Servidores do SAMU fazem paralisação de advertência
Samu para por duas horas para chamar atenção sobre sucateamento do órgão.

Servidores do SAMU fazem paralisação de advertência

 

Samu para por duas horas para chamar atenção sobre sucateamento do órgão.

Terminou, agora há pouco,  a primeira de uma série de advertências que os servidores do  SAMU – Serviço de Atendimento Médico de Urgência, vinculado à Secretaria Municipal de Saúde, prometem fazer, caso não sejam atendidos em suas reivindicações pela Prefeitura de São Luís.

O sucateamento do SAMU se acentuou durante a administração do prefeito João Castelo. O serviço chegou a parar várias vezes por questões como carga horária, salários, além da falta de condições de trabalho.

Certa  feita, os servidores tiveram que parar porque contavam com apenas uma ambulância para atender chamados simultâneos do 192. Todas as demais não funcionavam porque a oficina mecâniaca do conserto não recebia pelos serviços prestados, e  nem os donos de postos que abasteciam as ambulâncias.

No início da administração Edivaldo Holanda Júnior algumas dessas questões dramáticas foram momentaneamente resolvidas, mas, segundo a associação dos servidores do SAMU, “tudo voltou à estaca zero”.

A paralisação de advertência de hoje foi de apenas duas horas, “O  movimento foi apenas para chamar a atenção do secretário da Saúde e do prefeito Edivaldo Holanda para a situação de penúria por que passa o SAMU  Mas se não formos olhados e os problemas resolvidos”, voltaremos à carga, agora com maior intensidade”,  alertaram.

 

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta