Por que  é demorada a negociação para a venda da televisão dos Sarney?

Por que é demorada a negociação para a venda da televisão dos Sarney?

 

 O grupo mineiro vai comprar todo o sistema ou só pedaços dele? A família Sarney, que ainda depende da política,  pode ficar sem o poder da comuniação, no Estado?

 

Por que a negociação da venda  das televisões Mirante de São Luís e de Imperatriz foi demorada e, apesar da decisão do grupo Setubal (MG) de desfazer-se  delas, ainda está em andamento? Pela dúvida de vendedores e compradores do que seria vendido ou  comprado. Vão-se apenas dois anéis, mas ficam vários dedos, já que o sistema é grande e sua divisão entre sócios, de dentro e de fora da família Sarney,  é complexa.

 

 

 

É certo que a venda das duas emissoras de TV de São Luís e Imperatriz desfalca o sistema de comunicação sarneysista, pois lhe subtrai as duas galinhas dos  ovos de outro. Mas isso só está sendo possível porque há uma crise financeira, fruto do emagrecimento de entradas de generosas de verbas públicas estaduais e federais, até dois anos atrás, quando Roseana concluiu seu quarto mandato como governadora do Maranhão,  e Sarney ainda detinha grande influencia em Brasília.

 

Sarney e Roseana: a falta do poder…

Fernando Sarney e a esposa Teresa Murad têm as mãos em outro naco do “Sistema”..

 

Claro que ainda hoje, por ser afiliada da Rede Globo e da maior audiência da televisão dos Marinho, a Mirante ainda abocanha verbas dos poderes públicos locais, através de campanhas publicitárias. Mas nada comparado aos tempos das vacas gordas…

 

 

 

Se não fosse isso, nada de venda. Até porque o sistema foi sempre usado com maestria como muleta da ação política partidária do grupo Sarney, e também servia de moeda de troca para convencer a maioria dos políticos, de norte a Sul do Estado, a aderir ao grupo dominante. .

 

 

 

Costumava-se dizer desse modus operandi que a ex-governadora Roseana Sarney pagava de um lado do balcão (como chefa do Executivo) e recebia do outro lado, como sócia de grande parte do sistema de comunicação. Tempos de bonança, em que todas as emissoras e seus departamentos do Sistema Mirante de Comunicação funcionavam com gordura  e não economizavam nas despesas quotidianas nem na aquisição de novas tecnologias…

 

 

 

Hoje é tão notória a penúria no “sistema” que há muito tempo a Televisão Mirante não moderniza e nem remodela seu principal estúdio – o de apresentação dos tele-jornais – que, antes, rivalizavam com o que a poderosa Rede Globo tinha de melhor.

 

Ainda a demissão de dezenas de funcionários c

Roseana, Fernando e Zequinha Sarney; os donos da TV Mirante em São Luís

Até Joaquim Haichel tem um pedaço no “Sistema”

Política e comunicação

 

 

 

Valho-me da jornalista Elvira Raulino, que fez um levantamento criterioso sobre o poder da comunicação nas mãos de políticos na região. Na matéria, ela constatou que uma em cada cinco retransmissoras de TV da região da Amazônia Legal pertence a algum político. Dos 1.737 canais de retransmissão legalmente aptos a produzir conteúdo local, 373, ou 21,5% do total, estão em nome de políticos ou de parentes próximos. “O grupo inclui sete senadores”, pontuou.

 

Segundo ela, “o Maranhão é o extremo desse fenômeno”:  das 276 retransmissoras de TV maranhenses, 159, ou 58%, estão registradas em nome de empresas de políticos. Se forem somadas as retransmissoras de prefeituras, são impressionantes 223 televisões comandadas por políticos, o que representa 81% do total de retransmissoras existentes no Estado.

 

As quatro grandes redes nacionais de televisão – Globo, SBT, Record e Bandeirantes – estão associadas a políticos no Maranhão. A TV Mirante de São Luís afiliada da Globo, a jóia do grupo,  pertence aos três filhos do ex-presidente José Sarney: Roseana Sarney (ex- governadora do Maranhão por quatro mandatos, ex-senadora e ex-deputada federal, do PMDB), José Sarney Filho (deputado federal do PV, com nove mandatos consecutivos, e atual ministro do Meio Ambiente do governo Michel Temer) e o empresário Fernando Sarney, que dirige o grupo de comunicação da família. A Mirante tem 20 retransmissoras no Estado.

 

Em sociedade com a mulher, Tereza Murad Sarney, Fernando Sarney possui mais duas geradoras (o canal 10 de Imperatriz e o canal 9 de Codó) que,  por sua vez,  possuem outras nove retransmissoras. Há mais dez retransmissoras em nome da TV Maranhão Central, uma sociedade entre Tereza Murad Sarney e o ex-deputado Joaquim Nagib Haickel (PMDB).

 

No final de 2014, a família Sarney comprou a empresa Rio Balsas, proprietária do canal 6, na cidade de Balsas. Trata-se de uma emissora geradora. Mas até o final da pesquisa, em outubro de 2015, continuava oficialmente em nome do ex-prefeito Francisco de Assis Coelho (PDT), que ocupou o cargo de 2005 a 2012.

 

Dessa forma, mesmo vendendo a TV Mirante de São Luís e sua irmã siamesa de Imperatiz – e se o grupo mineiro de comunicação resolver que a compra será fatiada -, ainda “sobrariam” nacos importantes de televisão e de rádios AM e FM cuja rede se ampliou com a influência de Sarney na presidência da República e de Roseana Sarney Murad no Comando do Estado, por quase 15 anos.

 

Para não esquecer, citem-se o jornal O Estado do Maranhão e vários portais na Internet. Ainda é muita mídia para reforçar futuras campanhas políticas.

 

Por isso a venda das posses dos Sarney tornou-se um verdadeiro seminário, com propostas, contrapropostas e debates. Difícil batida de martelo essa!

es de rádio e TV

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta