Samu deu o aviso: a greve, agora, é pra valer. Municípo se diz aberto ao diálogo e divulga melhorias

Samu deu o aviso: a greve, agora, é pra valer. Municípo se diz aberto ao diálogo e divulga melhorias

Servidores do Samu paralisados por melhorias salariais e de trabalho

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), vinculado à Secretaria Municipal de Saúde de São Luís (Semus) está paralisado por tempo indeterminado. Os funcionários resolveram entrar em greve hoje pela manhã (13), depois de uma paralisação de advertência, há duas semanas.

Para retornar ao trabalho, os servidores do Samu cobram aumento de salário e  melhor estrutura para trabalhar. De acoardo com os socorristas, a sede do Samu está em condições insalubres e oferecem risco de contaminação no processo de lavagem das ambulâncias. Ainda segundo os funcionários, faltam equipamentos e ambulâncias.

A Associação dos Funcionários informou que atualmente há apenas 10 veículos para atender a uma população com mais de 1 milhão de habitantes. Outras 10 estariam quebradas ou sem condições de funcionamento.

Os grevistas informam que, a partir de hoje, o Samu em São Luís deve funcionar com apenas 30% da estrutura, como determina a lei. Serão três ambulâncias, segundo os socorristas, para atender apenas somente os casos mais graves.

Já a Semus, em nota, afirmou que o Samu conta com 10 ambulâncias para atendimento básico, duas UTIs móveis, duas  “motolâncias” e um veículo de intervenção rápida (4×4) para áreas de difícil acesso.  E se coloca aberta ao diálogo necessário para analisar  as reivindicações apresentadas pelos servidores em greve.

A nota da Semus, na íntegra:

A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) reconhece e sempre reconheceu desde o início da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior a importância dos serviços prestados pelo SAMU à população. Como prova disso estão a restauração e os investimentos realizados desde o início do ano no Serviço de Urgência que foi recebido pela prefeitura sucateado, com apenas duas ambulâncias funcionando e sem ter, sequer, combustível para rodarem. Nos últimos 11 meses houve a recuperação das ambulâncias já existentes, aquisição de novos veículos, inclusive com a inserção de outros de intervenção rápida.

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde trabalha ainda, com processos já em tramitação, na reforma e readequação da atual sede do SAMU no Itaqui-Bacanga e o plano de governo prevê para o início do próximo ano uma nova sede no bairro Alemanha, além de cinco novas bases descentralizadas de operação.

Hoje, o SAMU conta com 10 ambulâncias para atendimento básico, 2 UTIs móveis, 2 motolâncias e 1 veículo de intervenção rápida (4×4) para áreas de difícil acesso. Além disso, a prefeitura já prepara seletivo para aumentar o número de equipes técnicas e, consequentemente, o número de atendimentos que em 2013 já superou em mais de 50% (quase 8 mil atendimentos a mais) os realizados em 2012, durante a gestão passada.

Mesmo ciente da responsabilidade e seriedade com que a gestão do SAMU vem sendo realizada e da valorização de seus profissionais, a Secretaria Municipal de Saúde se mostra aberta aos diálogos necessários para avaliar as reivindicações apresentadas pelos servidores e, dentro do que for plausível, buscar este atendimento.

A Semus informa ainda que procurou a direção do sindicato da classe para o início de um diálogo, porém não houve disposição, por parte da representação, para a conversa. Mesmo continuando a busca pelo entendimento entre as partes, a Secretaria Municipal de Saúde enviará ao Ministério Público uma solicitação para que seja avaliada a legalidade da greve em questão, uma vez que dentre as reivindicações apresentadas pelo movimento, diversas já estão com ações implementadas para a resolução, inclusive com o reconhecimento dos próprios profissionais”

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta