Político deixa o governo da Bahia para se empregar no “Mais Médico”
Alcântara: necessidade ou embromação?

Político deixa o governo da Bahia para se empregar no “Mais Médico”

Alcântara: necessidade ou embromação?

O chefe de gabinete da Secretaria Estadual de Relações Institucionais (Serin) da Bahia, Pedro Alcântara de Souza, apresentou-se à prefeitura de Juazeiro, no extremo norte do Estado, para integrar o programa Mais Médicos. Ele, porém, ainda não pediu a exoneração do governo estadual.

Formado na Universidade Federal da Bahia (UFBA), especializado em ginecologia, obstetrícia e mastologia, Alcântara, de 61 anos, chegou a exercer a profissão antes de abraçar a política. Fundador do PL (hoje PR) no Estado, foi vereador em Juazeiro e seis vezes deputado estadual. Não conseguiu se reeleger em 2010 e, em 2011, foi convidado pelo governador Jaques Wagner (PT) para assumir a função na Serin.

“Ainda não comuniquei minha saída da pasta nem formalizei o pedido, porque queria conversar com o governador antes”, alega. “Não seria delicado que ele ficasse sabendo pela imprensa que eu estava deixando o governo. Marquei uma audiência com ele para segunda-feira.”

Pedro Alcântara, como é conhecido, diz ter se “entusiasmado” quando conheceu o programa do governo federal. “Minha família é toda formada por médicos, achavam que eu era uma ovelha desgarrada, mas decidi voltar à minha cidade e à minha profissão.”

O ex-deputado diz já ter conhecido o posto de saúde no qual vai trabalhar, no bairro Alagadiço. Além de voltar a Juazeiro, Alcântara vai ter aumento de vencimentos com a mudança. Seu salário na secretaria, segundo a assessoria do órgão, era de R$ 5.779,03 – e a bolsa que vai receber, pelo programa, é de R$ 10 mil.

Adversários políticos veem na manobra uma tentativa de Alcântara tentar aumentar a popularidade para concorrer a uma vaga na Câmara de Deputados no ano que vem – ou candidatar-se a prefeito, em 2016. “Ganhei um estetoscópio com a mensagem: ?Bem-vindo de volta ao lugar de onde o senhor nunca deveria ter saído?.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem um comentário

  1. Wâania Kastro

    Ele não tem nada de besta, pois acredito que não seja o salário, mais a possibilidade de na função de médico, para ter contato com a população e tentar se eleger-se. Esse médico é muito sabidinho, no meio politico não tem bobo, só esperto…

Deixe uma resposta