Preso policial rodoviário suspeito de chefiar esquema de fraude no Enem e outros concursos

Preso policial rodoviário suspeito de chefiar esquema de fraude no Enem e outros concursos

Ele era procurado pela Polícia Civil desde sexta-feira, quando foi deflagrada a Operação Gabarito 2. Numa das fraudes, fez a filha passar em Medicina numa universidade federal


Por G1 PB

Candidatos que fraudaram concursos na Paraíba terão que devolver dinheiro

Candidatos que fraudaram concursos na Paraíba terão que devolver dinheiro

 Um policial rodoviário federal que era procurado pela Polícia Civil desde sexta-feira (12), ocasião da deflagração da Operação Gabarito 2, se apresentou à Justiça nesta terça-feira (16) e foi preso por uma equipe da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) de João Pessoa. Segundo o delegado Lucas Sá, ele é suspeito de ser um dos chefes do esquema de fraudes a concursos públicos.

O delegado explicou que o suspeito chegou ao Fórum Criminal acompanhado de três advogados. No local, ele foi detido por uma equipe da DDF e foi encaminhado à Central de Polícia. Em seguida, ele vai ser levado ao 5º Batalhão de Polícia Militar, onde deve ficar detido.

O esquema lucrou pelo menos R$ 18 milhões e aprovou mais de 500 pessoas em pelo menos 70 concursos e vestibulares, segundo a Polícia Civil. Até a sexta-feira (13), 25 pessoas foram presas, sendo 19 no dia 7 e outras seis na sexta-feira, além de 11 veículos apreendidos e muitos documentos e equipamentos eletrônicos.

De acordo com Lucas Sá, o policial rodoviário é apontado como segundo o terceiro na “linha de comando” do esquema fraudulento e ficaria com 25% do que fosse arrecadado. O irmão dele foi preso na primeira fase da Operação Gabarito. Segundo as investigações, ele conseguiu fraudar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e aprovar a filha no em primeiro lugar para o curso de medicina. Além dela, ele teria conseguido a aprovação de outras pessoas próximas em diversos cargos públicos.

Além do concurso de 2006 da PRF, o suspeito também foi aprovado para escrivão da Polícia Civil (2003), para técnico judiciário do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Alagoas (2013) e para analista judiciário do TRT de São Paulo (2016). Porém, a Polícia Civil ainda vai investigar se ele conseguiu os cargos de forma fraudulenta.

Ainda segundo o delegado da DDF, o suspeito estava no condomínio de luxo em que foi deflagrada a primeira fase da operação, no dia 7, em João Pessoa. Porém, ele teria conseguido fugir e sair da cidade.

 Policial rodoviário estaria em condomínio de luxo em João Pessoa, mas teria conseguido fugir, segundo delegado  (Foto: Lucas Sá/DDF João Pessoa) Policial rodoviário estaria em condomínio de luxo em João Pessoa, mas teria conseguido fugir, segundo delegado  (Foto: Lucas Sá/DDF João Pessoa)

Policial rodoviário estaria em condomínio de luxo em João Pessoa, mas teria conseguido fugir, segundo delegado (Foto: Lucas Sá/DDF João Pessoa)

 Entenda o caso

As fraudes começaram em 2005, e mais de 500 pessoas já foram beneficiadas com o esquema em pelo menos 70 concursos. Os suspeitos cobravam, em média, o valor correspondente a 10 vezes o salário inicial do cargo pleiteado. A venda do ‘kit completo de aprovação’ custava até R$ 150 mil. Em 12 anos, o valor acumulado pelo grupo com o esquema já passa de R$ 21 milhões, segundo Lucas Sá.

Ao todo, 26 pessoas já foram presas na operação, que investiga a participação de pelo menos 70 pessoas no grupo. A primeira etapa aconteceu no dia da realização das provas do concurso do Ministério Público do Rio Grande do Norte, quando 19 pessoas foram presas em flagrante tentando fraudar o concurso com pontos eletrônicos. Os outros seis suspeitos foram presos na sexta-feira (12), durante a segunda etapa da operação.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta