Raríssimo Fusca 1952 recebe restauração primorosa. E, agora, está à venda…
O VW recuperado novinho em folha

Raríssimo Fusca 1952 recebe restauração primorosa. E, agora, está à venda…

Importado da Alemanha, Volks conhecido como Zwitter é avaliado em R$ 80 mil

Texto: Ricardo Sant´Anna – Foto: BufalosVoltar

 Zwitter é a difícil palavra que os alemães escolheram para definir um peculiar modelo do Volkswagen Fuscaproduzido apenas no segundo semestre de 1952.  A pronuncia é algo como “suítá” e o significado é simples: hermafrodita. Armin Tibeau, proprietário de um raríssimo exemplar, explica: “Até agosto de 1952, o Fusca era produzido com vidro traseiro bipartido e painel com velocímetro no meio. De agosto até março de 1953, ele vinha com painel novo, com velocímetro atrás do volante, mas ainda com vidro bipartido”.
Por esse motivo, o Fusca passou a ser chamado de hermafrodita pelos alemães, por mesclar características do primeiro modelo lançado em 1949 com o painel da primeira reestilização, de 1953. Depois disso, o modelo abandonou o vidro traseiro bipartido adotando uma peça única oval. Por ter sido produzido em outubro de 1952, data que Armin descobriu através do número de chassis do Fusca, o modelo é classificado como um autêntico Zwitter.

O VW vsto de frente

O VW recuperado novinho em folha

O raro exemplar de Tibeau, morador da capital paulista, está à venda no WebMotors por R$ 80 mil e é motivo de orgulho: trata-se do Fusca mais antigo disponível no estoque. “Eu já possuía outros carros antigos, e quando um amigo me falou sobre esse modelo raro, decidi comprar. Estava todo enferrujado e em péssimo estado, mas resolvi encarar a restauração”, lembra. O processo durou 3 anos.

Armin lembra das primeiras palavras que disse quando viu o modelo pela primeira vez: “Será que vai dar certo?”. O primeiro processo realizado foi a funilaria, feita por espanhóis. A cor escolhida foi o próprio marrom original do modelo, que muitas vezes acaba confundido com o preto em locais escuros. Após a funilaria, era hora de a mecânica ser refeita. Embora tenha adotado quase que todos os itens originais no carro, Armin não conseguiu o motor original de 1100 litros, optou então pelo mais comum 1200.

“O 1100 seria impossível, mas fizemos um 1200 primoroso, com detalhes originais, como a única saída de escape na traseira”, conta ao apontar para a peça. O pequeno propulsor de ronco simpático rende modestos 30 cv de potência. “A hora que coloca a carroceria sobre os chassis e liga o motor é emocionante, você vê o carro quase pronta”, lembra emocionado.

O último processo foi a restauração interna, com direito a revestimento de lã nos bancos, como nos modelos originais. “É impossível conseguir o material no padrão original, e o mais parecido e utilizado no mundo é esta lã, de roupas masculinas, como ternos e blazers”, explica. O Fusca de Armin marca a estreia da série#AcheiNoWebMotors, que reunirá modelos raros e exclusivos à venda no estoque do site.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta