, cortante, mas que deve ser pronunciada para que lembremos sempre de nossa maior batalha. Essa é a missão que dá sentido maior a este momento”.

Além das desigualdades sociais, Flávio destacou o combate à corrupção e a reforma como temas centrais para atender aos clamores da sociedade, que esperam dos seus representantes políticos uma representação “à altura do que os brasileiros merecem” e a prestação de serviços públicos de qualidade.

Acompanhado pela esposa Daniela Lima, Flávio Dino homenageou os seus familiares e se emocionou ao lembrar que seu pai, Sálvio Dino, empenhou-se pessoalmente nas caminhadas, carreatas e ações da campanha. Dino citou ainda sua mãe, Rita Maria, e seus irmãos que acompanharam toda a cerimônia. O governador eleito agradeceu ainda aos parceiros de coligação e aos membros do TRE-MA e servidores da Justiça que se empenharam para garantir eleições democráticas no Estado.

Emocionado, finalizou: “Aproveito também para agradecer a generosidade do povo do Maranhão. Autenticamente sinto o peso das palavras que pronuncio e sinto peso das tarefas que nos foram incumbidas. Junto com elas, sinto também coragem para enfrentar os desafios para pôr fim às desigualdades”.Após solenidade, no Centro de Convenções

O casal Roberto Rocha e Ana Cristina com os filhos

Roberto Rocha e Ana Cristina com José Machado e Márcia Regina

senador eleito Roberto Rocha e os suplentes Pinto Itamaraty e Paulo Matos

Roberto Rocha: o diploma, filhos e netosJosé Machado e Roberto Rocha

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem um comentário

  1. calango aceso

    Pelo menos na diplomação, transpira um clima de muita harmonia… Será que, começado o governo, tudo será como antes no quartel de Abrantes? Como agem os internautas, kkkkkkkkkk

Deixe uma resposta para calango aceso Cancelar resposta