Profissionais da educação pública mandam duro recado ao Governo do Estado
Mobilização dos profissionais de Educação na conhecida cana de braço com o governo.

Profissionais da educação pública mandam duro recado ao Governo do Estado

Paralisar uma vez por mês, até que o Governo do Estado cumpra o que prometeu à categoria. E, se em janeiro, ainda persistir a situação, os trabalhadores da Educação Pública  vão, outra vez, à greve geral. Foi o que ficou “amarrado”  em ato  público organizado pelo sindicado dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma),  em frente à Biblioteca Benedito Leita, terça-feira (22), no Centro de São Luís, quando  dezenas de profissionais protestaram contra a política dada à educação pública

A mobilização foi, segundo o  sindicato,  uma resposta dos trabalhadores em educação à falta de compromisso do Governo do Estado para  honrar o acordo firmado com a categoria que envolve o pagamento de titulações, promoções e gratificação de estímulo profissional.

Falta de compromisso com o acordo sobre as titulações, promoções e gratificações de estímulo profissionais; nomeações sem concurso público; e desrespeito com os aposentados que não receberam o reajuste salarial foram alguns das principais denúncias que marcaram os protestos.

A secretária-geral do Sinproesemma, Janice Nery, ressalta que as mobilizações serão feitas men

Mobilização dos profissionais de Educação na conhecida cana de braço com o governo.

salmente até que o governo do estado se ajuste com a categoria. “Vamos parar um dia a cada mês. Caso o governo do estado dê, em janeiro de 2014, mais um golpe na categoria.  não pagando as progressões dos trabalhadores, vamos à greve geral”, prognosticou

Para o presidente do SINPROESEMMA, Júlio Pinheiro, é necessário que os educadores façam um grande “pacto” pela mudança dos gestores que estão à frente da Administração Pública Estadual. Segundo o dirigente, são anos e mais anos de sucateamento da educação pública marcados principalmente pela desvalorização dos profissionais e a falta de investimento na infraestrutura das escolas que tem afastado tanto professores da docência quanto alunos da sala de aula;

–  “Só a partir de um modelo que priorize a inclusão social é que vamos mudar os indicadores do estado. Para isso, precisamos fazer um amplo pacto pela mudança para alcançamos a educação pública de qualidade que tanto lutamos”, afirma.

Fraude em nomeações

Pinheiro também aproveitou para chamar a  atenção da sociedade para as práticas do Governo do Estado na área educação. O dirigente lembra que o Sinproesemma tem recebido denúncias e constatado fraude no ingresso de professores na rede estadual. Segundo ele, há casos de profissionais que estão nas salas de aula sem ao menos passar pelo concurso público:

– “No lugar de chamar os excedentes do último concurso público de 2009, o Governo do Estado opta por colocar gente pela janela sem qualquer requisito, tornando precária  ainda mais a educação pública”, destaca o dirigente.

A classe estudantil também participou da mobilização no centro de São Luís. O diretor de Relações Internacionais da União Nacional dos Estudantes (UNE), Thauan Fernandes, destacou a importância da paralisação, ressaltando que a luta pelo investimento financeiro nos educadores não é apenas de classe, mas de todos os brasileiros como um instrumento para alcançar a educação. “A educação pública de qualidade no Brasil só ocorrerá de fato com a valorização dos profissionais que estão dentro das salas aulas”, ressalta.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta