São Luís – Cuidado! Bandidos chegam em sua casa travestidos de Cemar, Correios, Caema, Sky…
Sociedade sanluisense desprotegida e refém da bandidagem

São Luís – Cuidado! Bandidos chegam em sua casa travestidos de Cemar, Correios, Caema, Sky…

A HISTÓRIA DE UM CASO DE TERROR VIVIDO POR  UMA FAMÍLIA NO BAIRRO DO ARAÇAGY

Fiquei comovido com o relato de uma amiga. Ela, o marido e um filho, moradores do Araçagi, foram surpreendidos, semana passada, com oito homens fortemente armados dentro de sua casa. Era 6 horas da manhã, e eles mal acordavam.

Antes, por volta de 1 hora da manhã, faltara energia, e a minha amiga ligou para a Cemar, pedindo que a companhia mandasse uma equipe. Seis horas uma voz anuncia, do lado de fora: “É a Cemar! Abram, é a Cemar!”. A minha amiga abriu o portão  e o grupo criminoso entrou: sete estavam encapuzados,  apenas um mostrou o rosto. Então começou a sessão de tortura física e psicológica. Queriam dinheiro. Sabiam que tinha dinheiro na casa e disseram até quanto, mas a minha amiga já não tinha mais a grana, que usou para dar entrada na compra de um bem.

Marido e mulher foram  amarrados, o filho amordaçado.  E haja socos, pontapés, armas na nuca e tudo o mais. Quando os bandidos  se convenceram de que não tinha dinheiro,  exigiram joias, que também não estavam na casa do Araçagi.

Encurtando a história, a família viveu cerca de uma hora de tortura física e psicológica, até que decidiram ir embora. “Uma eternidade, um horror que vai passar sempre como um filme de terror na nossa memória”, diz minha amiga, ainda agradecida a Deus por estarem todos vivos.

Em São Luís está assim. Quadrilhas especializadas em invadir residências para roubar, torturar e até matar. Estão travestidos de “Cemar”, “Caema”, “Correios”, “Sky”… E por aí vai.

A Polícia já botou algumas poucas dessas gangs na cadeia. Mas elas proliferam na Grande São Luís. Portanto, tenha muito cuidado ao abrir a sua porta. À frente de sua casa pode estar uma dessas gangs perigosas.

Ah! Já ia esquecendo. A falta de energia na casa da minha amiga foi motivada pela própria gang, que explodiu o contador de luz, na madrugada.

Até agora o bando não foi  identificado pela polícia. E não revelo os nomes, por questão de segurança da família vitimada.

 

Sociedade sanluisense desprotegida e refém da bandidagem

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta