Sarney veta nome de Pedro Fernandes para ministro do Trabalho e Temer acata

Sarney veta nome de Pedro Fernandes para ministro do Trabalho e Temer acata

Pedro Fernandes é deputado pelo Maranhão, estado de influência do ex-presidente, e foi indicado para o cargo pelo seu partido, o PTB.

Jornal do Brasil*

O ex-presidente José Sarney (PMDB) vetou o nome do deputado Pedro Fernandes (PTB-MA) para o comando do Ministério do Trabalho. O presidente Michel Temer aceitou a decisão de Sarney e busca, agora, um novo nome para assumir a pasta, que foi deixada por Ronaldo Nogueira na última quarta-feira (27).

Nos bastidores, Sarney está negando a ingerência na nomeação.

Segundo o próprio Fernandes, a nomeação criaria um “embaraço” entre o Palácio do Planalto e Sarney, que é um dos nomes mais influentes no Maranhão, estado que o parlamentar do PTB representa no Congresso Nacional. Fernandes é mais alinhado ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

Na semana passada, após Ronaldo Nogueira anunciar sua demissão, Pedro Fernandes (PTB-MA) divulgou o convite por parte do líder do PTB, deputado Jovair Arantes (GO), que já teria sido avalizado por Temer. Na ocasião, Fernandes afirmou que a posse do cargo seria na próxima quinta-feira (4), em cerimônia no Palácio do Planalto.

“Depois do susto, a gente ponderou e acabou aceitando. Já não era minha pretensão concorrer [às eleições de 2018], já estou com cinco mandatos, eu já estava pensando em parar, talvez tenha sido isso que tenha ajudado a me escolher, talvez”, disse o deputado, na ocasião do convite.

Influente no Maranhão, José Sarney vetou nome de Pedro Fernandes, que é deputado pelo estadoInfluente no Maranhão, José Sarney vetou nome de Pedro Fernandes, que é deputado pelo estado

 

Pedro Fernandes: ex-quase futuro ministro do Trabalho
Aproximação com Flávio Dino despertou a ira de Sarney…

Pedro Fernandes, que deixou o grupo político do ex-pesidente Sarney, bandeando-se para o grupo de Flávio Dino, chegou a dar entrevistas como virtual minisro. E o pior: disse que, nessa condição, continuaria aliadíssiomo do atual governador do Maranhão, que derrotou nas urnas o candidato da oligarquia Sarney, Edison Lobão Filho, pondo fim a um dos mais longevos domínios políticos do Brasil. Isso irritou  profundamente o cacique José Sarney, que pediu sua cabeça antes mesmo da posse anunciada.

*Com edição

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta