Prefeitura e Iphan desenvolvem projeto de valorização do Bumba-meu-boi nas escolas em São Luís

Prefeitura e Iphan desenvolvem projeto de valorização do Bumba-meu-boi nas escolas em São Luís

Cerca de 400 estudantes da rede municipal de ensino e 20 professores vão desenvolver atividades de preservação do Bumba-meu-boi e de valorização do sotaque de costa de mão. Eles vão participar do projeto “O boi vai à escola”, desenvolvido por intermédio de uma parceria entre a Prefeitura de São Luís e o Instituto do Patrimônio Histório e Artístico Nacional (Iphan). O projeto foi lançado nesta terça-feira (24) em reunião na Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Honório Odorico Ferreira, no Tajipuru, zona rural de São Luís.

 Participaram da reunião representantes do Iphan, da comunidade escolar e dos grupos de Boi de Costa de Mão Unidos da Vila Conceição e Bumba-meu-boi Sociedade de Cururupu. Para executar o projeto “O boi vai à escola” em São Luís, o Iphan contará com a parceria da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e da Fundação Municipal de Cultura (Func). A execução do projeto “O boi vai à escola” na rede de ensino da Prefeitura de São Luís está embasada na Lei nº 10.639/03, que dispõe sobre a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Afro-brasileiras nos estabelecimentos de ensino Fundamental e Médio.

 “Por meio deste projeto, nossas crianças e adolescentes incrementarão a sua formação escolar com aspectos da cultura. Também avançaremos no sentido de garantir a preservação de um patrimônio cultural brasileiro”, disse o secretário municipal de Educação, Geraldo Castro Sobrinho.

 Projeto

 Executado de forma piloto na escola da zona rural, o projeto atenderá aos educandos do 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental da U.E.B. Honório Odorico Ferreira. A ideia é, nos anos seguintes, expandir a atuação para outras turmas, até alcançar todos os estudantes de Ensino Fundamental, bem como para outras unidades de ensino de São Luís. O projeto inclui atividades para os estudantes e formações continuadas para os professores, com palestras, vídeos e oficinas.

 “Nosso objetivo é sensibilizar para a preservação do sotaque de costa de mão, utilizando a temática como fator de integração escola comunidade. Por meio desta iniciativa, os grupos também terão sua atuação difundida junto a crianças, jovens e adolescentes, que podem se sentir incentivados a participar dos grupos, perpetuando assim esse sotaque”, explicou a técnica em Ciências Sociais da Superintendência do Iphan-MA, Isaurina Nunes.

 Umbelindo dos Santos Pimenta, 70, cantador do Bumba-meu-boi Sociedade de Cururupu em Tajipuru há mais de 50 anos, elogiou a iniciativa. “Nós, que participamos de grupos de bumba-meu-boi do sotaque costa de mão, estamos agradecidos pelo projeto. Com ele, as crianças irão conhecer melhor a nossa cultura e passarão a valorizar mais. É muito bom poder participar desse projeto também mostrando e ensinando tudo o que fazemos há anos”, disse.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta