PIB brasileiro aumenta R$ 1,78 a cada R$ 1 do Bolsa Família, diz Ipea
Programa melhora o PIB, segundo o Ipea.

PIB brasileiro aumenta R$ 1,78 a cada R$ 1 do Bolsa Família, diz Ipea

R7

Estudo do instituto mede os efeitos do programa na economia brasileira

Cada R$ 1 real adicionado ao Bolsa Família gera crescimento de R$ 1,78 ao PIB brasileiro — soma de tudo que é produzido no Brasil —, segundo estudo divulgado nesta terça-feira (15) pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

O estudo analisou sete programas de transferência de renda e concluiu que o Bolsa Família é o que dá maior retorno à economia brasileira. O levantamento faz parte do livroPrograma Bolsa Família: uma década de inclusão e cidadania, que vai ser lançado no fim do mês.

Segundo o presidente do Ipea, Marcelo Néri, o Bolsa Família tem melhor custo-benefício que outros programadas de transferência de renda.

— O Bolsa Família gasta pouco e faz muito em redução de desigualdade. O Brasil fez 25 anos em cinco. É o [benefício] mais econômico para fazer a economia girar, em termos de consumo, porque precisa de pouco incentivo para andar muito.

Segundo o governo, o Brasil diminuiu a extrema pobreza em 69,28%, e cumpriu em cinco anos a meta do milênio da ONU (Organização das Nações Unidas) para 25 anos.

Quando analisado o consumo das famílias, cada R$ 1 do Bolsa Família devolve à economia R$ 2,40. De acordo com Néri, isso é favorecido pelo perfil das famílias que recebem o benefício.

— É um programa pró-pobre. O pobre tem essa característica de gastar grande parte do dinheiro que ganha, por isso gasta mais em consumo.

Em segundo lugar, ficaram os programas BPC (Benefício de Prestação Continuada), que gera acréscimo de R$ 1,19 a cada R$ 1, e o do Seguro Desemprego, com R$ 1,06. O FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) é o benefício que menos movimenta a economia brasileira.

Prêmio internacional

O programa Bolsa Família foi o vencedor do 1° Prêmio para Desempenho Extraordinário em Seguridade Social. O prêmio é atribuído a instituições e programas conforme a relevância de sua contribuição. O Bolsa Família foi selecionado entre outros programas e teve a maior avaliação em três critérios: compromisso público extraordinário, habilidade de implementação e disponibilidade de avaliação de impacto.

Segundo a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, o prêmio reconhece a importância do programa.

— O Bolsa Família não só aliviou a pobreza dos beneficiários, [ele] garantiu o melhor desempenho escolar, reduziu a pobreza e a mortalidade infantil. O Bolsa Família faz bem para o Brasil e para os brasileiros.

De acordo com  a ministra, a presidente Dilma Rousseff já foi informada sobre o prêmio e manifestou “a honra e o orgulho do Brasil”.

Atualmente, o Bolsa Família atende a cerca de 13,8 milhões de família — quase 50 milhões de pessoas. O investimento em 2013 é de R$ 24 bilhões, 0,46% do PIB.  (R7)

Programa melhora o PIB, segundo o Ipea.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta