PF desmantela Tribunal de Contas do Rio por fazer vista grossa em troca de propinas
Presidente da Assembleia Legislativa, depuatado Jorge Picciani, foi levado à depor na PF, coercitivamente...

PF desmantela Tribunal de Contas do Rio por fazer vista grossa em troca de propinas

Força-tarefa prende cinco dos sete conselheiros do TCE por suspeita de corrupção e interroga Jorge Picciani, presidente da Assembleia Legislativa

Uma operação da Polícia Federal e do Ministério Público colocou na mira a cúpula do Tribunal de Contas do Rio, o órgão responsável por fiscalizar e julgar as contas do Governo. Cinco dos sete conselheiros do TCE tiveram a prisão preventiva decretada por serem suspeitos de envolvimento em, pelo menos, dois esquemas de arrecadação de propina em troca de fazer vista grossa diante de irregularidades de empreiteiras e empresas de ônibus do Estado.

A operação tem mais um peixe grande como alvo, o presidente de PMDB no Rio e

Presidente da Assembleia Legislativa, depuatado Jorge Picciani, foi levado à depor na PF, coercitivamente…

. O homem que mais influencia política exerce hoje no Rio foi levado a depor coercitivamente, mas ainda não foi revelada qual seria sua relação com esquema. Picciani já foi mencionado em outras investigações em curso. O depoimento de uma executiva da Carioca Engenharia no âmbito da Operação Lava Jato apontou que Picciani vendeu, através de uma das suas empresas, cabeças de gado superfaturadas para a Carioca gerar caixa dois destinada ao financiamento eleitoral. O nome de Picciani, segundo publicou O Globo, também apareceria na delação dos executivos da Odebrecht

Entre os presos preventivamente nesta quarta de manhã estão os conselheiros Aloysio Neves, atual presidente, e Domingos Brazão, indicações diretas do PMDB no Rio. Neves foi por 15 anos chefe de gabinete de Picciani e o ex-governador preso, Sérgio Cabral, na presidência da Alerj até que foi eleito, em 2010, conselheiro do Tribunal. Já Brazão era deputado estadual pelo PMDB até o ano passado, quando foi escolhido pela Alerj, comandada por Picciani, para assumir uma das vagas de conselheiro do Tribunal.

Outro dos conselheiros presos, José Gomes Graciosa, já foi julgado e absolvido por corrupção passiva por suposto recebimento ilícito em troca de votos para beneficiar uma empresa. O conselheiro Marco Antônio Alencar, pela sua vez, tinha sido apontado em delações premiadas como a pessoa que indicou o operador do próprio Tribunal para tratar dos pagamentos ilícitos. Por último, José Maurício Nolasco teve seu nome citado em delações, já em junho, como recebedor de propina. A ação contra os conselheiros deve seguir no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que tem a atribuição para processar e julgar integrantes de tribunais de contas.

A conselheira Marianna Montebello foi a única a não ser alvo da PF. O sétimo conselheiro, o ex-presidente do Tribunal Jonas Lopes de Carvalho Filho, também suspeito de corrupção, foi quem comprometeu os colegas em delação premiada. A delação de Carvalho Filho, e o filho dele, Jonas Lopes de Carvalho Neto, homologadas pelo Superior Tribunal de Justiça, já se esperava explosiva e ainda ameaça com desequilibrar a cúpula do poder fluminense.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta