Roberto Rocha Jr. propõe a criação do Banco da Cidade
Roberto Rocha Jr.: viabilizando o Banco da Cidade de São Luís

Roberto Rocha Jr. propõe a criação do Banco da Cidade

Roberto Rocha Jr.: viabilizando o Banco da Cidade de São Luís

Possivelmente, a partir de setembro, proprietários de pequenos negócios já terão um banco para captar investimentos e aumentar seus empreendimentos, dentro da proposta do governo municipal de  definir uma política de microcrédito para investimentos em pequenas atividades na capital.  É o que prevê o  vereador Roberto Rocha Júnior (PSB), depois de apresentar, ontem,  à Câmara Municipal de São Luís, o projeto de lei  que cria o Banco da Cidade.

Segundo o projeto, as linhas de crédito variam de R$ 100 a R$ 15 mil para cada pequeno empreendedor, e o montante de recursos inicial à disposição do banco será de R$ 100 milhões para os investidores que se habilitarem ao empréstimo.

O projeto de lei ainda vai ser submetido ao plenário da Câmara Municipal, onde já tramita, mas a provação é garantida,  pois antes o vereador Roberto Rocha Júnior o negociou com o prefeito de São Luís, que deu o seu aprovo.

– O projeto só foi possível num curto espaço de tempo porque não vai onerar o Município de São Luís. O Banco da Cidade vai usar a própria estrutura da Prefeitura para sua viabilização como instituição, e, em termos financeiros, grande parte dos Recursos vem do Banco do Nordeste, através do Crédito Amigo – explicou o vereador.

Conforme, ainda,  o vereador, o programa será firmado em parceria entre a Prefeitura de São Luís, o Banco do Nordeste e as secretarias municipais de Segurança Alimentar (Semsa), Agricultura e Pesca (Semapa) e Assistência Social (Semcas).

“A ideia deste projeto é atender àqueles que não têm acesso ao crédito, mas honram seus compromissos e têm interesse em crescer como empreendedor”, ressaltou o vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha, um dos idealizadores da matéria, presente ao painel onde o filho vereador apresentou o Banco da Cidade.

Podem requerer o crédito pequenos comerciantes, produtores familiares e vendedores informais. Os valores vão de R$ 100 a R$ 15 mil, e devem ser pagos entre seis meses (para capital de giro) e 24 meses (para investimento).

A base determinante o Banco da Cidade é ofertar serviços financeiros e dinamizar a economia de São Luís, favorecendo as necessidades dos pequenos empreendedores, estimulando as atividades produtivas e as relações sociais das populações mais carentes, gerando, assim, ocupação, emprego e renda – conforme explicou, por fim, o autor da matéria.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta