Por risco de explosão, Ministério Público pede interdição de condomínio Toscana, em São Luís-MA

Por risco de explosão, Ministério Público pede interdição de condomínio Toscana, em São Luís-MA

Foram os próprios moradores que reclamaram do cheio de gás no prédio

G1

O Ministério Público do Maranhão (MP-MA) pediu ao Corpo de Bombeiros a interdição do Condomínio Jardim de Toscana localizado no bairro Cohafuma, em São Luís, por existir risco de explosão e colapso da estrutura.

O cheiro constante de gás preocupava tanto os moradores do prédio, um dos cinco edifícios do Conjunto Habitacional, que eles resolveram denunciar o caso ao MP-MA que ao avaliar os critérios de segurança, optou em manter a integridade das 288 famílias que moram no condomínio.

O Ministério Público alega que o condomínio foi construído em cima de lençóis freáticos, o que estaria ocasionando problemas, além de haver possibilidade de crime ambiental.

“Já enviei o ofício para o Corpo de Bombeiros pedindo a interdição do prédio. A construtora foi notificada para arrumar e não arrumou e por isso vamos remeter o caso à polícia para investigar a parte criminal”, disse a promotora Lítia Cavalcanti.

O Corpo de Bombeiros deve realizar uma vistoria no prédio nos próximos dias, e segundo o Ministério Público existe até a possibilidade de evacuação da área, dependendo da gravidade do caso.

Ao G1, o comandante do Corpo de Bombeiros Célio Roberto, disse que o foco principal é garantir a integridade das famílias deste condomínio e não descartou a possibilidade de evacuação dos moradores da localidade.

Na denúncia encaminhada ao MP-MA, os moradores relataram que o empreendimento não possui sistema de abastecimento de água, tem problemas no sistema de segurança de combate de incêndio, no sistema de gás e até mesmo problemas no sistema de proteção de descarga atmosférica.

A construtora Cyrela, responsável pelo empreendimento, encaminhou nota no início da tarde desta segunda-feira (26) e disse que não foi informada ainda oficialmente sobre o assunto e que nunca se recusou a seguir as orientações das autoridades para que a construção chegasse ao resultado esperado.

Nota na íntegra da Cyrela

“A Cyrela não foi intimada de nenhum requerimento judicial formulado pelo Ministério Público para a interdição do Jardim de Toscana. A Empresa nunca se recusou a efetuar as melhorias indicadas pelas Autoridades competentes. Estamos atendendo todas as exigências que foram sendo formuladas ao longo do tempo pelo Corpo de Bombeiros do Estado.”

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta