Sem diálogo, o Brasil vai aprofundar muito mais a crise política e financeira, prevê  Flávio Dino

Sem diálogo, o Brasil vai aprofundar muito mais a crise política e financeira, prevê Flávio Dino

O governador do Maranhão, Flávio Dino, defendeu, hoje (15),  nas redes sociais,  a urgência de  um diálogo amplo entre os partidos e as principais lideranças nacionais para uma busca de caminhos que possam levar o país a superar a crise. “Fora da política não há solução”, diz o governador.

Essa defesa foi feita no bojo de cinco tópicos que Dino escrevera e postou, onde diz que

o Brasil vive uma  “era de trevas”, e que isso é útil para um projeto de destruição da Nação. “Hora de reabrir janelas da esperança e da ação transformadora”, aconselha.

Na opinião do governador, essas sugestões que ensejem um entendimento,  “existirá muita pirotecnia e muitos confrontos, mas nenhuma solução para os problemas da população”.

Os tópicos de Flávio Dino:

1) Paralisação imediata de qualquer proposta legislativa que mexa em direitos sociais, especialmente reforma da Previdência;

2) Reduzir taxa de juros e manter câmbio competitivo para empresas exportadoras;

3) Recuperar ambiente de estabilidade e segurança jurídica, imprescindíveis para ciclo consistente de investimentos privados;

4) Usar parte pequena das reservas internacionais para programa de investimentos públicos, especialmente rodovias e ferrovias;

5) Reforma tributária que leve a novo pacto federativo e à distribuição mais justa da carga de impostos sobre capital financeiro e rentismo;

6) Diálogo amplo entre os partidos políticos e principais lideranças nacionais, com a compreensão de que fora da Política não há solução.

Sem um caminho desse tipo, teremos muita pirotecnia e muitos confrontos. Mas nenhuma solução para os problemas da população.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta