Situacionistas defendem o Governo do Estado e tentam justificar violência em São Luís
Chegou a vez dos situacionistas defenderem o Governo Roseana

Situacionistas defendem o Governo do Estado e tentam justificar violência em São Luís

Chegou a vez dos situacionistas defenderem o Governo Roseana

Para Magno Bacelar, a criminalidade vem crescendo de uma maneira geométrica, por conta da integração das redes sociais, o que torna o banditismo mais preparado para cometer essas criminalidades, enquanto os Sistemas de Segurança e o Penitenciário sempre estão andando atrasados. “Agora não podemos esquecer o crack. Essa é a maior quadrilha que está dentro de nossa sociedade, que está contribuindo violentamente para o aumento da criminalidade. É preciso que haja a união de todos nós, do Ministério Público, da Justiça, para que a gente consiga vencer esse grande problema”, analisou.

O deputado Roberto Costa destacou a reunião que aconteceu na quinta-feira (10), no Tribunal de Justiça, com a participação dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, do Estado, da Prefeitura de São Luís, Ministério Público e Defensoria Pública Estadual, na qual se discutiu em profundidade o problema da Segurança Pública no Estado do Maranhão. “Pela primeira vez estamos discutindo a Segurança Pública do Maranhão em um Fórum, sem interesses políticos partidários. Lá foi dito que a responsabilidade não é só do Governo do Estado”, ressaltou.

“Não adianta querer atingir a governadora em relação a esses problemas, porque vocês da Oposição também são responsáveis, porque nada fizerem quando estiveram no governo. A Polícia tem feito o papel dela. O problema da segurança é de todos, não só dos governos. Temos que encarar o problema com seriedade e debatê-lo com profundidade. A oposição vive, hoje, unicamente, de gastar saliva pelo Maranhão, sem oferecer nada de concreto”, afirmou Roberto Costa.

O deputado Alexandre Almeida, por sua vez, disse que o problema da Segurança, que existe em todos os estados do País,  não é um problema de Governo, mas de Estado, admitindo que, infelizmente, o Sistema Prisional do Brasil está falido. “Qual é o índice de recuperação da política de ressocialização no Brasil? É baixíssima. No Brasil não se recupera preso. O caminho que nós precisamos trilhar é o caminho de fortalecimento de políticas públicas na área do esporte, do lazer, da cultura e da educação. O que vai adiantar nós colocarmos um policial em cada esquina do Maranhão? Que adianta nós triplicarmos as vagas nos presídios? Esse não é o caminho. Essa discussão tem que ser séria. Eu não consigo enxergar uma luz no fim do túnel”, comentou.

Já Edilázio Júnior, ao se reportar sobre a reunião ocorrida no Tribunal de Justiça, destacou a informação prestada pelo desembargador Froz Sobrinho de que, no Maranhão, o índice de reincidência no Sistema Carcerário é de 77%, e a declaração da desembargadora Nelma Sarney que anunciou que uma de suas primeiras medidas, quando assumir a Corregedoria do Tribunal de Justiça, vai ser a reinstalação da Central de Inquéritos.

Edilázio Júnior afirmou que, hoje, em São Luís, todo mundo está em pânico, revelando que quase todos os seus vizinhos já foram assaltados e que é cobrado, diariamente, em relação ao problema da Segurança Pública. “Espero que, o mais rápido possível, sejam encontradas as soluções necessárias, sugerindo que uma delas seja a implantação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP), que é uma iniciativa do secretário de Segurança, Aluisio Mendes, já implantada na área da Divinéia e que tem apresentado bons resultados”. (Com informações da Agência Assembleia)

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta